segunda-feira , 19 fevereiro 2018
Home / Destaque / Reunião com a Executiva estadual vai definir permanência de deputados no PMDB

Reunião com a Executiva estadual vai definir permanência de deputados no PMDB

Reunião com a Executiva estadual vai definir permanência de deputados no PMDB

Uma reunião da Executiva estadual do PMDB vai ser decisiva para definir a permanência, ou não, de deputados estaduais que ameaçam debandar da legenda. De acordo com informações obtidas pelo Bahia Notícias, os parlamentares querem colocar contra a parede o presidente da sigla no estado, o deputado estadual Pedro Tavares, e saber quais providências serão tomadas para livrar o PMDB do fantasma dos irmãos Vieira Lima. Fantasma esse que, volta e meia, aparece e amedronta os deputados, receosos do desgaste eleitoral que a relação da legenda com o ex-ministro Geddel Vieira Lima e seu irmão, Lúcio Vieira Lima, pode criar em seus planos de continuarem na vida política. Segundo o apurado pela reportagem, a principal pauta da bancada é filiar à agremiação uma liderança regional forte que possa comandar a legenda e ser capaz de dar a ela uma nova cara. A avaliação atual é de que Tavares, além de ser próximo aos irmãos, não é um nome com expressividade regional a ponto de liderar essa virada na imagem do PMDB. “A gente precisa decidir se vamos fazer isso. E, se formos, convidar os nomes. Por enquanto, estamos à deriva”, confidenciou ao BN um peemedebista, que preferiu não se identificar. Em entrevista à reportagem, o deputado estadual Hildécio Meireles, que já assumiu a possibilidade de deixar o partido, defendeu o mesmo. “O partido precisa receber algumas lideranças de grande densidade eleitoral no estado para tomar novos rumos”, afirmou ele, um dos maiores críticos da atual situação do PMDB. No entanto, há quem avalie que Tavares esteja tentando empurrar a reunião com a barriga para fugir da discussão, já que ela ainda não foi marcada, apesar da pressão dos parlamentares. O presidente estadual da legenda, no entanto, negou. “De forma alguma existe isso. O problema é esse período de Carnaval. Mas estamos sempre conversando e devemos marcar esse encontro para depois do Carnaval. Vamos discutir as estratégias para este ano”, explicou. No partido, o clima é tenso. Mesmo que a maior parte dos deputados não queira deixar a sigla, eles têm receio de precisar explicar a questão de Geddel e Lúcio durante a campanha eleitoral, algo que será bastante explorado pelos opositores. Mesmo que as denúncias de corrupção tenham acertado em cheio grande parte das legendas no país, na Bahia, é consenso entre os peemedebistas que o caso dos irmãos acertou em cheio a imagem do PMDB. E é por isso a demanda por novas, e fortes, lideranças. “Se não houver mudança, fatalmente haverá perdas”, arrematou outra fonte ouvida pelo BN. No grupo dos que estão ameaçando abandonar o barco, está David Rios, Hildécio Meireles, Leur Lomanto Júnior e Luciano Simões – este último em negociações com outros partidos. Caso a debandada ocorra, a sigla só ficaria com Pedro Tavares como deputado estadual e Lúcio na Câmara. O irmão de Geddel, no entanto, pode perder o mandato, já que será julgado pelo Conselho de Ética da Casa. Um dos maiores partidos do país, o PMDB vive na Bahia um momento delicado.

Veja Também

Prefeitura investiga 341 multas de trânsito retiradas do sistema entre 2011 e 2014

  Uma sindicância da Superintendência Municipal de Trânsito (Sutran) de Ilhéus vai apurar o desaparecimento ...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: