segunda-feira, 30 de março de 2015

Soldado da PM-BA e esposa morrem em acidente na BR-020, em Goiás




Um soldado da Polícia Militar da Bahia e esposa morreram em acidente na BR-020, em Goiás, na manhã deste domingo (29), perto da cidade de Formosa. Segundo colegas da 30ª Companhia Independente de Polícia Militar (Santa Maria da Vitória), onde ele era lotado, o soldado Joselino Dias Pereira estava de férias e viajava com a esposa, a filha e o pai.

Segundo a PM, um caminhão baú fez uma ultrapassagem indevida e atingiu o carro do PM de frente. O veículo ainda capotou e saiu da pista. A Polícia Rodoviária Federal deteve o caminhoneiro, que foi conduzido à delegacia de Formosa.

A filha do PM e o pai tiveram ferimentos leves. Ele e a esposa no entanto não resistiram aos ferimentos. O soldado trabalhava e morava em Tabocas do Brejo Velho, área da 30ª CIPM. Ele se formou na turma de 2008 da PM.

Os corpos do PM e da esposa ainda estão em Goiás, mas devem ser transferidos para a Bahia hoje. Não há informação do enterro do casal. Em nota, a PM-BA lamenta a morte do soldado.
Carro saiu da pista depois de ser atingido por caminhão que fazia ultrapassagem
(Foto: Reprodução)

POLICIA PROCURA O ASSASSINO DE ALINE


Moça de 23 anos, identificada como Aline Miranda, foi brutalmente assassinada na cidade de Jequié, o corpo foi encontrado na noite de sábado , ela era conhecida conhecida como Manga de Elza, morava próximo ao bairro Caixa D’Água, Aline estava com a cabeça raspada, rosto desfigurado e varias perfurações à bala em todo corpo. O crime chocou a população. Foi informado pelo delegado da Polícia Civil, Cristiano Mangueira, que conduz as investigações, que a jovem estava desaparecida há dois dias. De acordo com o delegado, a família de Aline Miranda foi ouvida no sábado à noite e a suspeita é de que o crime tenha sido cometido por um traficante, que teria sido liberado recentemente do Conjunto Penal e se relacionou com a jovem.Disse que existe a possibilidade de ter sido vingança.

PROFESSOR DA UESC É BALEADO POR TRAFICANTES DE DROGAS EM ILHÉUS

O professor Paulo Sávio, da área de computação da Uesc (Universidade Estadual de Santa Cruz), foi baleado, na Sapetinga, bairro da zona sul de Ilhéus.
O atirador efetuou um disparo de revólver, que atingiu o maxilar do docente. Com o impacto, Sávio perdeu alguns dentes e foi levado para o Hospital Regional.
Após uma pequena cirurgia, ele foi encaminhado ao Hospital Calixto Midlej, em Itabuna, onde concluirá o tratamento. Segundo informações de funcionário do Regional de Ilhéus, o estado de saúde do professor é estável. Informações do Blog de Ilhéus.

SINDICATO REPUDIA DESCASO DE JABES EM RELAÇÃO À DENGUE

Imagens: SINDIACS/ACE e José Nazal/Catucadas.
O Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias do Sul da Bahia (SINDIACS/ACE) divulgou nota de repúdio ao que classifica como “descaso” e “falta de compromisso do prefeito Jabes Sousa Ribeiro em relação ao combate à epidemia de dengue” que assola Ilhéus. 

“O Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias do Sul da Bahia (SINDIACS/ACE) vem, de público, formalizar veemente repúdio ao descaso e à falta de compromisso do prefeito de Ilhéus, senhor Jabes Sousa Ribeiro, em relação ao combate à epidemia de dengue que se alastra na história cidade baiana.
O prefeito mantém uma reduzida equipe de combate às endemias (apenas 65 profissionais), que não consegue dar conta da demanda do município, além de sobrecarregar os agentes. Em 2013 o SINDIACS/ACE protocolou solicitação para ampliação do quadro de servidores no combate à dengue, porém o prefeito e o secretário de saúde não atenderam ao pedido do sindicato e às necessidades da população de Ilhéus, que desde então está exposta aos riscos da grave doença.
Desde o início do seu mandato, o prefeito Jabes Ribeiro tem dispensado um tratamento desrespeito, e até truculento, à direção do SINDIACS/ACE, recusando-se a dialogar e/ou negociar com o sindicato. Com tal comportamento, o prefeito tenta fragilizar a organização dos agentes comunitários e agentes de combate às endemias, mas também expõe de forma clara para toda a sociedade o tamanho do compromisso de sua gestão com a população de Ilhéus: nenhuma!
O SINDIACS/ACE reafirma seu compromisso com os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias de Ilhéus. Não nos curvaremos diante nenhum gestor truculento e sem compromisso com a melhoria da qualidade de vida daqueles por quem deveria zelar.”

TIROS E ASSASSINATO GERAM MEDO EM CASTELO NOVO

“Meu filho está em estado de choque”, diz morador de Castelo Novo, distrito da zona rural de Ilhéus.
Um morador do distrito de Castelo Novo, zona rural de Ilhéus, nos escreveu via WhatsApp sobre os momentos de tensão que sua comunidade viveu ontem (24).
Segundo ele, a confusão começou por volta das 17 horas “com muito tiro”. Uma pessoa ainda não identificada foi baleada e morta no início da noite, às 19 horas. “Estamos com medo dessa violência. Meu filho está em estado de choque. Até quando vamos conviver com essa situação? A gente está com medo de sair na rua e receber uma bala perdida. Acabou a paz de Castelo”.

correiodoestadobahia

Presidente da Guiné reforça alerta de emergência contra ebola por 45 dias



O alerta de emergência de saúde por causa do ebola na Guiné foi reforçado neste domingo pelo presidente Alpha Condé. O alerta permanecerá por mais 45 dias em cinco departamentos e na capital, Conacri. O presidente do país, que foi o epicentro da epidemia, lembrou aos cidadãos que desde que a emergência sanitária nacional foi declarada, em 13 de agosto de 2014, 1.880 guineanos dos 3.478 contaminados pelo vírus morreram. A epidemia de ebola foi descoberta há um ano na Guiné, de onde o vírus se propagou rapidamente para Libéria e Serra Leoa, provocando mais de 10 mil mortes nesses três países. O presidente ainda pontuou que a situação melhorou, mas que o que "ainda falta fazer é mais difícil do que o que já fizemos". Condé ainda salientou que as precauções indispensáveis contra o ebola diminuíram e estão sendo "cada vez menos seguidas". Para ele, esse tipo de negligência tem acontecido "no coração" do sistema de saúde da Guiné, em referência a um quarto de hospital e várias clínicas privadas que estavam infectadas pelo vírus. O presidente explicou que a epidemia se deslocou para o litoral do país, rumo aos departamentos de Forécariah, Coyah, Kindia, Dubréka e Boffa, uma região densamente povoada, onde o vírus é ainda mais um "risco real" para a saúde do país. A emergência sanitária será reforçada durante 45 dias, com adoção de medidas rigorosas. Poderão ser necessário adoção de medidas de confinamento e contenção para garantir o atendimento sanitário para os infectados. A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou esta semana que começou a aplicar uma vacina teste contra o ebola nos moradores de uma das áreas da Guiné mais afetadas pela epidemia, o que servirá para determinar a eficácia da droga.

'Dilma pode ser afastada por crime comum', diz ex-ministro da Justiça




Ex-ministro da Justiça no governo Fernando Henrique Cardoso, o advogado Miguel Reale Júnior afirmou, em entrevista à revista Isto É, que a presidente Dilma Rousseff (PT) pode ser afastada do cargo caso fique comprovado que teve conhecimento do esquema de corrupção que operava na Petrobras, no período em que presidiu o Conselho de Administração da estatal - diferente do que é sustentado pelo atual ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Reale explica que caso seja "enquadrada num crime comum", Dilma será processada no Supremo Tribunal Federal (STF) com a autorização da Câmara dos Deputados. "Se condenada, perderia o mandato como qualquer outro político. Resta examinar se existem elementos mostrando que ela foi omissa ou conivente ao manter a diretoria", disse o ex-ministro. Citada em depoimentos de delação premiada da Operação Lava Jato, Dilma teve os pedidos de investigação arquivados pelo Procurador Geral da Republica, Rodrigo Janot, sob a alegação de que ela não poderia ser investigada no exercício do mandato por episódios ocorridos antes de assumir o cargo de presidente. "A Constituição diz que o presidente não pode ser responsabilizado por atos estranhos às suas funções, porém atos de prevaricação – como o que ocorreu na Petrobras – não seriam estranhos à função", defendeu Reale.

Padre é afastado do sacerdócio após aparecer nu em fotos divulgadas no WhastApp


A Diocese de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, informou nesta sábado (28) o afastamento de um padre que teve fotos em que aparece nu divulgadas no WhastApp, aplicativo de troca de mensagens pela internet. De acordo com os bispos responsáveis pela Igreja local, as fotos teriam sido divulgadas por uma mulher que declarou ter se relacionado com o padre de 40 anos pelo menos três vezes através de redes sociais. "Estamos investigando a gravidade do assunto, mas apenas o ato dele ter tirado a foto já é matéria contra o mandamento da Igreja Católica, constitui crime e exige punição", afirmou o Bispado de Campos dos Goytacazes. Segundo o site G1, os moradores da cidade de Miracema, no Noroeste do Rio de Janeiro, ficaram "chocados" com as fotos, que começaram a circular na última semana.

Na Rússia, brasileira divide cela com prostituta e homicida após visto ter expirado

Na Rússia, brasileira divide cela com prostituta e homicida após visto ter expirado

Natural de São Paulo, a empresária Gisane Grillot, de 37 anos, ficou presa durante 34 dias em Kursk, no sul da Rússia, após ultrapassar em nove dias o período do visto. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo deste sábado (28), Gisane conta que dividiu a cela com uma prostituta e uma condenada por homicídio. Ela foi visitar a filha de 19 anos que estuda medicina no país e quando se dirigiu ao Aeroporto de Moscou para retornar ao Brasil foi barrada pela polícia russa. "Deram uma multa de 3.000 rublos [R$ 170] e me mandaram procurar o consulado brasileiro, dizendo que eu precisava de visto de saída", contou a empresária, que procurou os serviços do consulado, mas não obteve sucesso. Gisane foi ouvida em audiência pela Justiça da Rússia e acabou condenada com 10 dias de detenção - no 13º dia ela descobriu que não seria liberada porque tinha que receber uma cópia da sentença em português. "A juíza me fez quatro perguntas: meu nome, se eu era do Brasil, por que eu tinha atrasado e se eu tinha ciência do meu erro. [...] Tudo durou dois minutos. Ela me declarou culpada", narrou a brasileira ao jornal Folha de S. Paulo. O ministro conselheiro da Embaixada do Brasil em Moscou, Miguel Griesbach de Pereira Franco, disse que a prisão de Gisane Grillot não foi ilegal. Segundo ele, a empresária violou dois dispositivos da lei russa. Gisane conseguiu liberação após seu marido, que é advogado, fazer uma reclamação na ouvidoria do Itamaraty. No Facebook, ela agradeu o apoio de familiares e amigos e sinalizou que já está no Brasil.

Gisane Grillot se sentindo agradecida
Obrigada de coração por todas as mensagens e o carinho!!!
Não vou conseguir responder a cada um individualmente neste momento, mas foi muito bom receber todo este carinho, vocês serão sempre Especiais pra mim, apesar de tudo que aconteceu no final, tive ótimos momentos e foi muito bom conhecer cada um de vcs em Kursk.
Já estou sim no Brasil, estou bem, vou descansar este final de semana e depois prometo contar tudo o que aconteceu, com as minhas palavras, independente das entrevistas e jornais!!!
Um beijo e se cuidem!!!

Jornalista Beatriz Thielmann, da TV Globo, morre em São Paulo



A jornalista Beatriz Thielmann, da TV Globo, morreu em São Paulo neste domingo (29). A repórter tinha 63 anos e lutava contra um câncer. Ela deixa dois filhos e dois netos.

Em nota, a Rede Globo diz: "Para os colegas, a perda é irreparável. A direção da Globo ressalta que Beatriz era uma profissional brilhante e uma colega de trabalho sem igual".

Com mais de 30 anos de carreira, Beatriz Theilmann cobriu importantes momentos do país, como a promulgação da Assembleia Nacional Constituinte, em 1988, a eleição e morte de Tancredo Neves, a implantação do Plano Cruzado, a Eco-92, os Jogos Pan-Americanos e a visita do Papa Francisco ao Rio.

A primeira escolha profissional foi o curso de direito, mas, depois de dois anos, trocou pelo de jornalismo. No final de 1982, Beatriz ficou sabendo que a Globo abriria uma vaga de editor de texto. Entrou para o estágio e acumulou duas funções. Uma no jornal impresso e outra na TV. Na Globo, passou por Bom Dia Brasil, Jornal da Globo, Jornal Nacional, Globo Repórter, além da GloboNews. Cobriu diversas áreas, entre cidade, economia e política.
Beatriz Thielmann (Foto: Renato Velasco/TV Globo)Beatriz Thielmann tinha 63 anos (Foto: Renato
Velasco/TV Globo)


Beatriz Helena Monteiro da Silva Thielmann foi a primeira repórter da TV Globo a entrevistar Fidel Castro, em 1987. Ela viajou junto com o ministro das Relações Exteriores na época, Abreu Sodré, e mais uma equipe de sete jornalistas e colunistas. Era a única repórter de televisão. A jornalista também acompanhou, por quase 20 dias, uma viagem do então presidente da República, José Sarney, à União Soviética e ao Leste Europeu.

Em 2003, escreveu o livro “De mulheres para mulheres” com a médica Odilza Vidal, contando o que a medicina apresentava de novo para a vida da mulher depois dos 40 anos. Beatriz também roteirizou e dirigiu dois documentários. Um foi “O Bicho Dá. O Bicho Toma”, em 2005, a convite da ONG Renctas, que luta pela preservação dos animais silvestres. O outro foi em 2007, “Vento Bravo”, documentário sobre a história musical de Edu Lobo, que dirigiu em parceria com a jornalista Regina Zappa.

VEJA ABAIXO ALGUMAS REPORTAGENS DE BEATRIZ THIELMANN

Nova Constituição (1988)

Morte de Oscar Niemeyer (2012)

Beatriz Thielmann fala sobre a profissão de jornalista

Ex-prefeito é acusado de oferecer suborno de dentro da cadeia a vítimas



Em janeiro do ano passado, o Fantástico mostrou um caso estarrecedor. Meninas de nove a quinze anos vítimas de um grupo de pedófilos chefiado pelo então prefeito da cidade de Coari, no Amazonas. Ele foi condenado pelo crime e está preso. Nesta semana, o Ministério Público apresentou nova denúncia contra o agora ex-prefeito da cidade. Desta vez, ele é acusado de oferecer suborno e ameaçar de morte as testemunhas, de dentro da cadeia.

“Seria um valor de R$ 100 mil para cada. Ou a gente aceitava o dinheiro ou ia começar a morrer alguém da nossa família’, conta uma das vítimas.

Quem está falando é uma jovem de Coari, cidade a nove horas de barco de Manaus, no interior do Amazonas. Não é a primeira vez que ela fala ao Fantástico. Em janeiro de 2014, ela deu esse depoimento à repórter Giuliana Girardi.

“Ele me levou para o quarto e me estuprou. Eu tinha dez anos. Ele é um monstro”, disse a jovem na época.

O homem de quem a jovem fala é o ex-prefeito de Coari: Adail Pinheiro. Adail foi preso em fevereiro do ano passado, depois que o Fantástico denunciou a rede de exploração sexual de menores chefiada por ele. E terminou condenado a 11 anos e dez meses de prisão, em novembro.

O ex-prefeito Adail Pinheiro cumpre pena em Manaus, em um batalhão da Polícia Militar. Segundo o Ministério Público, foi do local que o ex-prefeito mandou ameaçar e oferecer dinheiro para que as testemunhas mudassem a versão do crime. Pelo menos duas mulheres da mesma família, estupradas por Adail na infância, foram convencidas a mudar seus relatos.

“A gente receberia 100 mil para retirar a acusação do Adail ou então iria começar a morrer gente", conta uma das vítimas.

"O dinheiro só seria passado no dia do julgamento. Eu estava ameaçada, restringida de pedir ajuda até para minha família", conta outra vítima.

"Não queria ver um banho de sangue. Deixaram nas nossas mãos. Ou vocês aceitam o dinheiro que eles estão oferecendo ou vai morrer pessoas. E se eu pudesse fazer alguma coisa para não morrer pessoas, eu faria. Eu não tinha escolha”, conta a vítima.

A outra mulher também falou ao Fantástico no ano passado. O depoimento é assustador.

“Eu ficava brincando no barco enquanto minha mãe estava trabalhando. Ele me estuprou dentro do barco mesmo. E hoje em dia ele quer a minha filha”, contou a vítima na época.
Fantástico: Qual a idade dela?
Vítima: Onze anos.

De acordo com as investigações, o plano do ex-prefeito Adail Pinheiro e do filho dele era esconder as testemunhas da família, dos amigos, da imprensa e do Ministério Público. Para isso, alugaram dois apartamentos em Manaus. Os dois imóveis ficam no mesmo prédio, em um bairro nobre. Pequenos, mas confortáveis, com vista para a Arena da Amazônia. O aluguel e todas as despesas eram pagas pela quadrilha comandada por Adail Pinheiro, segundo o Ministério Público.

Delegado: Quem deu esse dinheiro para você?
Vítima: Foi Adailzinho, junto com o Fabrício.

Adailzinho é o filho do ex-prefeito. Fabrício é o advogado dele, Fabrício de Melo.

Fantástico: Qual o papel do filho do Adail?
Fábio Monteiro, procurador-geral de Justiça/AM: Como o Adail se encontrava preso, o filho do Adail ele entrou no trabalho de articulação. A estratégia inicial era mudar o depoimento na própria ação penal.

Ou seja, procurar a Justiça diretamente. O desembargador responsável pelo caso, no entanto, não aceitou que os depoimentos fossem alterados. Com isso, o grupo mudou de estratégia. Uma advogada que segundo o Ministério Público seria ligada a Adail, Elizabeth Cavalieri, levou as duas vítimas para um cartório. O objetivo era deixar registrado que elas teriam mentido sobre a acusação de estupro.

Delegado: Quem foi que orientou vocês a falarem isso?
Vítima: Foi a Doutora Elizabeth. Mas só que a gente não falou nada, ela estava com um rascunho e ela mesma ditou.
Delegado: Depois vocês só assinavam?
Vítima: Sim.

Uma das vítimas gravou escondido a advogada ditando a declaração no cartório. De acordo com o Ministério Público, essa é a voz de Elizabeth Cavalieri: “A declarante desejou expor que a denúncia inicial não foi verdadeira”, diz a gravação.

Delegado: Você confirma todos os depoimentos prestados anteriormente?
Vítima: Da minha boca nunca saiu que isso era mentira e sim da boca da própria advogada. Eu estava sendo coagida naquele momento. Não tive outra opção, não.

O esquema de suborno e ameaças foi revelado ao Ministério Público por um parente das vítimas. Foi ele quem convenceu as duas a contarem a verdade à Justiça. Essa mesma testemunha disse que o ex-prefeito de Coari chegou a fazer várias reuniões no gabinete do comandante do Batalhão da PM.

Fantástico: Coronel, o ex-prefeito de Coari tem algum benefício, algum privilégio dentro do batalhão?
“A partir de janeiro de 2015, o novo comando da corporação, quando assumiu essa gestão, tem a afirmar que então não há nenhum privilégio ao ex-prefeito Adail Pinheiro. Nós não temos como afirmar o que aconteceu no passado, teremos que investigar, teremos que apurar”, diz o tenente coronel Willer dos Santos Abdala, diretor de comunicação da PM/AM.

“Nós estamos pedindo a transferência do prefeito para o sistema prisional organizado pela Secretaria de Justiça”, destaca o procurador-geral.

O Ministério Público denunciou, na última quinta-feira (26), o ex-prefeito Adail Pinheiro, seu filho Adailzinho e os dois advogados, Fabrício de Melo e Elizabeth Cavalieri por falsidade ideológica, uso de documento falso, corrupção ativa de testemunha e formação de quadrilha. Fabrício falou por telefone.

“É uma armação de cunho político. O prefeito está em uma cela, essa cela passa por revista quase que todo dia ou dia sim, dia não. Então essa história de que de dentro do presídio ele comande alguma coisa é invencionice”, diz Fabrício de Melo, parente advogado de Adail Pinheiro.

Fantástico: De acordo com a denúncia, o senhor teria participado desse esquema.
Advogado: Eu não tomei conhecimento dessa denúncia, isso para mim é uma novidade. Eu refuto integralmente.

A advogada Elizabeth Cavalieri foi procurada no endereço que consta na denúncia, mas não havia ninguém no local. Ligamos no telefone dela. Procuramos o filho de Adail Pinheiro no endereço que consta na denúncia.

“Não tem ninguém em casa hoje, agora, no momento”, disse uma mulher.

Também tentamos por telefone. Desde a saída de Adail Pinheiro, Coari já teve outros quatro prefeitos. As denúncias de pedofilia e de corrupção causaram uma onda de protestos. Igson Monteiro, que era vice-prefeito de Adail e assumiu a cidade após sua prisão, teve a casa incendiada.

“A cidade está completamente sem comando. A sensação de insegurança que ocorre dentro daquele município gera um temor absurdo que tem reflexos sem sombra de dúvidas para a população”, destaca o procurador-geral Fábio Monteiro.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Diretório do PT em São Paulo é alvo de bomba

SÃO PAULO - O diretório zonal do PT no Centro de São Paulo foi alvo de uma bomba na madrugada desta quinta-feira. Não havia ninguém no imóvel durante o ataque. O artefato quebrou vidros e danificou parte da porta de entrada do diretório.

O presidente municipal do PT em São Paulo, Paulo Fiorilo, atribuiu o incidente a uma “onda de intolerância e ódio contra o PT”. O partido registrou nesta quinta-feira um boletim de ocorrência.

O presidente municipal do PT em São Paulo, Paulo Fiorilo, atribuiu o incidente a uma “onda de intolerância e ódio contra o PT”. O partido registrou nesta quinta-feira um boletim de ocorrência.

Nesta sexta-feira, dirigentes petistas terão uma reunião e divulgarão algumas medidas a serem tomadas. Uma delas deve ser o pedido de investigação do caso pela Polícia Federal.

O partido tomou conhecimento do ataque na manhã desta quinta-feira quando um dos dirigentes do diretório chegaram ao prédio. Segundo Fiorilo, algumas pessoas presenciaram o momento em que o artefato, que seria um coquetel molotov, foi atirado. O imóvel fica na Rua São Domingos, no bairro da Bela Vista.

Essa é a segunda vez neste mês que o PT tem uma sede regional atacada. No último dia 15, quando o país teve dezenas de manifestações nas ruas contra o governo Dilma Rousseff, a sede do diretório do PT em Jundiaí, no interior de São Paulo, foi alvo de um coquetel molotov. Houve um princípio de incêndio. Bombeiros foram acionados e as chamas foram controladas, mas destruíram parte do imóvel.

A direção do PT local informou que o fogo danificou a recepção. As chamas queimaram cortinas, mesa, cadeira e parte do teto. Documentos também foram destruídos.

Aplicativo para exame de dengue é testado em Ilhéus


Com o objetivo de combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, em Ilhéus, a Prefeitura e o Governo do Estado iniciaram a formação de uma “força tarefa” para ações compartilhadas para o enfrentamento do problema. A proposta do prefeito Jabes Ribeiro foi discutida nesta quinta-feira, 26, durante reunião com o sub-secretário de Saúde do Estado, Roberto Badaró, na presença das respectivas equipes técnicas. Como resultado desse entendimento, a Secretaria de Saúde do Estado aplicou em Ilhéus o primeiro teste do aplicativo desenvolvido para exame de detecção de dengue, cujo resultado pode ser revelado após 20 minutos. O equipamento foi testado no Pronto Atendimento (PA) da dengue, unidade exclusiva montada no bairro Cidade Nova, com o objetivo de concentrar o diagnóstico, por volta de meio dia, na paciente Josenilda Dias Santos, acompanhado pelo secretário de Saúde de Ilhéus, José Antonio Ocké. O equipamento permanecerá em Ilhéus durante dois dias, para auxiliar o atendimento dos casos suspeitos de dengue na cidade.

Delator: Palocci pediu verba para campanha de Dilma

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, primeiro delator da Operação Lava Jato, disse que o doleiro Alberto Youssef, personagem central da trama de corrupção e propinas na estatal petrolífera, o procurou em 2010 e disse que o ex-ministro Antonio Palocci, da Fazenda, pediu uma contribuição de R$ 2 milhões para a campanha de Dilma Rousseff (PT) à Presidência. Os relatos de Costa na delação premiada foram todos gravados em vídeo pela força tarefa do Ministério Público Federal e da Polícia Federal.
Ao ser questionado sobre repasse de valores para a campanha de 2010 da Presidência da República, o ex-diretor da Petrobrás declarou. "Alguns fatos como esse específico, as pessoas falavam diretamente com o Youssef. Outros fatos, as pessoas falaram comigo. Ministro Lobão falou comigo. Pessoal aqui do governo do Rio falou comigo, não tem nada a ver com o Youssef. Senador Sergio Guerra, falecido, falou comigo."
No início do mês, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou para a Justiça Federal no Paraná, base da Operação Lava Jato, representação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para investigação sobre o ex-ministro chefe da Casa Civil do governo Lula, Antonio Palocci. Como não detém foro privilegiado, Palocci fica sujeito à investigação da Polícia Federal.
A ordem de investigação á amparada no depoimento de Costa. Ele disse que conheceu Palocci em 2004. Na ocasião, Palocci era membro do Conselho de Administração da Petrobrás. Dilma presidia o Conselho de Administração da estatal e ocupava o cargo de ministra das Minas e Energia.Sobre o episódio em que cita Palocci, Costa declarou. "O Youssef me trouxe numa reunião que eu tive com ele. Ele falou: 'ministro Palocci está pedindo aqui uma contribuição para a campanha da Dilma Rousseff em 2010 de R$ 2 milhões. Podemos dar? Pode, pode dar. Eu autorizei o Youssef a fazer. Mas quem me trouxe esse assunto foi o Youssef e quem operacionalizou foi o Youssef. Eu não tive nenhum contato nem com o Palocci e muito menos com a Dilma, sobre esse fato. Isso tudo veio pelo Youssef."
"O Youssef falou comigo que o Palocci, não tenho certeza agora se foi o Palocci que falou com ele ou se foi um interlocutor, não posso te confirmar isso. Mas tinha esse pleito do ex-ministro Palocci para atender a campanha da dona Dilma Rousseff em 2010. 'Paulo, pode fazer?'. 'Faça'."Paulo Roberto Costa disse que não perguntou detalhes para Youssef sobre quem tinha mandado o Palocci fazer a solicitação. "Ele chegava com o pleito, fazia ou não fazia. Mas não entrava em detalhe, quem fez, como foi, tal.
"Os investigadores da Lava Jato perguntaram ao ex-diretor se as pessoas sabiam que Youssef trabalhava com ele. Ao responder essa pergunta Costa fez menção a outros quatro personagens emblemáticos da grande investigação sobre malfeitos na Petrobrás: João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, Renato Duque, ex-diretor de Serviços da estatal petrolífera, Fernando Soares, o Fernando Baiano, suposto operador do PMDB na Petrobrás, e Nestor Cerveró, ex-diretor de Internacional da Petrobrás - os últimos três estão presos."Notório. Como sabiam que o Vaccari trabalhava com o Duque, como sabiam que o Fernando Baiano trabalhava com o Nestor. Isso aí todo mundo sabia.
"Como foi feito o pagamento?, perguntaram os investigadores. "Não sei. Não sei, porque isso o Youssef não me falava e nem eu perguntava para ele."Sobre o local da reunião em que Youssef falou sobre o pedido, ele disse. "Possivelmente em São Paulo." Costa foi questionado se a presidente Dilma tinha conhecimento do esquema na Petrobrás quando exercia a função de ministra de Minas e Energia e também se Lula sabia, enquanto presidente. "Não sei, não sei, não sei."
Ele disse que nunca conversou sobre isso com Dilma e Lula. Também não conversou com Palocci sobre o assunto. Esse foi o único repasse para campanha presidencial que ele se recorda. Mas "não teve feedback" sobre o dinheiro, não soube se os R$ 2 milhões chegaram."Para mim, não. Era muito difícil alguém agradecer. O que normalmente acontecia era o cara não reclamar. O cara não voltar ao tema, mas agradecer, para ser sincero, não teve nenhum um caso."
O criminalista José Roberto Batochio, constituído por Palocci, diz que "os depoimentos conflitantes comprovam a inocência" de Palocci."Como vai ficar essa delação de Paulo Roberto Costa? Se ele mentiu, perderá os benefícios da colaboração."Paulo Roberto Costa disse que conheceu Palocci em 2004. Na ocasião, Palocci era membro do Conselho de Administração da Petrobrás. Dilma Rousseff presidia o Conselho de Administração da estatal e ocupava o cargo de ministra das Minas e Energia. O ex-diretor da Petrobrás, indicado para o cargo em 2004 pelo PP, afirmou que esteve em "várias reuniões" com Palocci, então ministro da Fazenda. Costa afirma que, em 2010, recebeu uma solicitação, por meio de Alberto Youssef, para que fossem liberados R$ 2 milhões do caixa do PP, para a campanha presidencial de Dilma.Questionado sobre essas declarações do ex-diretor, que lhe atribuiu participação no caso, o doleiro Youssef foi taxativo.
"Esta afirmação não é verdadeira."Para Batochio, a contradição põe abaixo a suspeita levantada contra o ex-ministro. "Palocci não conhece, nunca viu, nunca soube da existência de Alberto Youssef. Para ele a existência (do doleiro) era desconhecida." Segundo o criminalista, Palocci "nunca conversou" com Paulo Roberto Costa.Batochio destaca que Palocci, em 2004, como ministro da Fazenda, pertenceu ao Conselho de Administração da Petrobrás "seguindo a tradição de que todo ministro da Fazenda é membro do colegiado"."(Palocci) pode ter visto Paulo Roberto Costa lá (no Conselho), mas nunca tratou com ele assunto sobre campanha eleitoral, jamais, em tempo algum."

Copiloto da Germanwings passou 6 meses em tratamento psiquiátrico, diz jornal



O copiloto da Germanwings, que supostamente jogou de forma proposital o Airbus A320 nos Alpes franceses, esteve seis meses sob tratamento psiquiátrico antes de completar sua formação, afirmou nesta sexta-feira o jornal alemão 'Bild'.

De acordo com o jornal, que cita como fontes 'círculos da Lufthansa', as razões pelas quais Andreas Lubitz, de 27 anos, interrompeu sua formação, em 2009, se deveram a uma grave depressão diagnosticada nesta época.

A edição digital da revista 'Der Spiegel' afirma, além disso, que nas operações realizadas ontem durante horas nas duas casas do copiloto - a de seus pais e a própria, em Düsseldorf - foram apreendidos materiais que respaldam a tese dos transtornos psíquicos.

A revista não apresenta, no entanto, mais detalhes sobre os materiais apreendidos.

O 'grave episódio depressivo' a que se refere o 'Bild' ficou constatado, segundo o jornal, na ata sobre o copiloto do departamento de tráfego aéreo alemão sob o código 'SIC', que se refere à necessidade de que sujeito em questão se submeta a 'revisões médicas regulares'.

O fato de que o copiloto que causou a catástrofe aérea tenha interrompido durante um período relativamente longo sua formação na escola aérea da Lufthansa foi reconhecido ontem pelo presidente da companhia, Carsten Spohr.

O próprio Spohr evitou, no entanto, especificar a que se deveu esta interrupção, alegando que está sob a prerrogativa da confidencialidade médica.

Lubitz começou sua aprendizagem aos 14 anos em um clube de aviação local e ingressou na escola de Brêmen da Lufthansa em 2007.

Em 2009 interrompeu por alguns meses essa formação, que retomou posteriormente até ingressar na Germanwings, filial de baixo custo da Lufthansa, em 2013.

Spohr reforçou ontem que, tanto ao ingressar na escola como ao retomar e completar sua instrução, Lubitz passou pelos mais rigorosos exames, tanto físicos como mentais.

Partido Verde Ilhéus‏

O Partido verde de Ilhéus através da sua Comissão Executiva Municipal  convida seus filiados e população em geral a participarem do seu primeiro encontro partidário a ser realizado no dia 27 de março do corrente na sede do Sindicato dos Bancários de Ilhéus às 16:00 H.

Presença do Dep. Estadual Marcell Moraes

 

I Encontro do Partido Verde de Ilhéus / 2015

Data: 27/03/2015 ( sexta - feira)

Hora:16:00 H

Local: Sindicato dos Bancários de Ilhéus

          Endereço: Rua Ana Nery n° 140 centro
                  Próximo a Rádio Cultura / Rede Record


                                                 Pauta:

1) Divulgação dos Projetos e ações em torno do mandato verde;
2) Política e cenário ambiental regional;
3) o que ocorrer.

Pai de líder do PP é alvo da operação que apura fraude na Receita


Deflagrada nesta quinta-feira (26) pela Polícia Federal e Ministério Público Federal, a Operação Zelotes investiga a participação do atual conselheiro do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), Francisco Maurício Rebelo de Albuquerque Silva, no esquema de corrupção, lavagem de dinheiro, advocacia administrativa, tráfico de influência e associação criminosa no Carf (uma espécie de tribunal da Receita Federal). Conforme apuração do Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, Albuquerque é um dos representantes dos contribuintes no órgão. Ele é pai do líder do PP na Câmara, Eduardo da Fonte (PE), deputado que teve o nome mencionado na Operação Lava-Jato. Procurado, Fonte disse que ficou sabendo da investigação pela Broadcast. "Eu não sou investigado", disse Albuquerque, brevemente, por telefone. A operação investiga também o envolvimento de assessores do ex-presidente do conselho e atual conselheiro Otacílio Dantas Cartaxo, que foi secretário da Receita Federal. Os investigadores apuram ainda se o assessor atuava sozinho ou com o consentimento de Cartaxo. São investigados pela operação também o conselheiro Paulo Roberto Cortez e o ex-presidente do Carf em 2005 Edison Pereira Rodrigues.

Câmara aprova projeto que classifica como hediondo os crimes contra policiais



A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (26) um projeto que endurece as penas por crimes cometidos contra policiais, bombeiros, militares e agentes carcerários. Um dos artigos do texto aprovado inclui a lesão corporal dolosa de natureza gravíssima e a lesão corporal seguida morte contra os agentes de segurança como crime hediondo. A medida também vale para crimes contra parentes dessas autoridades, desde que eles tenham sido praticados em por conta do cargo. Os crimes hediondos são inafiançáveis e inicialmente devem ser cumpridos em regime fechado. Segundo a Folha de S. Paulo, a pena prevista atualmente pelo assassinato de um policial militar é de 6 a 20 anos de cadeia. Caso a lei seja aprovada, a punição passa a ser de 12 a 30 anos. O projeto também transforma em homicídio qualificado aqueles cometidos contra agentes de segurança quando a vítima esteja "no exercício da função ou em decorrência dela". O mesmo vale para crimes cometidos contra parentes da autoridade.

Câmara aprova projeto que aumenta pena de quem induzir menor a cometer crime



O projeto de lei que aumenta a pena para quem induzir um menor ou com ele praticar um roubo foi aprovado nessa quarta-feira (25) pela Câmara dos Deputados. De acordo com a Agência Brasil, um acordo possibilitou a aprovação da matéria apresentada pelo deputado Pauderney Avelino (DEM-AM) em substituição ao texto do Senado. Com a aprovação, a proposta retorna para nova deliberação do Senado. O projeto modifica o Código Penal. O texto também estabelece que no caso de roubo qualificado pela lesão corporal de natureza grave o crime passa a ser hediondo.

Solla diz que peemedebista blindam convocação de Fernando Baiano em CPI da Petrobras


O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) cobrou, nesta quinta-feira (26) que seja convocado a depor na CPI da Petrobrás o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano. A cobrança aconteceu nesta quinta, quando foi ouvida a ex-presidente da estatal, Graça Foster. “Não é importante aqui que se ouça Fernando Soares? Por que ele não pode vir aqui ser ouvido? O que estão escondendo?”, questionou. O parlamentar citou matéria publicada pelo jornal Folha de S. Paulo na terça, segundo a qual enquanto a convocação do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, não encontrou resistência de petistas, membros da CPI estariam blindando o lobista acusado de atuar pelo PMDB. “Como uma comissão como essa pode se propor a investigar com seriedade e isenção deixando de ouvir uma pessoa como essa, com o que já foi apurado no envolvimento dele. É acusado pelo MPF de ser o operador do PMDB no esquema do Lava Jato. Não pode ser blindado”, afirmou. Na quarta-feira, a Justiça Federal decretou nova prisão preventiva de Fernando Soares sob a justificativa de que há fortes indícios de que ele pagou propina para deputados para obstruir uma CPI da Petrobrás no Congresso entre 2009 e 2010. Segundo Yousseff, em delação, R$ 10 milhões foram pagos aos parlamentares Sérgio Guerra, Eduardo da Fonte e Ciro Nogueira, para que “a questão fosse resolvida”. Solla cobrou também a oitiva de acusados ligados ao PMDB, como o policial Jayme Oliveira, o Careca, ou o consultor Júlio Camargo, que admitiu ter pago propina a Baiano em delação premiada.] 

Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

Presidente do PT na Bahia responde Imbassahy e ironiza 'trensalão tucano'



O presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, respondeu por meio de nota, nesta quinta-feira (26), as declarações do deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB) sobre a"vaquinha" proposta pelo partido para quitar dívidas da campanha eleitoral de 2014. O tucano levantou suspeita sobre os valores que serão arrecadados pelo PT e cobrou fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Everaldo Anunciação rebateu Imbassahy ironizando o esquema de cartel que envolve a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) de São Paulo, estado governado pelo PSDB há duas décadas. "A campanha não vai circular de metrô", alfinetou Anunciação. No último sábado (21), a Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público de São Paulo nova ação contra 11 empresas acusadas de formar um cartel para obter contratos com a CPTM.


Bahia Notícias

Rui Costa e ACM Neto podem encerrar ações judiciais entre os dois



O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e o governador do estado, Rui Costa (PT), podem entrar em acordo para encerrar as ações judiciais que um move contra o outro. De acordo com a Tribuna da Bahia, o diálogo e as articulações para que isso ocorra estariam sendo feitos pelos assessores. Na última quarta-feira (25), a ministra Maria Thereza de Assis Moura, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinou que Rui apresentasse, no prazo de 15 dias, resposta à imputação, por conta da ação criminal que Neto moveu contra ele. Nesta ação, o alcaide acusa o petista de calúnia, injúria e difamação. A expectativa é que, após o entendimento, sejam excluídas essas ações movidas durante a campanha do ano passado. A ação penal contra Rui Costa tramita no Supremo porque ele tem foro privilegiado.

Professora da Uesc vítima de abuso sexual em viagem de ônibus cobra ações do Estado



O caso de violência sexual contra a professora da Universidade Estadual Santa Cruz (Uesc), em Itabuna, Luana Rosário, ocorrido no início do mês, dentro de um ônibus, deve motivar uma audiência pública para discutir a questão. O fato ocorreu na madrugada do dia 9 de março, quando a docente viajava para Itabuna em um veículo da empresa Águia Branca. Depois de sofrer a agressão por volta das 3h da madrugada, Luana Rosário só conseguiu registrar a ocorrência em Itabuna horas depois. Na página que tem no Facebook, ela relatou a via crucispara tentar fazer valer a denúncia. Segundo ela, mesmo com a sensibilidade do motorista, ficou nítido o despreparo da empresa e das Polícias (Rodoviária Federal, Militar e Civil da Bahia) para lidar com o assunto. "Eles minimizaram completamente o caso em uma demonstração de despreparo para lidar com a violência contra a mulher", declarou Luana em entrevista ao Bahia Notícias. De acordo com a docente, que leciona Direito Constitucional na Uesc, casos de violência sexual em viagens de ônibus é mais corriqueiro do que se imagina. "Em todos os espaços que tenho falado sobre o caso, várias mulheres informaram que já passaram por isso, inclusive alunas minhas", afirma. Luana diz que muitas mulheres evitam a denúncia pela "vulnerabilidade" e pelo medo da exposição. Nesta quarta-feira (25), a professora protocolou pedido junto com a advogada Nélia Cerqueira (da OAB-Ba de Itabuna) para que o promotor do MP-BA da cidade, Alan Góes, instaure uma audiência pública. O objetivo é cobrar ações da Secretaria de Segurança Pública e da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado para deter os crimes. "Essa audiência gera um documento jurídico de políticas públicas para mudar essa realidade lamentável em todas as esferas, o que passa por treinamento de policiais e funcionários das empresas", argumenta. A docente diz que recebe apoios de instituições como a OAB-BA de Itabuna, Movimento Mulheres em Luta, Uesc e Marcha das Vadias, entre outros grupos da sociedade civil.
A professora Luana Paixão do Rosário é mestra e doutora em direito constitucional pela UFBA- (Universidade Federal da Bahia). 

quinta-feira, 26 de março de 2015

Motorista linchado após acidente saiu para socorrer vizinho, diz família

Jovem foi enterrado na manhã desta quinta-feira, em Salvador (Foto: Henrique Mendes/G1)





















O rapaz de 29 anos que foi morto a pedradas por moradores de rua após um acidente de trânsito em Salvador saiu de casa na madrugada de quarta-feira (25) para socorrer um vizinho que estava se sentindo mal e levá-lo a um hospital. A informação foi relatada por familiares e amigos, que participaram na manhã desta quinta (26) do enterro de Eliomar Saraiva de Araújo, que completaria 30 anos na próxima terça-feira (31).
Jovem de 29 anos foi linchado após atropelar
moradores de rua (Foto: Reprodução/TV Bahia)

O gesto de solidariedade de Eliomar, morador do bairro do Pau Miúdo, virou tragédia quando ele voltava sozinho do hospital onde deixou o vizinho, acompanhado de uma outra pessoa, e perdeu o controle do veículo na Rua Cônego Pereira, na Sete Portas. Eliomar atropelou dois moradores de rua. Um deles morreu na hora e o outro foi socorrido com ferimentos para um hospital.

"É uma tragédia uma pessoa sair para dar um socorro, ser assassinado de uma forma tão violenta", desabafou a prima Simone Sales. Familiares acreditam que Eliomar desceu do carro para prestar socorro às vítimas, quando foi agredido até a morte. "É uma pessoa muito prestativa. Jamais se negaria a dar socorro a ninguém", contou outra prima, Liane Sales.
Motorista invadiu passeio onde moradores de rua
dormiam (Foto: Imagens / TV Bahia)

Muito abalado, o pai de Eliomar, Everaldo Araújo, ainda tenta compreender as razões de tragédia. "Estávamos dormindo e acordamos com os vizinhos falando o que aconteceu. Ficamos perdidos. Ainda não sabemos direito o que aconteceu", relata. As causas que levaram o condutor a perder o controle do veículo ainda são desconhecidas.

Eliomar trabalhava há dois meses como polidor em uma concessionária de veículos seminovos na Avenida Barros Reis, perto do local onde aconteceu o acidente. O colega de trabalho, Orlando Maia esteve no sepultamento e lamentou a perda. "Era uma pessoa prestativa, assídua e competente", pontuou. Eliomar era solteiro, não tinha filhos e A mãe de Eliomar, muito abalada, precisou ser amparada por familiares durante o cortejo fúnebre.

Investigação
A Polícia Civil vai analisar imagens de câmeras de segurança que possam ajudar a identificar os envolvidos no linchamento de Eliomar. De acordo com o delegado Marcelo Sansão, que investiga o caso, os suspeitos do linchamento podem responder por homicídio qualificado - pela impossibilidade de defesa da vítima e pela crueldade - e pegar de 20 a 30 anos de prisão.
Delegado Marcelo Sansão investiga o caso
(Foto: Reprodução/TV Bahia)

"Os procedimentos iniciais foram adotados. Nossas equipes ainda continuam em campo para coletar dados de moradores de rua e de pessoas que tenham presenciado o crime", disse o investigador, em entrevista ao G1.

Algumas das câmeras que serão analisadas são as do prédio do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza da Bahia (Sindilimp), que fica localizado perto do local onde ocorreu o crime.

A polícia ainda não tem informações sobre o que teria feito o motorista perder o controle do carro e atropelar os moradores de rua. Conforme o delegado, o veículo envolvido no acidente pertence ao pai do condutor, que deverá ser ouvido. O carro, segundo a polícia, não tem nenhuma restrição.

"Há informações de que ele estava em um bar antes do acidente, mas só o laudo cadavérico e pericial vai apontar se ele bebeu. Também ficamos sabendo que haveria passageiros no carro com ele e que teriam fugido após o acidente. Isso estamos apurando ainda", destacou.

Conforme o delegado, com a morte do motorista do carro, a polícia busca agora identificar os autores do homicídio. "A responsabildiade criminal do motorista, por ter matado um dos moradores de rua, se extingue com a morte do condutor. Agora, nossa maior preocupação é identificar os autores do linchamento", diz.

Viúva de Jorge Loredo, o Zé Bonitinho, lamenta morte: ‘Ele acreditava que ia viver’


Morto na manhã desta quinta-feira, no Rio, o humorista Jorge Loredo, de 89 anos, mais conhecido pelo personagem Zé Bonitinho, deixa viúva a pernambucana Terezinha Pereira da Silva, de 63. Os dois viveram juntos no Rio desde 2002, e ela acompanhou os últimos momentos de vida do marido, que estava internado com uma doença pulmonar desde o dia 3 de fevereiro no Hospital São Lucas, na Zona Sul do Rio.

“Eu ia visitá-lo todos os dias. Estive lá ontem, ele estava sedado, não falava nada, apenas fazia gestos de que estava me entendendo. Mas tanto eu quanto ele acreditávamos que ele ia se curar e sair dessa. Ele acreditava que ia viver. A última vez que ele esteve internado, no ano passado, ele saiu do hospital com as próprias pernas”, lamentou a viúva, em conversa por telefone com a Retratos da Vida, na tarde desta quinta-feira.

Terezinha conta que recebeu a notícia através de um dos dois filhos de Jorge Loredo e ficou bastante surpresa.

“Eu recebi a notícia hoje, às 7h, por intermédio do filho dele, que veio aqui me contar da morte. Eu fiquei muito triste, não esperava que isso fosse acontecer. O José era um companheiro de muito tempo. Um ótimo companheiro”, disse.

Jorge Loredo, o Zé Bonitinho
Jorge Loredo, o Zé Bonitinho Foto: Marcio Nunes / Agência O Globo


'O fumo estragou o pulmãozinho dele'

De acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital, o humorista lutava há anos contra uma doença pulmonar obstrutiva crônica grave e um enfisema pulmonar, que o levaram à falência múltipla de órgãos.

“Nesses últimos dias ele estava muito doente, com problemas pulmonar. Ficou muito enfraquecido por conta do cigarro, ele fumava muito, ficou com falta de apetite e foi enfraquecendo. Levamos ele ao hospital para ele se alimentar e se recuperar. Ele passou um tempo no hospital reagindo bem, caminhando, falando... Após uns vinte dias lá, ele pegou uma pneumonia e foi enfraquecendo. O Jorge fumou por 50 anos, fumou muito. Esse fumo estragou o pulmãozinho dele”, conta a viúva.

Além da mulher, Jorge Loredo deixa dois filhos do seu primeiro casamento: o analista de sistemas Jorge Ignácio, de 43 anos, e o advogado e leiloeiro Ricardo Frederico, de 39 anos. O corpo do ator será velado nesta sexta no Memorial do Carmo, no Caju, a partir das 9h.
Zé Bonitinho
Zé Bonitinho Foto: Marcio Nunes / Agência O Globo
JORGE LOREDO O
JORGE LOREDO O "ZÉ BONITINHO" Foto: Fábio Guimarães

“Zé Bonitinho, o perigote das mulheres”, como o personagem de Loredo se apresentava nos esquetes humorísticos que durante décadas fizeram a alegria das famílias brasileiras, fez parte do enredo “Beleza pura?” da União da Ilha. A escola de samba falou sobre a beleza em suas várias interpretações. Zé Bonitinho se achava um galã irresistível, sempre ajeitando a cabeleira com um pente enorme, tão grande quanto seus óculos escuros. A escola teve uma ala inteira dedicada ao personagem.

Jorge Loredo nasceu em 7 de maio de 1925 e foi criado em Campo Grande, Zona Oeste do Rio.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Thales Farias