segunda-feira , 19 fevereiro 2018
Home / Destaque / Por unanimidade Desembargadores da Bahia reconhecem trajetória de Jamil Ocké e determina seu retorno as atividades

Por unanimidade Desembargadores da Bahia reconhecem trajetória de Jamil Ocké e determina seu retorno as atividades

Em uma decisão unanime dotada pelos excelentíssimos Desembargadores que compõem a Primeira Câmara Criminal da Segunda Turma do Tribunal de Justiça da Bahia, o professor Jamil Chagouri Ocké, ganhou o direito de retornar as atividades educacionais no Instituto de Ensino Eusínio Lavigne de Ilhéus, podendo exercer sua profissão de professor a qual quer hora do dia.

Jamil Ocké, estava afastado das atividades educacionais desde março de 2016, quando foi alvo das investigações do Ministério Público Estadual, que deflagrou a Operação Citrus, a qual o manteve em cárcere privado por mais de cinco meses, impedindo-o de lecionar em sala de aula.

Porém, os seus 35 anos de excelência na educação, conduzindo a formação acadêmica de milhares de cidadãos ilheenses, foram fatores determinantes para a decisão do relator do pedido, Desembargador Abelardo Paulo da Matta Neto, que autorizou o retorno do professor Jamil Ocké a sala de aula, decisão está acatada por unanimidade pelos demais magistrados.

O retorno as atividades educacionais do professor, trouxe na memória dos ex-alunos, recordações que decifram o perfil deste profissional, que construiu a sua carreira de mestre pautada na ética, generosidade e profissionalismo. Segundo Walas Amorim, Jamil sempre foi um exemplo de educador.

O prof Jamil, era um professor exemplar, com sua honestidade como professor… Fazia seu trabalho com dedicação, e mesmo assim quando ele passava às atividades, que os alunos não entendiam às tarefas em sala de aula, ele explicava tudo com tranquilidade p/ que os alunos aprendessem”, relatou Walas, que foi aluno do professor Jamil por 1 ano no IME.

O ex vereador Roque do Sesp, também tem boas recordações da trajetória educacional do professor Jamil Ocké “Estava cursando o primeiro ano do segundo grau, e ele como professor sempre inovador  e disposto a ajudar os alunos”, comentou Roque sobre seu professor,” Minha lembranças é que ele chegava sempre disposto e todos mesmo cansados conseguiam assistir a aula seja primeiro horário no último”, concluiu Roque, que estudou no IME no período em que foi aluno de Jamil.Os elogios e agradecimentos ao professor Jamil Ocké, passam gerações. A advogada e professora universitária, Dra. Stella Carillo, lembra com orgulho e alegria do seu professor ” Ele sempre foi um professor calmo, extremamente respeitoso com os alunos e com excelente didática”, lembra a advogada que cursou a 8ª serie, no Colégio Afonso de Carvalho.

Para o ex aluno, Daniel Carvalho, a lembrança do professor trouxe alegria e saudade.
“Por volta de 1990, Estudei do I.M.E , fui aluno de Jamil Chagouri Ocké. Ele lecionava a matéria de química, e eu percebia a dificuldades que os demais tinham com relação à tabela periódica. Mas, o Professor Jamil sempre dinâmico procurava inserir brincadeiras ao ensino e assim deixar a matéria mais leve e de fácil absorção aos alunos da Educação pública. e com ele aprendi o q é o Metano, Butano, Propano e etc…. Desde então ele já se mostrava um professor amigo, um dos mais queridos do colégio”, disse Daniel, que hoje é líder jovem da Igreja Adventista do 7º dia, Igreja central. “Sabe Professor… Sinto saudades da época que o tinha como professor, e se eu pudesse voltaria no tempo para reviver neste período de aprendizagem e amizade com um professor diferenciado!”, concluiu emocionado o ex aluno e atual amigo, Daniel.

Em depoimento exclusivo, o professor Jamil Ocké, em seu primeiro pronunciamento oficial, falou sobre a decisão do TJBA.

Jamil Ocké em sala de aula

Estou feliz por ter a minha profissão de volta, feliz por poder retornar a sala de aula, feliz pelos meus alunos, feliz  por poder voltar a trabalhar com o que desde dos 18 anos sempre gostei que é ser educador e que os anos, por mais que tenham passado, quando reencontro alguns de meus ex-alunos, sinto que nessa profissão, busquei o melhor, como educador. A decisão do TJBA, apenas provou a importância das instancias para se garantir a plena justiça”, completou Jamil Ocké, que aguarda o inicio do ano letivo para iniciar suas atividades frente a Rede Municipal de Ensino, dando continuidade à sua mais admirada vocação, a de ser educador.

Jamil Ocké já lecionou no Ginásio Dom Eduardo, hoje colégio Impacto, Instituto Nossa Senhora da Piedade, Escola Afonso de Carvalho, cursinho pré-vestibular do Colégio Nossa Senhora da Vitória, foi o  primeiro professor de Química do Colégio São Jorge dos Ilhéus, atuou também no Instituto Municipal de Educação, e foi voluntário no CIERG, hoje Colégio Militar.

por Caliana Mesquita/Jornalista

Veja Também

Prefeitura investiga 341 multas de trânsito retiradas do sistema entre 2011 e 2014

  Uma sindicância da Superintendência Municipal de Trânsito (Sutran) de Ilhéus vai apurar o desaparecimento ...

%d blogueiros gostam disto: