terça-feira , 17 outubro 2017
Home / Destaque / PM atirou 7 vezes em balconista de Santa Bárbara d’Oeste enquanto filho dormia, diz MP

PM atirou 7 vezes em balconista de Santa Bárbara d’Oeste enquanto filho dormia, diz MP

Morta em Santa Bárbara d'Oeste, Lorena Aparecida dos Reis Pessoa tinha um filho  (Foto: Reprodução/ Facebook )

O cabo da Polícia Militar (PM) Carlos Alberto Ribeiro, de 36 anos, atirou sete vezes contra a balconista Lorena Aparecida dos Reis Pessoa, de 29 anos, e a matou enquanto o filho deles dormia em outro cômodo da casa, em Santa Bárbara d’Oeste (SP), segundo o Ministério Público (MP). Ribeiro não aceitou o fim da relação e premeditou o homicídio, diz o MP.

O crime ocorreu em 8 de agosto e o órgão denunciou o acusado na semana passada. “Segundo se apurou, o denunciando é policial militar e, embora casado, mantinha um relacionamento afetivo com a vítima (Lorena), com quem teve um filho”, aponta a denúncia oferecida à Justiça.

De acordo com o MP, Lorena quis terminar o relacionamento depois de descobrir que o policial era casado. A descoberta ocorreu durante o processo que ela moveu contra ele pela paternidade do filho.

Ribeiro passou a ameaçá-la e afirmava não aceitar o fim da relação. No dia do crime ele viajou de São José do Rio Preto (SP), onde mora, até Santa Bárbara d’Oeste para matar a vítima, diz a promotoria.

O feminicídio ocorreu na casa da vítima, na Vila Aparecida, por volta de 0h30. “No local, o denunciando disparou sete vezes contra a ofendida e, depois, fugiu”. Vizinhos ouviram os tiros, foram à residência dela, pegaram a criança enquanto dormia e levaram para outra casa.

Em seguida, o policial se entregou na 2ª Companhia da Polícia Militar, em Santa Bárbara d’Oeste. “É certo que o crime foi cometido por motivo torpe, uma vez que o denunciando não aceitou o término do relacionamento e decidiu acabar com a vida da vítima”, diz o MP.

Feminicídio

“O crime de homicídio foi praticado por meio cruel, uma vez que a vítima foi atingida por sete disparos de arma de fogo. O crime foi cometido mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, que foi pega de surpresa, quando estava em sua casa e tinha seu filho pequeno dormindo e recebeu diversos tiros nas costas”, complementa a denúncia.

Veja Também

PF cumpre mandado de busca e apreensão no gabinete do deputado Lúcio Vieira Lima, irmão de Geddel

Em um desdobramento da operação que apreendeu em setembro R$ 51 milhões em dinheiro vivo em um ...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: