quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Racismo: Cliente acusado de roubo disse que ficou sem roupa no Mercado Meira






DSCF0991
Eduardo Bispo da Paixão, 56 anos, o Edu Arts, casado, pais de duas filhas e que trabalha no ramo de estofados, disse que passou a maior decepção na tarde desta terça feira, no interior do supermercado Meira, no Centro Comercial de Itabuna. Contou que, como sempre faz, foi comprar alguns materiais de limpeza que estavam faltando na sua micro empresa, passou e pagou a conta no caixa do supermercado. Ao sair, foi convidado , por dois seguranças da loja, para ir a uma sala, onde ele teve que ficar despido e suas sacolas revistadas. Como não encontraram nada com o rapaz, eles lhe pediram desculpas. Abalado com a situação, a vítima saiu chorando, sem saber o que fazer.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Homem sobrevive a 18 injeções letais e recorre para fugir de execução nos EUA

Um condenado a morte que sobreviveu a 18 injeções letais no dia de sua execução está recorrendo à Suprema Corte norte-americana para evitar que a sua pena seja novamente realizada. A execução de Romell Broom, 60 anos, deveria ter ocorrido em setembro de 2009.

Broom foi condenado por sequestrar, estuprar e matar Tryna Middleton, 14 anos, no ano de 1984, na cidade de East Cleveland, no estado de Ohio.

Segundo informações do portal UOL, a equipe de execução não conseguiu encontrar uma veia para aplicar as drogas no corpo do condenado. Após 18 tentativas, em duas horas, o governador de Ohio na época, Ted Strickland, estabeleceu um prazo de sete dias, e Broom foi levado de volta à cela.

A falha na execução provocou nova disputa jurídica entre a defesa de Broom e a Procuradoria, encerrada quando a Suprema Corte de Ohio rejeitou os argumentos do condenado. De acordo com a agência Associated Press, a defesa alega que uma segunda tentativa de executar Broom seria inconstitucional e resultaria em uma punição cruel e incomum.

Babá que denunciou sequestro de bebê confessa que afogou e esquartejou filha na BA


Babá que denunciou sequestro de bebê confessa que afogou e esquartejou filha (Foto: Reprodução/TV Bahia)


A babá Renata Cerqueira, 20 anos, que haviadenunciado o sequestro da filha, um bebê de apenas três meses, no último sábado (20), em Porto Seguro, no extremo sul da Bahia, confessou que matou a criança. Por volta das 2h desta terça-feira (23), Renata prestou depoimento à Polícia Civil.

De acordo com a delegada Valeria Fonseca Chaves, titular da 23ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin), Renata afogou o filho em um vaso sanitário e em seguida usou um facão para cortar a criança em três pedaços.

"Ela escondeu dois pedaços em uma panela de pressão e a cabeça ela colocou em um saco plástico e o deixou em cima do guarda-roupas", disse a delegada. O crime foi cometido na tarde de sábado. 

Ainda segundo a delegada, na tarde de segunda-feira (22) uma amiga de Renata, acreditando na história do sequestro, havia organizado uma manifestação pedindo justiça. Renata então esperou a mãe ir para o protesto para colocar a panela de pressão sobre o fogão. Ao retornar para casa, a avó do bebê estranhou o peso da panela e o odor que saia dela.

Policiais foram chamados pela mãe de Renata e, ao abrirem a panela, encontraram os pedaços do bebê. Eles então realizaram buscas na casa e encontraram a cabeça da criança dentro do saco plástico. Renata foi detida ainda na tarde de ontem.



(Foto: Reprodução) 


Em depoimento, Renata contou que matou a filha porque estava com descontrole emocional e sem condições de criar a filha. Segundo ela, o pai da criança, que também mora em Porto Seguro, se separou dela quando descobriu a gravidez.

Ela disse ainda que ele nunca deu nenhum tipo de apoio e estava insistindo para que o relacionamento fosse reatado. "Ela disse que toda a situação a deixou muito nervosa, por isso ela resolveu tirar a vida da criança. Mas em momento nenhum ela demonstrou arrependimento", disse a delegada Valéria. Na tarde desta terça, Renata foi apresentada a Justiça que, segundo a Polícia Civil, deverá decretar a prisão preventiva dela.

Jovem é encontrada morta após fazer aborto em clínica clandestina


A 21ª DP (Bonsucesso) investiga a morte de uma jovem de 28 anos, ocorrida após ela fazer um aborto numa clínica na Zona Norte do Rio. O corpo de Caroline de Souza Carneiro, de 28 anos, foi encontrado na Rua Joaquim Ottoni, no bairro Senhor do Bonfim, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Duas pessoas estão sendo ouvidas na 21ª DP. Já o namorado da vítima é ouvido pela polícia em Paraíba do Sul, município no Centro Fluminense, cidade onde Caroline morava com a família.



— Ela saiu de casa no dia 19 para fazer uma cirurgia de aborto. A cirurgia foi combinada por ela e pelo namorado. O corpo foi encontrado na noite do mesmo dia em Duque de Caxias — disse Wellington Vieira, delegado-titular da 21ª DP.

Segundo o namorado da jovem, Caroline saiu de casa na madrugada de sexta-feira, em Paraíba do Sul, e chegou na rodoviária do Rio por volta das 7h. Ela disse que deveria ser procurada em uma casa de repouso, na Rua Ana Nery, no bairro de Benfica, na Zona Norte. Ela estava grávida há 5 meses, porém a família não sabia sobre a gestação.

Após o namorado avisar a família, um primo veio ao Rio procurar a jovem. Ele foi no endereço indicado pela jovem e confirmou que haviam pessoas que faziam parte da clínica no local. A Polícia Civil foi ao endereço e os agentes descobriram que o proprietário do imóvel é um homem que foi preso em 2013 por aborto, porém foi solto. O prédio onde as cirurgias eram realizadas fica a aproximadamente um quilômetro do imóvel.

O dono do clínica foi preso em 2013 por aborto Foto: Reprodução



O corpo de Caroline foi encontrado com um corte na barriga, o que levou a polícia a concluir que ela morreu em decorrência da cirurgia. Os integrantes da quadrilha vão responder por homicídio, formação de quadrilha e ocultação de cadáver.

Material apreendido pela polícia Foto: Reprodução



A jovem foi enterrada nesta segunda-feira, em Paraíba do Sul.

Jovem estava grávida de 5 meses Foto: Reprodução



Outros casos

Abortos clandestinos provocaram as mortes de pelo menos outras duas mulheres no Rio em 2014. Em agosto daquele ano, Jandira Magdalena dos Santos Cruz, de 27 anos, esteve numa clínica em Campo Grande, na Zona Oeste da capital, para fazer o procedimento. O corpo dela foi encontrado carbonizado dias depois em Mangaratiba, no Sul Fluminense. No ano passado, a Justiça determinou que os responsáveis pela morte e ocultação de cadáver fossem levados a júri popular.

Em setembro, Elizângela Barbosa, de 32 anos, morreu após fazer um aborto numa casa no bairro do Sapê, em Niterói, na Região Metropolitana. O caso foi investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, que descobriu que a mulher deu entrada já morta no Hospital estadual Azevedo Lima, ainda em Niterói.

Lewandowski nega pedido da defesa de Dilma para anular votação da pronúncia Decisão mantém início do julgamento para a próxima quinta-feira



BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, decidiu nesta terça-feira negar recurso da presidente afastada Dilma Rousseff que visava anular a votação da pronúncia no processo de impeachment. A decisão mantém o início do julgamento para a próxima quinta-feira (25).

Em um documento de 37 páginas, Lewandowski aborda diversos questionamentos feitos pela defesa e decide “não conhecer” do recurso. O presidente do STF ressalta que não cabe à Corte analisar decisões sobre o mérito do processo.

“A Constituição de 1998, como se sabe, reservou ao STF um papel sui generis nesse processo, que apresenta simultaneamente um cunho jurídico e outro político. Não lhe atribuiu qualquer competência de natureza recursal em face de decisões tomadas pelo Parlamento, onde o julgamento começa, prossegue e termina”, diz Lewandowski.

O presidente do STF, porém, vai além e afirma não ter encontrado nas questões levantadas pela defesa nada que justificasse a revisão da decisão dos senadores.

“Com efeito, não vislumbro nenhuma nulidade na decisão de pronúncia proferida pelo Senado Federal”, afirmou.

Lewandowski afirma que o fato de as preliminares terem sido votadas em bloco não causaram “prejuízo” à defesa e ressalta que a votação ocorreu desta forma por decisão da própria bancada do PT que fez o destaque reunindo os questionamentos. Ele ressaltou que em seu relatório o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) rejeitou as preliminares justificando individualmente os motivos. Lewandowski observou ainda ser recorrente também no Judiciário a votação em bloco de preliminares.

O presidente do STF rejeitou ainda outro pedido da defesa, de absolvição sumária. Ele ressaltou que cabe aos senadores fazer o julgamento e que a manifestação pela pronúncia já rechaça essa hipótese.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Com medo de morrer, maratonista etíope, medalha de prata na Rio-2016, pede asilo ao Brasil


O maratonista etíope Feyisa Lilesa, medalha de prata na Olimpíada, pediu hoje à Polícia Federal asilo ao Brasil.

Lilesa justificou o pedido: tem medo de morrer se retornar à Etiópia, depois de ter feito ontem na reta de chegada o gesto de cruzar os braços e pôr as mãos acima da cabeça. Era um protesto contra o governo do presidente Mulatu Teshome.

A PF ainda não deu resposta. Motivo: na verdade, Lilesa quer refúgio nos EUA.

Fez o pedido na Superintendência da PF do Rio de Janeiro para ganhar tempo. O delegado que o atendeu explicou que ele ainda pode ficar de forma regular mais 70 dias no Brasil.

Lilesa decidiu, então, esperar a chegada de um amigo etíope, prevista para amanhã. Ele trará os documentos que servirão para que seja pedido refúgio, asilo ou visto permanente para o corredor no Consulado dos EUA no Rio.

Por ouro, cada jogador vai receber cerca de R$ 500 mil em premiação



Valeu – e muito – o ouro para a seleção brasileira. Fora a oportunidade de ter conquistado um título inédito, cada um dos 18 atletas da campanha vai receber cerca de R$ 500 mil em premiação da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). 

O total pago pela entidade será de aproximadamente R$ 12 milhões – ou seja, quase R$ 3 milhões seriam divididos pela comissão técnica. A informação foi divulgada inicialmente pela “Folha” e confirmada pelo GloboEsporte.com nesta segunda-feira.

Cada jogador vai receber cerca de R$ 500 mil em premiação pela medalha de ouro (Foto: Reuters)



A diferença é considerável para atletas de outras modalidades. O COB (Comitê Olímpico Brasileiro) decidiu por uma premiação de R$ 35 mil aos brasileiros que subissem ao pódio individualmente, sem restrição à cor da medalha. Nos esportes coletivos, a remuneração é de R$ 17,5 mil, metade. O pagamento será feito via patrocinadores.

A seleção brasileira de futebol masculino conquistou a medalha de ouro no último sábado ao derrotar a Alemanha, por 5 a 4, nos pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo normal e prorrogação. O Time Brasil terminou sua participação na Olimpíada com 19 medalhas – sete de ouro, seis de prata e seis de bronze.

Prata na Rio 2016 leiloa medalha na web para ajudar menino com câncer

Piotr Malachowski medalha de prata no arremesso de disco (Foto: Reuters)Essa é a segunda medalha de prata de Piotr Malachowski (Foto: Reuters)


O polonês Piotr Malachowsk resolveu fazer uma boa ação com a medalha de prata que conquistou no arremesso de disco da Rio 2016 no último dia 13. Sensibilizado com a história de um menino sem recursos para tratar um câncer no olho, o atleta está leiloando o prêmio. Em sua conta no Facebook, ele explicou que foi procurado pela mãe de Olek logo após a conquista e que, já que não conseguiu o ouro, está tentando fazer sua prata aumentar de valor para quem precisa. O atleta disse ainda que todo dinheiro arrecadado com o leilão, que vai até o dia 26 de agosto, será investido no tratamento do pequeno em Nova York. Até o momento, o maior lance dado pela medalha de Malachowsk, que também conquistou o segundo lugar em Pequim, chega a pouco mais de R$ 60 mil.


- Ganhar uma medalha olímpica para um atleta é realizar um sonho de vida. Claro, a de ouro é a mais preciosa. Eu fiz tudo que estava ao meu alcance para obtê-la. Infelizmente desta vez não tive sucesso. No entanto, o destino me deu uma chance de aumentar o valor da minha prata.
Pouco tempo depois da competição, Goshia, mãe de Olek, escreveu para mim pedindo ajuda para salvar seu filho. Olek tem quase dois anos e está lutando contra um câncer no olho durante mais da metade de sua vida. O retinoblastoma é um tumor maligno do olho, que só ocorre em crianças com menos de 5 anos de idade. Na Polônia, não há chance de salvar Olek. A única possibilidade é a terapia em Nova York. Eu decidi ajudar Olek e enviei a medalha do Rio para o leilão. Todo o valor arrecadado no leilão será gasto com o tratamento de Olek. Eu também quero incentivar todas as pessoas de boa vontade a pagar ou depositar dinheiro na conta, enviar mensagens de texto e ajuda de qualquer maneira possível. Vamos ajudar os pais e a família de Olek. No Rio, eu lutei para ter o ouro. Hoje, faço um apelo a todos para algo que é ainda mais valioso. A saúde deste menino fantástico. É por isso que eu convido todos vocês para o leilão. Se você ajudar, minha prata pode ser mais valiosa do que o ouro para Olek - escreveu.
Piotr Malachowsk postagem de leilão da medalha (Foto: Reprodução)Piotr Malachowsk postou apelo em sua conta no Facebook (Foto: Reprodução)

NÃO PODEMOS NOS OMITIR DE UMA ELEIÇÃO TÃO IMPORTANTE COMO ESTA



Eu venho agradecer a todos pelo carinho por nos receber nas comunidades, esse é o reconhecimento que o povo tem por quem faz o bem. Em todo tempo as pessoas tem recebido com muita tristeza a notícia de que estamos fora do processo político dessas eleições, essa decisão também tem nos entristecido muito, mas não tivemos outra alternativa. Um reino divido não chegar a lugar algum. A maioria dos candidatos estão com dificuldades de conquistar o eleitor, principalmente dessas comunidades que foram abandonadas pelo poder público. Eu costumo dizer que a diferença do político para o mendigo é que o mendigo pede para não morrer de fome e o político para não morrer nas urnas. Sabemos que o voto vem por serviços prestados ou um favor merecido, por isso que a campanha de alguns tem um custo alto, pois só procuram o eleitor para saciar o desejo de assumir um cargo público para auto se beneficiar. Estamos fora desse pleito mas vamos apoiar alguém, pois não podemos nos omitir de ter uma participação de uma eleição tão importante quanto esta que trata-se do futuro da nossa Ilhéus. Quero dizer para os amigos e aqueles que nos apoiam e sempre acreditaram e acreditam em nossa trajetória, que escolheremos o que pensamos ser melhor para todos nós. Até terça-feira estaremos anunciando o nosso candidato a prefeito.  Já ouvir a maioria deles e estamos certo de que escolheremos o rumo certo.

Cliente que encontrou aranha em sanduíche do McDonald's é indenizada em R$ 10 mil

Uma loja do McDonald's em Fortaleza foi obrigada a pagar R$ 10 mil de indenização para um aposentada que encontrou uma aranha dentro de um sanduíche.

De acordo com decisão do Tribunal de Justiça do Ceará, assinada pelo desembargador Francisco Bezerra Cavalcante, a cliente “ao encontrar o inseto no sanduíche que estava degustando, seguramente experimentou severo dissabor, náuseas e grave sentimento de repulsa, estando configurada, por conseguinte, a ocorrência dos danos morais, o que impõe a devida indenização”.

Na ocasião, o gerente da lanchonete propôs a troca do produto, mas a cliente recusou. Ela registrou boletim de ocorrência e encaminhou o sanduíche para análise do laboratório da Secretaria de Saúde do Ceará. O laboratório constatou a presença da aranha no alimento.

A cliente ajuizou a ação na Justiça alegando que poderia ter contraído uma doença, além de ter sofrido constrangimento em público. 

A empresa contestou a versão da cliente e pediu improcedência da ação depois de argumentar que a confecção do produto e das matérias-primas passam por rigoroso controle de segurança e higienização, sendo improvável o ingresso de um corpo estranho no alimento. o pedido foi negado pela Justiça e, agora, a empresa terá de indenizar a cliente em R$ 10 mil, atualizado com juros monetários.



Torcedor acusa ator Murilo Rosa de vender ingressos falsos para jogo do Brasil

Um torcedor acusou o ator Murilo Rosa de vender ingressos falsos para a final do futebol masculino da Olimpíada, entre Brasil e Alemanha, no Maracanã. Segundo o torcedor, que também é advogado, o ator cobrou R$ 1,5 mil por dois bilhetes para o jogo. Cada ingresso tinha impresso o valor de R$ 700. Após comprar os bilhetes do ator, o advogado e seu filho, de 12 anos, foram barrados na porta do estádio na noite de sábado (20). O caso foi registrado na 18ª DP como estelionato.

O ator Murilo Rosa afirmou que também foi enganado e não sabia que os ingressos eram falsos. Ele havia comprado os bilhetes de um desconhecido na porta do estádio, mas decidiu vender depois que percebeu que os assentos não eram um ao lado do outro e os dois ficariam distantes. 

"Meu filho tinha o sonho de ver a seleção de perto e, mesmo sem ingresso, fomos até o Maracanã tentar comprar alguma entrada. Estávamos na fila do portão B, quando me disseram que o ator estava vendendo ingressos. Fui até lá. Ele estava com a mulher e disse que tinha comprado cada ingresso por R$ 1 mil. Disse que só tinha R$ 1,5 mil e ele aceitou. Só comprei dele porque ele é um ator famoso, passa credibilidade. Quando chegamos na porta, fomos barrados. Disseram que era falsos. Não deu para acreditar. Em vez de ver o jogo, passamos horas na delegacia", desabafou o advogado, que não quis se identificar e é natural de Cuiabá, ao jornal Extra.

De acordo com o ator, ele comprou os ingressos por R$ 2 mil no Parque Olímpico, nas mãos de um rapaz "bem apessoado". Ainda segundo ele, o contato teria sido passado por um parente. "Só me pareceu um pouco afoito, mas estava com a mulher. Então comprei [...] Nunca ia imaginar que os ingressos eram falsos", disse. 


Os ingressos foram entregues pelo advogado na delegacia e passarão por uma perícia. Um inquérito já foi aberto pela Polícia Civil para investigar o caso.

Brasil tem melhor desempenho da história, mas não atinge meta de medalhas

Foram 19 pódios para o Brasil nos Jogos Olímpicos, um recorde na história do país. Mas o número de medalhas não foi o necessário para se chegar à meta estabelecida pelo governo e pelo Comitê Olímpico do Brasil, de ficar entre os 10 primeiros países no ranking de total de medalhas.

Em 2012, quando foi estabelecido pelo governo o Plano Brasil Medalhas, a meta era investimento de R$ 1 bilhão de recursos públicos em bolsas para atletas, investimento em equipes técnicas e participação em torneios internacionais e também na construção de centros de treinamentos.

O Brasil terminou os Jogos do Rio em 13º no ranking com total de medalhas. Com sete ouros, o país bateu o recorde de Atenas 2004, quando foram conquistadas cinco medalhas. Ainda superou o número de medalhas de prata, com seis conquistas.

Incentivos aos atletas
Nos Jogos do Rio 2016, 358 dos 465 dos atletas brasileiros (77%) receberam apoios diretos do governo com o Bolsa Atleta. Para os esportistas, foram estabelecidas quatro tipo de bolsas: nacional (R$ 925 mensais), internacional (R$ 1.850), olímpica (R$ 3.100) e pódio (R$ 5 mil a R$ 15 mil). Cada bolsa é definida de acordo com os resultados dos atletas. Em 2016, está previsto o gasto de R$ 80 milhões para este benefício.

Além deste incentivo, 145 atletas que estiveram nos Jogos também eram apoiados pelo Programa Atletas de Alto Rendimento das Forças Armadas, que incorporou esportistas em destaques como 3º sargento temporário nas três forças, com soldo de R$ 3.200 reais. Esses atletas conquistaram 14 medalhas na Rio 2016. Em 2016, o programa tem previsão orçamentária de R$ 43 milhões.

Confira os investimentos públicos nos medalhistas brasileiros da Rio 2016 e nos seus respectivos esportes:

Canoagem de velocidade
A grande surpresa dos Jogos foi o canoísta de velocidade Isaquias Querioz com três medalhas (duas pratas e um bronze). Isaquias recebeu Bolsa Atleta durante todo o ciclo olímpico, não sendo atleta militar. Erlon Silva, companheiro de prata de Isaquias na C2 de 1000 metros, também recebeu a Bolsa Atleta durante os últimos cinco anos. Segundo o Ministério do Esporte, a a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) recebeu R$ 2,1 milhões para estruturação de centros de treinamento pelo país, além de mais de R$ 6 milhões em bolsas para atletas da modalidade.



(Foto: Agência Brasil)


Judô
O esporte que mais medalhas trouxe ao país, o judô também foi apoiado ao longo do ciclo olímpico com mais de R$ 50 milhões em convênios com Ministério do Esporte. Todos os atletas da equipe que disputou os jogos ainda são apoiados pelas Forças Armadas, os homens pelo Exército e as mulheres pela Marinha. Rafaela Silva, medalha de ouro no Rio 2016, Mayra Aguiar e Rafael Silva, medalhas de bronze, receberam a Bolsa Atleta pódio durante todo o ciclo olímpico.



(Foto: Agência Brasil)

Ginástica Artística
A ginástica artística também trouxe três medalhas para o país. Diego Hypolito, prata no solo, também recebeu a Bolsa Atleta durante o ciclo olímpico. Arthur Zanetti, prata nas argolas, e Arthur Nory, bronze no solo, receberam o apoio de bolsa durante quase todo o ciclo, com exceção de 2013. Do total de recursos repassados pelo Ministério do Esporte, a Confederação de Ginástica, federações, clubes e atletas receberam cerca de R$ 29 milhões.



(Foto: Agência Brasil)



Atletismo
O atletismo foi um dos esporte que mais recursos recebeu do governo federal nos últimos anos. Só com criação e reformas de pistas oficiais foram investidos R$ 300 milhões. Além de mais de R$ 50 milhões em convênios para a manutenção de centros nacionais de atletismo, R$ 28 milhões foram para bolsas para atletas entre 2012 e 2015. Thiago Braz, ouro no salto com vara, além do apoio da Aeronáutica, recebeu o Bolsa Atleta durante todo o ciclo olímpico, com exceção de 2013.



(Foto: Agência Brasil)

Boxe
O boxe acabou sendo uma das categorias que menos recebeu recursos federais. Desde 2010, o esporte recebeu menos de R$ 1 milhão. Mas os atletas acabaram amparados pelo Bolsa Atleta, com R$ 9 milhões em bolsas. Robson Conceição, ouro na categoria até 60 kg, também é terceiro sargento da Marinha e recebeu apoio da bolsa em todo ciclo olímpico.



(Foto: Agência Brasil)

Vela
A dupla Kahena Kunze e Martine Grael, ouro na classe 49er FX da vela, terceiras sargentas da Marinha, receberam apoio durante quatro anos do último ciclo olímpico. A vela, segundo esporte que mais conquistou medalhas para o Brasil, recebeu investimento do Ministério dos Esporte apenas em bolsas para mais de 600 atletas, somando R$ 13 milhões.



(Foto: Agência Brasil)




Vôlei de quadra e de praia
O vôlei é um dos principais esportes do país, trazendo na história 23 medalhas olímpicas nas modalidades de quadra e de praia. Desde 2010, diversos convênios entre Ministério do Esporte e a Confederação Brasileira de Vôlei permitiram a estruturação da modalidade no país, com investimentos de R$ 48 milhões. Em bolsas atletas, foram desembolsados R$ 8 milhões para duplas de praia e R$15,5 milhões para os jogadores de quadra.



As duplas Alison e Bruno - ouro na praia - e Agatha e Bárbara - prata no feminino - além de sargentos da Marinha, recebem o bolsa atleta desde 2013. Dos 12 integrantes da equipe masculina que conquistou o ouro no vôlei de quadra, dez receberam apoio da bolsa atleta em algum momento do ciclo olímpico.


Tiro Esportivo
O primeiro medalhista brasileiro nos Jogos do Rio, o atirador Felipe Wu é sargento do Exército e apoiado pela bolsa atleta desde 2012. Cerca de R$ 9 milhões foram executados em convênios para o desenvolvimento da modalidade no país. Além do aporte de mais de R$ 13 milhões em bolsas atletas durante o período olímpico.



(Foto: Agência Brasil)


Maratonas Aquáticas
Poliana Okimoto, bronze na Rio 2016, é terceira sargenta do Exército e também apoiada pela Bolsa Atleta desde 2012. Para os atletas da maratona aquática, foram desembolsados mais de R$ 2 milhões. Não há especificações para convênios diretamente para a modalidade, o ministério informou que Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) recebeu, desde 2010, mais de R$ 15 milhões para investimentos na natação, maratonas aquáticas, nado sincronizado, saltos ornamentais e polo aquático.



(Foto: Agência Brasil)

Taekwondo
A Confederação Brasileira de Taekwondo recebeu em convênio com Ministério do Esporte R$ 3 milhões. Com o Bolsa Atleta, o aporte na modalidade foi de R$ 11,6 milhões. Maicon Andrade, bronze na categoria acima de 80 kg, recebe o benefício desde 2014, sendo ainda terceiro sargento da Aeronáutica.



Futebol
A seleção masculina ganhou pela primeira vez o ouro olímpico. O esporte que na categoria masculina é o mais profissional no país, ao contrário do feminino, que mesmo sofrendo do amadorismo, chegou em quarto lugar na Rio 2016. Somente a modalidade feminina recebe apoio do governo federal, recebendo recursos de patrocínio de estatais e de leis de incentivo ao esporte, além de R$ 9 milhões em bolsas atletas.

Cinco mulheres são assassinadas durante o fim de semana no RN


Maria do Socorro Morais, esfaqueada em São João do Sabugi, tinha 37 anos  (Foto: Arquivo Pessoal)Maria do Socorro Morais, esfaqueada em São
João do Sabugi, tinha 37 anos
(Foto: Arquivo Pessoal)
Cinco mulheres foram assassinadas durante este final de semana no Rio Grande do Norte. Em NatalSão José de Mipibu, Parnamirim eSão João do Sabugi, as vítimas foram mortas na madrugada deste domingo (21). Na região Oeste, uma doméstica que havia sido baleada na quarta-feira (17) em Governador Dix-Sept Rosado não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada do sábado (20) no Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró.
Com mais estes cinco casos, chega a 11 o número de mulheres mortas nos últimos onze dias no estado. A maioria, vítima de feminicídio – que é quando uma pessoa é morta pela condição de ser do sexo feminino.
Domingo
Em Natal, Roberta Nogueira da Silva, de 35 anos, foi encontrada morta no meio de uma rua no bairro Pajuçara, na Zona Norte da cidade. Policiais do 4º Batalhão relataram que a mulher foi encontrada na rua Castelo Branco, por volta das 4h deste domingo, e que ela tinha perfurações nas costas. Também há informações de que a vítima teria sido jogada de um carro em movimento.
Em São José de Mipibu, uma mulher também ainda não identificada foi morta a facadas dentro de um condomínio na comunidade Pau Brasil.Em Parnamirim, o corpo de Emília Miranda da Silva, de 29 anos, foi encontrado por volta das 4h. Estava na rua Dom João, no bairro de Santos Reis. A polícia disse que ela foi morta a pauladas, mas que não tem pistas dos criminosos.
Já em São João do Sabugi, também nesta madrugada, a vítima foi uma comerciante autônoma de 37 anos. Maria do Socorro Morais estava em casa com o atual companheiro quando o ex-marido dela arrombou a porta, invadiu a residência e atacou o casal com goles de faca. Ferida no peito e em um dos braços, Maria foi socorrida para um hospital em Caicó, onde morreu por volta das 9h. O assassino fugiu. O companheiro da vítima, que também foi esfaqueado, permanece internado. Segundo o sargento Adriano Azevedo, o estado de saúde do homem é grave, mas estável. “Ainda fizemos buscas pelo criminoso, mas ele conseguiu fugir”, acrescentou. Ainda de acordo com o sargento, a faca usada no crime foi apreendida.
Antônia Edinete de Oliveira tinha 37 anos (Foto: Arquivo Pessoal)Antônia Edinete de Oliveira tinha 37 anos
(Foto: Arquivo Pessoal)























Sábado
No sábado (20), a vítima foi a empregada doméstica Antônia Edinete de Oliveira, de 37 anos. Ela morreu no Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, onde tentava se recuperar dos tiros que sofrera na última quarta-feira (17) na cidade de Governador Dix-Sept Rosado. O irmão dela, que tem 35 anos, também foi alvo dos disparos. Ele continua hospitalizado. A polícia ainda não tem pista dos criminosos.

Edinete e o irmão foram baleados quando chegavam em casa, no Sítio Ipueira. Os assassinos são dois homens que chegaram à comunidade de moto, obrigaram as vítimas a ficarem de costas e atiraram. Segundo a Polícia Militar, não houve anúncio de assalto.
Os irmãos receberam os primeiros atendimentos médicos em uma unidade de saúde do município. Em razão da gravidade dos ferimentos, foram transferidos para Mossoró.
Ana D’ávila Gomes de Oliveira (Foto: Arquivo Pessoal)Ana D’ávila Gomes de Oliveira
(Foto: Arquivo Pessoal)
Outros casos
A primeira das onze vítimas foi a técnica em enfermagem Ana D'Ávila Gomes de Oliveira, de 47 anos, esfaqueada dentro de casa. O crime aconteceu no dia 10, na cidade de Santa Cruz. Ela trabalhava como socorrista do Samu. Ana ainda foi socorrida, mas morreu ao chegar ao hospital. Apontado como responsável pelo crime, o ex-companheiro dela fugiu. Porém, misteriosamente, apareceu morto dois dias depois. O corpo de Josinaldo Gomes da Silva, mais conhecido como ‘Vaqueiro’, foi encontrado na zona rural de Lajes Pintadas, a 130 quilômetros da capital. De acordo com o delegado Silva Júnior, o cadáver tinha marcas de dois tiros no peito. Uma pistola foi encontrada ao lado do corpo. O delegado solicitou perícia, mas afirmou que existem indícios de suicídio. A polícia acredita que Josinaldo matou a ex-companheira porque ela não aceitava retomar o relacionamento.

Ainda no dia 10, e também a facadas, foi morta a dona de casa Josefa Ferreira da Silva, de 41 anos. O crime aconteceu na cidade de São Rafael, no Oeste potiguar. De acordo com a Polícia Militar, Josefa foi assassinada na frente dos quatro filhos. O marido da vítima, um pescador de 46 anos, foi preso em flagrante. Ainda segundo a polícia, o casal discutiu na frente dos filhos. "Eles costumavam beber muito e discutir. O marido disse que Josefa o agredia e vice-versa", informou o sargento Agenor Batista dos Santos, comandante do destacamento da cidade.
Mykaella Ruanna foi morta com 5 tiros na cabeça  (Foto: Arquivo pessoal)Mykaella Ruanna foi morta com 5 tiros na cabeça
(Foto: Arquivo pessoal)
Na noite da quinta-feira (11), a vítima foi a diarista Mykaella Ruanna Pereira Fagundes, de 21 anos. Ela foi morta a tiros em frente a uma academia no bairro das Rocas, na Zona Leste de Natal. A Polícia Militar informou que ela estava conversando com uma amiga quando foi baleada na cabeça. O ex-namorado dela, que é presidiário, é suspeito de ser o mandante do crime. Segundo a PM, um carro prata se aproximou e um homem que estava no banco do passageiro atirou. A amiga não foi atingida. A mãe da jovem contou que a filha havia terminado recentemente com o namorado. O detento teria ligado para Mykaella para avisar que um amigo a procuraria para entregar um dinheiro para o filho do casal, que tem 3 anos. Na hora marcada do encontro, ela foi morta.
Franciscris Silva Fernandes (Foto: Arquivo Pessoal)Franciscris Silva Fernandes (Foto: Arquivo Pessoal)
O quarto caso foi o da dona de casa Franciscris Silva Fernandes, de 24 anos. Ela foi esfaqueada pelo próprio companheiro, crime ocorrido no sábado passado, dia 13, em Mossoró. A mulher foi levada para o Hospital Regional Tarcísio Maia e submetida a uma cirurgia, mas não resistiu ao ferimento e faleceu na madrugada do domingo (14). O companheiro da vítima se apresentou à polícia na terça-feira (16). Alberto Sinésio de Melo, de 41 anos, disse que agiu em legítima defesa, já que a mulher teria tentado esfaqueá-lo durante a discussão. Após ser ouvido, foi liberado. "Com o mandado expedido na quarta, fomos à residência da família dele na manhã da quinta, em Tibau, e o prendemos. Ele agora vai responder pelo crime de feminicídio com os agravantes de ter assassinado a companheira por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima.
O quinto caso foi o da jovem Naiara Régia Noemi da Silva, de 18 anos, morta a tiros no dia 16. O crime aconteceu no bairro Nossa Senhora da Apresentação, na Zona Norte de Natal. De acordo com informações da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a mulher foi morta com 7 tiros. O ex-companheiro da vítima seria o autor dos disparos.
Já na madrugada da quinta-feira (18), em Macaíba, cidade da Grande Natal, o alvo foi a paraibanaAndreza Diana de Freitas, de 21 anos, baleada na cabeça. O crime aconteceu pouco depois da meia-noite na rua Luiz Gonzaga, no Ferreiro Torto. Ao lado do corpo, ficaram as sandálias, a bolsa da vítima e uma latinha de cerveja. Ainda não há informações sobre os assassinos nem sobre a motivação do crime
.

domingo, 21 de agosto de 2016

Cinco são mortos em chacina na cidade de Feira de Santana


Cinco homens, ainda não identificados, foram mortos a tiros na madrugada deste domingo (21) no bairro Pedra do Descanso, em Feira de Santana, cidade a cerca de 100 km de Salvador. A Polícia Civil confirmou o crime e informou que a suspeita é de que o caso esteja relacionado com o tráfico de drogas.

Dois imóveis do bairro foram alvos de tiros e as marcas podem ser vistas nas paredes e portões das casas. Parte das telhas e a porta de um dos imóveis foram danificadas. Segundo moradores, o grupo que atirou nas vítimas jogou uma dinamite na entrada da casa.

Não há detalhes de quantas pessoas participaram da ação. A polícia investiga o crime, mas acredita que sete rapazes foram comprar drogas na localidade também conhecida como Portelinha. No momento do tiroteio, dois fugiram e cinco podem ter sido mortos por engano.

As investigações ainda apontam um rapaz de 24 anos como principal alvo dos atiradores. Ele foi atingido no abdômen e está internado no Hospital Clériston Andrade, em Feira de Santana. Não há detalhes do estado de saúde dele.
Marca de tiros no portão de uma das casas em Feira de Santana, na Bahia (Foto: Ney Silva/Site Acorda Cidade)
Telhado de uma casas foi danificado durante a ação em Feira de Santana (Foto: Ney Silva/Site Acorda Cidade)

Cúpula da CBF discute extinção de seleção permanente de futebol feminino

O desempenho do futebol feminino no torneio olímpico pode ter um impacto ainda maior para o esporte no país do que ter terminado sem medalha. Há gente muito influente na entidade defendendo uma revisão, após a Rio 2016, do custeio de uma seleção permanente, com a CBF pagando mensalmente as jogadoras. Um dos figurões da entidade, em conversa informal com o blog, não viu vantagens para a confederação em manter o modelo e fez a seguinte leitura: o resultado não veio, elogios pela iniciativa também não, e sobrou apenas a conta para pagar. O desempenho do coordenador Marco Aurélio Cunha, no entanto, é bem avaliado internamente.

A tendência é de que o trabalho de monitoramento e desenvolvimento do esporte continue - nos últimos dois anos centenas de atletas no Brasil e no exterior foram observadas -, mas o conceito de seleção permanente está no cadafalso. Disse o dirigente que apesar dos esforços o futebol feminino não "pega" no Brasil - embora muita gente tenha se empolgado com o desempenho inicial da seleção feminina, especialmente enquanto a masculina sofria na primeira fase olímpica. Certo é que nos próximos dias esse tema será discutido.

Um ponto é bastante sensível: a Fifa, com quem a relação de Marco Polo del Nero pode azedar a qualquer momento por conta de uma investigação do Comitê de Ética iniciada em novembro do ano passado, tem como uma das suas bandeiras o desenvolvimento do futebol feminino - e dá alguns recursos à CBF com este fim. O novo presidente, Gianni Infantino, promoveu a entrada de mais mulheres no Conselho - ex-Comitê Executivo - e deu a uma mulher a secretaria-geral, o segundo cargo na hierarquia da entidade. A extinção do modelo de seleção permanente, uma peculiaridade do esporte no Brasil, pode não inspirar muita simpatia em Zurique.

Infantino visitou a CBF recentemente. Há quem diga que foi vítima de uma armadilha política de Del Nero e não ficou nada satisfeito em participar da reunião na sede da entidade. Mas os caciques da CBF negam a história com veemência. De qualquer forma, como já ficou claro quando a Fifa tentou punir Del Nero com devolução de verbas da entidade - e depois voltou atrás por pressão da CBF por não haver condenação -, a relação entre as entidades depois dos escândalos de 2015 é instável. 

O panorama para o futebol feminino brasileiro, sem competições realmente fortes e apoio efetivo para boa parte das atletas fora da seleção, é incerto.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Homem que obrigava mulheres a se prostituir era procurado em São Paulo

Policiais da Delegacia de Araraquara, no interior de São Paulo, contataram a polícia baiana nesta quarta-feira (17) para informar que uma adolescente da cidade também foi vítima de Dário Andrade Salomão, 27 anos. O homem foi preso nesta segunda-feira (15) acusado de estuprar, chantagear e obrigar mulheres a se prostituir. Ele atraía as vítimas com falsas promessas de emprego.

A adolescente contou aos investigadores que conheceu o homem através do facebook. A idade dela não foi divulgada. Segundo a titular da 16ª Delegacia (Pituba), Maria Selma Lima, responsável pela investigação do caso, Dario usou uma página falsa para se aproximar da vítima. 



Dario Salomão, 27, durante apresentação na sede da Polícia Civil
(Foto: Evandro Veiga/ CORREIO)



"Ele criou uma página com o nome de uma mulher. A tática foi similar a que ele usou aqui. Inventou uma proposta de emprego e convenceu a vítima a mandar fotos de lingerie pela internet. Depois, usou o material para chantagear a adolescente", contou a delegada.

A jovem contou para a mãe o que aconteceu e as duas mulheres procuraram a delegacia para registrar a queixa. A repercussão do caso na Bahia atraiu a atenção dos investigadores em São Paulo. "A delegada de Araraquara já tinha pedido a prisão dele, mas estava apenas com o prenome. Agora, ela tem a ficha completa e vamos anexar ao processo", afirmou Maria Selma.


Vítimas eram enganadas
Para cometer o crime, Dario publicava anúncios de emprego como balconistas ou atendentes para trabalhar em loja em um site. Depois, ele levava as candidatas à vaga até a vitrine de uma loja de lingerie no Itaigara, para simular que ali seria o local do emprego. Lá, uma mulher se apresentava como funcionária da loja e sugeria que a candidata fosse modelo e usasse as peças.


Em seguida, Dario levava a vítima para um hotel no centro da cidade, onde fazia a sessão de fotos dela usando a lingerie. Já com o registro das fotos, o suspeito batia na candidata e a estuprava, além de filmar o ato.


Ela usava o vídeo para ameaçar as mulheres e forçá-las a se prostituir. A maioria das vítimas eram adolescentes, entre 14 e 15 anos. Dario foi preso em casa, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. Ele foi autuado por estupro e rufianismo (favorecimento de prostituição ou outra forma de exploração sexual). 


Denúncia
Segundo a polícia, até o momento, apenas uma vítima registrou queixa na 16ª Delegacia, que deu início às investigações em junho deste ano. No entanto, no depoimento, ela relata que outras mulheres foram vítimas da mesma situação. Algumas vítimas foram ouvidas informalmente e confirmaram a versão. 


De acordo com a delegada Maria Selma, a jovem de 18 anos, que fez a primeira denúncia, teria se recusado a continuar trabalhando como prostituta e procurou a polícia depois que foi ameaçada de morte. Dário pediu R$ 7 mil à jovem para cessar as ameaças de morte à família dela. “O pai dela pegou um empréstimo e deu R$ 5 mil, ainda assim as ameaças continuaram”, informou a delegada.


O advogado da família, Ademir Sampaio, contou que tentou ajudar a cliente. “A jovem passou mais de 10 dias em minha casa porque um homem com um moto e um carro de cor escura passavam constantemente em frente à casa da família. Até hoje, o pai dela vende rifa para pagar o empréstimo”, disse.


Apresentado à imprensa, na sede da Polícia Civil, na Piedade, Dário se manteve calado na maior parte do tempo. A exceção foi quando questionado sobre os estupros. “Manda a delegada mandar os vídeos para vocês para ver se teve estupro”, disse o acusado, negando o ato criminoso.

A polícia encontrou no celular de Dário mais de 40 pastas com fotos e vídeos de mulheres diferentes, em que o acusado mantém relações sexuais com as jovens.

Universitário mata casal e devora rosto das vítimas

Um estudante norte-americano de 19 anos está sendo acusado de atacar, matar e devorar o rosto de um casal em Marty County, na Flórida. A polícia trabalha com a tese de que Austin Harrouff estava sob efeito de drogas. 

Jonh Stevens, de 59 anos, e Michelle Mishcon, de 53, foram mortos na porta de casa, com várias facadas do rapaz. De acordo com a polícia local, as vítimas não conheciam o jovem, fato que sustenta a tese de que ele teve um surto e escolheu vítimas aleatórias. 



Estudante é pego em flagrante matando casal (Foto: Reprodução)




Segundo os policiais, Harrouff já estava mordendo o rosto de John e removendo partes dele quando chegaram. Os oficiais contaram que, durante o ataque, ele apresentava “níveis anormais de força”. Foram usados choques de um teaser e até um cão da polícia para contê-lo, além de três policiais. “Nada estava funcionando. Eles estavam usando toda a força física que eles conseguiam reunir”, disse o xerife Willian Snyder. O estudante não tinha passagens pela polícia e sempre tirava boas notas na Universidade Estadual da Flórida.



O uso de drogas ainda não foi confirmado pelas autoridades, mas o rapaz apresentava vários sintomas de uma droga chamada Flakka. A substância causa agitação, psicose e agressividade, fazendo com que os usuários não consigam pensar racionalmente enquanto estão sob seu efeito.

Família atribui morte de gêmeos a dívida com ciganos: 'Não acabava nunca'

A família dos irmãos gêmeos Cezar Silvio Carvalho Santos e Silvio Cezar Carvalho Santos, 45 anos, diz que os dois foram assassinados por conta de uma dívida com ciganos. O empréstimo seria de R$ 7 mil, mas o valor a ser pago já estaria nos R$ 122 mil. "Era uma dívida que não acabava nunca", diz um parente das vítimas, que prefere não se identificar. 



Irmãos foram mortos na região da Baixa do Tubo (Foto: Reprodução)


Segundo a polícia, dois homens chegaram de moto na Rua Paraipaba, em Cosme de Farias. Um deles desceu, tirou o capacete e se passou por um cliente - Silvio, conhecido como Silvinho, era advogado e tinha escritório no local. Ele atirou várias vezes na cabeça do advogado, que foi encontrado morto no chão do escritório. Os disparos foram de calibre .40.

Ao ouvir os tiros, Cezar, o Cezinha, que estava próximo, em frente a uma vidraçaria, correu até o local. O assassino atirou nele também. O cinegrafista ainda foi socorrido até o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu aos ferimentos. O vizinho que socorreu Cezinha ainda foi seguido pelos homens na moto, mas não foi baleado.

Testemunhas disseram à delegada Marilene Lima que um Palio azul estava na saída da rua, aparentando dar cobertura aos homens na moto. 

Muito unidos, Silvinho e Cezinha eram os mais velhos de uma família de 10 - sete homens e 3 mulheres. Um irmão deles, Jailton, está preso desde 2014 acusado de matar um cigano na BR-324. A família diz que os crimes de hoje têm relação com o caso - a polícia não confirma e diz que ainda está investigando. Comerciante, Jailton assassinou o cigano Jair Ferraz de Almeida, 42, para tentar se livrar de uma dívida. Depois, três familiares dele - ex-mulher, sobrinho e filho, foram mortos. Silvinho era, inclusive, o advogado que representava o irmão diante da Justiça.

Silvinho deixa seis filhos. Cezinha tinha 6 filhos e 3 netos, o último nascido há apenas 10 dias. Ele passou recentemente seis meses trabalhando na Rede Globo em Brasília, mas estava desempregado no momento. Ele trabalhou por 15 anos na TV Bahia.

Ainda não há informação sobre sepultamento dos irmãos.



Crime aconteceu no escritório de advogado (Foto: Hilza Cordeiro/CORREIO)

Encontro de Jovens Transformadores cresce e recebe time de peso para inspirar jovens

O publicitário Nizan Guanaes e apresentador André Vasco paraticipam de evento que visa estimular jovens a pensar e criar transformações no Brasil

Nos dias 24 e 25 de setembro, a cidade de São Paulo recebe mais uma edição do Encontro de Jovens transformadores (EJT). A Universidade Presbiteriana Mackenzie receberá os participantes do evento. Pelo quarto ano consecutivo, jovens brasileiros são convidados para participar de um espaço de troca de experiências e conhecimento, sempre baseado em três momentos: Inspiração, Interação e Mão na massa. 

O momento de Inspiração começa com a escolha do time que integra os palestrantes do encontro. O embaixador do EJT 2016 é o apresentador André Vasco. Além disso, o EJT contará com a presença do publicitário Nizan Guanaes. O convidado alega que também sente-se como um jovem transformador. "Quem cria nasce todo dia", diz ele. Segundo, o cofundador do movimento, Anderson Pereira, os jovens precisam de bons exemplos e inspiração para estimulá-los a serem agentes de transformação na sociedade. "Trazemos diversas lideranças cívicas, políticas, empresariais e artísticas para compartilhar com os participantes do evento sua história de transformação na sociedade”, explica Anderson. 

Interação, a todo o momento os participantes são estimulados a interagir e em pensar em coletivo. Nesse ano, são 11 temas principais do evento: Educação, Sustentabilidade, Impacto Social, Empreendedorismo, Carreira, Propósito, Política e Gestão Pública, Saúde, Futuro, Cultura e Esporte e Cidadania Global. Nesse momento, os palestrantes convidam os jovens a participar de discussões sobre os principais desafios do Brasil em cada uma destas área e como os jovens podem se engajar para resolvê-los. ”O que você vive aqui é muito intenso. Coisas que vocês aprenderia um mês ou semanas, você aprende aqui em 2 dias”, afirma Augusto Jr participante das edições de 2013 e 2015 do EJT.

Depois dos participantes serem inspirados e interagirem com outros jovens. Eles são estimulados a criar soluções de inovação e mudança no país. Cada sala cria um ambiente para que os jovens coloquem a mão na massa para realizar projetos de transformações para o Brasil.

Sobre o Encontro de Jovens Transformadores:

Iniciativa pioneira que reúne jovens com altíssimo potencial de transformar realidades, para discutir como esta geração pode construir um país melhor. Em sua quarta edição, o EJT se consagra como o principal encontro da comunidade transformadora no Brasil e uma importante plataforma para fomentar novos projetos, conectar redes e provocar transformações reais na sociedade. Contato: rafaela@eurekaassessoria.com.br

Site: http://www.jovenstransformadores.com.br/

Com 28 anos de criado, Balé Folclórico movimenta Pelourinho

Ao completar 28 anos neste mês de agosto, o Balé Folclórico da Bahia (BFB) já se apresentou em mais de 200 cidades e 24 países, mas continua animando as noites do Pelourinho, no Centro Histórico de Salvador (CHS). O Balé se apresenta das segundas-feiras aos sábados, sempre às 20h, no casarão nº 49 da Rua Gregório de Mattos, onde está o Teatro Miguel Santana. O imóvel é de propriedade estadual sob responsabilidade do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC).

“Antes de vir para o Pelourinho, o Balé não tinha sede, não tínhamos local de apresentação fixo, apenas uma sala alugada nos Barris. Passamos a ocupar esse casarão do IPAC em 2004”, conta Walson Botelho, diretor do BFB. Vinculado à secretaria de Cultura (SecultBA), o IPAC administra cerca de 350 unidades imobiliárias no CHS, dentre as quais, a casa do Balé. O imóvel tem três pavimentos com teatro, camarim, sanitários, sala de ensaio, lojinha e cabine de som e luz. Ao fundo, existe área a céu aberto com piso em pedra portuguesa que comporta eventos, com sanitários, bar e acesso para a Ladeira do Ferrão.

OCUPAÇÃO – A ocupação dos prédios do IPAC atende estratégias urbanístico-arquitetônicas de fomento à economia local, atividades consulares, comerciais, culturais e artísticas, visando gerar dinamismo local. “A ocupação e utilização desses imóveis é muito importante, pois reflete na conservação dos mesmos, já que as edificações vazias têm maior chance de arruinamento”, afirma o chefe de gabinete do IPAC, Ivan de Souza Teixeira.

O parque imobiliário de responsabilidade do IPAC tem 226 imóveis na zona tombada do CHS e corresponde a apenas cerca de 2% do total da região. O restante de 98% dos imóveis é de propriedade da Prefeitura de Salvador, governo estadual, privados e, principalmente, irmandades e ordens religiosas da Igreja Católica. Na casa da Rua Gregório de Mattos, o BFB oferece cursos gratuitos, como o Balé Junior, projeto que tem 15 anos com aulas de balé, dança moderna, afro e ginástica rítmica para cerca de 300 crianças e adolescentes.

LIVRO – Para comemorar seus 28 anos, o Balé lança um livro no próximo dia 24 de agosto, às 20h, no Convento do Carmo, também no CHS. São 280 páginas com fotos de Marisa Vianna, Isabel Gouvêa, Vinícius Lima, Artur Ikishima, Paulo Sousa, Andrew Eccles Philip Martin e Wendell Wagner. O Balé ganhou a categoria de melhor companhia de dança do país em 1990 pelo ‘Fiat do Brasil’ e venceu o Prêmio Mambebão do Ministério da Cultura como a melhor pesquisa em cultura popular e melhor preparação técnica em 1996.

“Os artistas se mostram satisfeitos com a estrutura do Balé. É uma conquista sobreviver 28 anos no cenário brasileiro e baiano”, destaca Walson Botelho. Mais informações sobre o BFB no site www.balefolcloricodabahia.com.br. Sobre o IPAC, acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook ‘Ipacba Patrimônio’, instagram ‘@ipac.patrimônio’ e twitter ‘@ipac_ba’.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Thales Farias