quarta-feira, 23 de abril de 2014

Veja essa matéria feita ano passado durante o primeiro Aleluia Ilhéus e me diga se mudou alguma coisa!!


Milhões foram gastos com uma festa e muitos postos de saúde fechados, as escolas em estado de miséria, a cidade cheia de bucaros, além da industria de multas, carros sendo guinchados a todo momento e a cidade vivendo um inferno astral com descaso do poder público.Parabéns ao Prefeito Jabes

'Ela ficou abalada', diz advogado de Kátia Vargas sobre júri popular



A médica Kátia Vargas Leal Pereira será submetida a júri popular, sob acusação de provocar as mortes dos irmãos Emanuel, 21 anos, e Emanuelle Gomes Dias, 23, em outubro do ano passado.

Por unanimidade, os três desembargadores da 2ª Turma da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que participaram de sessão extraordinária, ontem pela manhã, negaram o pedido da defesa da médica, que pedia que o processo fosse classificado como crime culposo - quando não há intenção de matar. Cabe recurso.

A decisão, que ratificou o entendimento do Ministério Público (MP-BA) e do juiz de primeiro grau Moacyr Pita Lima, de que houve intenção de matar (crime doloso), foi comemorada por parentes e amigos dos irmãos mortos, que protestavam em frente à sede da Corte, no CAB. Kátia Vargas não compareceu.

“Eles (desembargadores) não podem dizer que ela é culpada ou inocente. Só que existem indícios contundentes de que ela praticou o crime, na forma que está descrita na pronúncia do juiz de primeiro grau, que seguiu o mesmo entendimento do MP”, declara o promotor Davi Gallo, representante do MP-BA.

Os desembargadores Osvaldo Almeida Bomfim, Nágila Maria Sales Brito e Joanice Maria Guimarães de Jesus também negaram o pedido do MP-BA de revogação da liberdade provisória da médica, concedida em dezembro. Assim, ela vai aguardar o julgamento em liberdade.

Defesa
O advogado de Kátia Vargas, Sérgio Habib, afirma que irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF). “A única de decisão definitiva é do Supremo”, aponta. O CORREIO tentou falar com a médica, mas, segundo Habib, “ela está muito abalada, sem condições de falar”. Kátia Vargas soube do resultado em sua residência, no Horto Florestal. “Ela ficou preocupada, mas disse a ela que não está decidido ainda”, conta.

Manobra
Segundo Davi Gallo, ainda não é possível fazer uma previsão de quando o julgamento irá ocorrer. “Para que a defesa tenha o direito de recorrer ao STJ e ao STF, será necessário a constatação de uma ofensa à Constituição ou Lei Federal. Quem vai fazer a análise é o TJ-BA, que pode não dar seguimento aos dois recursos, se não preencherem os requisitos legais”, explica.

Caso não haja argumentos, o juiz pode marcar o júri para o mês que vem. “É o que vai acontecer e o que é esperado também pela defesa, que deve entrar com um mandado de segurança para efeito suspensivo da decisão ao STJ e no STF”, acrescenta. Nesse caso, a defesa alega que não está ofertada à ré a plenitude de defesa. Então, o processo fica suspenso até que os tribunais julguem o recurso.

No caso de júri popular, sete pessoas são escolhidas entre 25 jurados (previamente alistados), por meio de um sorteio no dia do julgamento. O sorteio é feito na hora e tem que haver, no mínimo, 15 jurados presentes.

Protesto
A sessão começou às 8h30, mas, desde as 7h, já havia pessoas na entrada do Tribunal de Justiça para aguardar a decisão dos desembargadores sobre os recursos. Cerca de 50 pessoas, com faixas e cartazes, pediam que Kátia Vargas fosse a júri popular, entre elas, a mãe das vítimas, Núbia Gomes. Ao saber da decisão unânime, ela desabafou.

“A justiça está sendo cumprida. atisfeita pelo trabalho (da Justiça). Essa vitória é do povo de Salvador, cansado de tanta impunidade. Estou confiante”, disse. Perguntada sobre o motivo de preferir acompanhar a sessão do lado de fora, Núbia respondeu: “Fiquei com as pessoas que decidiram não ir trabalhar ou sair de suas casas para estarem aqui, às 7h, em apoio à causa”. O pai das vítimas, Oto Roberto Malta, acompanhou a sessão dentro da Corte.

Líder do PT ataca promotora que pediu quebra do sigilo bancário de autoridad

Humberto Costa saiu em defesa de José Dirceu
O líder do PT, senador Humberto Costa (PE), pediu nesta terça-feira (22/4) em Plenário que o Senado represente junto ao Conselho Nacional do Ministério Público contra a promotora de justiça Márcia Milhomens Correia. Humberto Costa ressaltou que a promotora requereu, na Justiça, a quebra do sigilo telefônico de autoridades dos três Poderes, em Brasília, inclusive de senadores e deputados federais, para apurar eventual uso de aparelho celular pelo ex-ministro José Dirceu de dentro da prisão da Papuda, onde cumpre pena referente ao processo do mensalão.

O pedido da promotora, na opinião de Humberto Costa, "é ameaçador".

O senador criticou ainda o que considera desrespeito à lei no caso dos condenados no processo do mensalão, especialmente quanto a José Dirceu. Ele está preso desde novembro de 2013, apesar de ter direito de cumprir a pena no regime semi-aberto, com direito a sair durante o dia para trabalhar.

Para Humberto Costa, o que se exige para José Dirceu "não é um simples privilégio, mas o respeito à lei, que se for descumprida, coloca em risco a própria democracia".

- É necessário que se apure toda e qualquer denúncia contra eventuais privilégios, mas é inaceitável a adoção de atitudes totalitárias em desprezo às leis e aos poderes constituídos, passando-se por cima de tudo e de todos, numa perseguição implacável a alguns desafetos - afirmou o senador.

TERAPEUTA ACUSADO DE ESTUPRO É PRESO


O Terapeuta Ocupacional Paulo Alves Bandeira Junior, 27 anos, natural de Delmiro Gouveia – AL é acusado de abusar sexualmente da paciente J. K.S, de 19 anos durante uma seção de massagem e acupuntura na clínica naturista Vida Plena, no bairro Sandra Regina, em Barreiras, Oeste da Bahia.
Todos ficaram surpresos quando a jovem chegou em casa chorando, dizendo a sua mãe e uma irmã, que tinha sido violentada sexualmente na mesa de terapia.
Durante interrogatório no Complexo Policial de Barreiras, a vítima afirmou que teve uma toalha colocada sobre sua cabeça e depois de despida foi agarrada subitamente por Paulo, não tendo chance de reagir.
O pai da garota estuprada observou que o terapeuta confessou o crime, e ainda disse que foi muito perigosa a atitude dele e da esposa ao deixar J.K.S sozinha em seu consultório. “O agredi fisicamente e segurei até a chegada da Polícia Militar”.
O delegado José Romero, já abriu inquérito policial para apurar o estupro. O pai dela contou na delegacia ter chegado ao consultório por volta das 10h 00 da manhã desta segunda-feira, 22, porém retornou para casa mais cedo com a esposa, e deixou dinheiro com a jovem para que essa fosse embora. “Quando falaram da demora de mais ou menos 45 minutos no tratamento, saí porque tinha outro compromisso. Nunca imaginei que ele fosse capaz de fazer isso. Confiei nele como profissional e deixei o dinheiro para minha filha pegar um moto – taxi”, ressaltou.
Sua mãe acompanhou o marido no retornar para casa, porque foi atendida antes por Paulo Alves. J.K.S procurou intervenção terapêutica para cura de dores na cabeça e coluna cervical.
O acusado negou falar a respeito do crime. Declarou apenas que exerce a profissão há dois anos e disse ser mestre em capoeira há seis anos. O delegado promete interrogá-lo ainda hoje, 22. “Primeiro negou o estupro, mas depois terminou confessando quando falamos dos indícios na roupa e no corpo da vítima e sobre o exame a ser realizado pela Polícia Técnica”, finalizou Romero.
Um dos pastores evangélicos da Igreja Adventista frequentada pelo terapeuta estava chocado com a notícia. Observou que o mesmo é casado e tem um casal de filhos; uma garota de 12 anos e um menino de cinco ou seis anos. “Será excluído do rol da igreja, mas vamos continuar orando por ele”, disse à nossa reportage

Câmara preserva o mandato de Prisco

Conforme noticiado ontem (22) pela Tribuna, havia um imbróglio jurídico que poderia suspender ou não o mandato do líder do movimento grevista da Polícia Militar (PM), presidente da Associação de Policiais e Bombeiros e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), vereador Marco Prisco (PSDB).

O tucano foi preso na última quinta-feira (17), por determinação da Justiça Federal, devido à atuação frente à greve da PM em 2012. Reunidos na Câmara, os edis que fazem parte da mesa diretória do Legislativo resolveram avaliar a situação e garantiram a presença de Prisco no quadro da Casa.

O debate se deu pelos artigos jurídicos. Segundo o Art. 23 do Regimento Interno da Casa e a Lei Orgânica do Município, caso haja uma prisão preventiva por parte de qualquer que seja o vereador, o mesmo terá suspensão imediata, porém, de acordo com o Art. 15, da Constituição Federal, o vereador ou qualquer agente público só poderá ter seus direitos políticos cassados ou suspensos até que seja transitado e julgado.

“Mediante a isso, a mesa diretora decidiu, em unanimidade, não suspender o mandato do vereador Prisco nesse momento porque ele está respaldado no que preceitua a Constituição Federal no seu Art. 15”, assegurou o presidente da Casa, vereador Paulo Câmara (PSDB).

De acordo com o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), vereador Kiki Bispo (PTN), a Constituição Federal, por ser a carta magna brasileira, prevalece sobre o Regimento Interno da Câmara.

CMS diz desconhecer reais motivos da prisão
Ainda na reunião de ontem (22) que definiu os rumos políticos de Prisco (PSDB), os vereadores que fazem parte da Mesa Diretora aprovaram uma nota técnica sobre o assunto. No texto é informado que “a Câmara de Vereadores de Salvador se solidariza com a família do referido vereador”, preso na Quinta-feira Santa. O Legislativo disse desconhecer “os reais motivos que ensejaram a determinação, pela Justiça Federal”, que culminaram na detenção do tucano, “apenas tendo conhecimento daquilo que vem sendo informado pelos diversos órgãos de imprensa”.

Os edis argumentam que o processo foi ingressado em um período fora do mandato, pois o líder grevista ainda não havia sido eleito vereador de Salvador, o quarto mais votado da legislatura com 14.820 votos. Eles ainda informaram que manterão contato direto com o advogado do tucano que acompanha o processo no Supremo Tribunal em Brasília e ficarão a par de todas as movimentações do processo.

A posição da Câmara, inclusive assegurada pela nota técnica, não deverá ser sustentada por muito tempo. O fato foi lembrado pelo presidente da Casa, Paulo Câmara (PSDB). “Torcemos para que a situação dele termine o mais depressa possível, mas, caso Prisco permaneça por mais de 30 dias preso, novas medidas terão de ser tomadas e a mesa diretora terá que se posicionar com relação, principalmente, à parte administrativa da Casa”, declarou. Questionado por uma possível intercessão da Câmara pelo vereador, Paulo Câmara explicou que, de acordo com o Art. 295, a Casa nada pode interferir, apenas o Superior Tribunal Federal (STF). “Continuaremos dando o suporte necessário a Prisco e, se preciso for, enviaremos algum vereador para visitá-lo, mas defesa jurídica nesse momento a Câmara legalmente não poderá fazer. No mais, a vida continua acontecendo de forma normal, permaneceremos nossas atividades como sempre. Ficaremos assim de sobre aviso para qualquer eventualidade”, concluiu

Suzane von Richthofen não pode sair de regime fechado, diz novo exame


Suzane Richtofen teve pedido de transferência negado (Foto: Reprodução/TV Globo) 

Novo exame criminológico encomendado pela Justiça de São Paulo concluiu neste mês que Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão por mandar matar os pais em 2002 na capital, ainda não está apta a progredir do regime fechado para o semiaberto, como quer a sua defesa. A informação foi apurada pelo G1.


A assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) confirmou nesta quarta-feira (23) que o laudo criminológico acabou anexado ao pedido de progressão de regime e foi encaminhado ao Fórum de Taubaté, no interior do estado. Lá, a juiza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da 1ª Vara das Execuções criminais irá analisá-los. A magistrada decidirá se a presa continuará detida 24 horas por dia em Tremembé ou poderá sair de lá para trabalhar pela manhã, voltando à noite para dormir. Até esta manhã, ela não havia recebido os documentos. TJ não informou o resultado do teste.

De acordo com a apuração da equipe de reportagem, o exame criminológico mostrou que Suzane não se arrependeu totalmente do crime que cometeu, nem tem planos para o futuro ou sequer fez curso profissionalizante na cadeia. O documento é assinado pelo psiquiatra forense Guido Palomba.

Apesar de Suzane ter bom comportamento na prisão, o especialista alegou que ela deixou de preencher outros requisitos necessários e fundamentais para ter direito à progressão. Procurado pela equipe de reportagem, Palomba não quis comentar o assunto alegando que o caso está sob segredo judicial.

O pedido de progressão de regime foi feito pela defesa de Suzane à Justiça. Seus advogados, Denivaldo Barni e Denivaldo Barni Júnior, enalteceram, por exemplo, o bom comportamento da cliente e pareceres psicológicos favoráveis, produzidos nos últimos anos.





O habeas corpus que pede a progressão de regime foi analisado em fevereiro deste ano pelo desembargador José Damião Pinheiro Machado Cogan, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). Como os documentos psicológicos sobre Suzane não possuíam uma análise psiquiátrica, o magistrado então determinou a realização de exame criminológico complementar. E que o resultado fosse encaminhado a Taubaté.

Instituído pela Lei de Execução Penal de 1984, o exame criminológico pode ser feito por psiquiatras, psicólogos e assistentes sociais do sistema prisional a pedido da Justiça. O objetivo é avaliar se o preso tem condições ou não de receber a progressão de regime.

Cogan indicou Palomba para submeter Suzane ao novo exame. O psiquiatra chegou a procurar a presa na penitenciária feminina de Tremembé para entrevista-la, mas ela se negou a falar. Diante disso, o especialista realizou então um exame indireto. Ele analisou documentos relacionados a sentenciada para auxiliar o embasamento de seu laudo.

Ele concluiu que Suzane teve respostas negativas às questões relacionadas à ‘arrependimento e remorso’, ‘planos para o futuro’ e ‘profissionalização dentro do sistema carcerário’. A presa teve ponto positivo, no entanto, no bom comportamento. Mas na opinião do psiquiatra, isso não foi determinante já que se trata de uma obrigação para quem está encarcerado.

Nos documentos verificados para elaboração do parecer psiquiátrico, Suzane teria dito que se arrependia parcialmente pelo assassinato dos pais, não tinha planos para o futuro e nem havia buscado uma profissão dentro da prisão.

Desde 2009, os defensores de Suzane tentam na Justiça a progressão para ela, mas sempre tiveram solicitações negadas por diversos tribunais.

Por meio de nota, o TJ informou que “foi determinado exame psiquiátrico -- este, especificamente, pois ficou faltando no exame criminológico realizado na sentenciada. Com a vinda do laudo, o processo provavelmente estará pronto para decisão do pedido de progressão de regime”.

Questionada pela equipe de reportagem, a assessoria do Ministério Público também confirmou a realização do exame criminológico. Um promotor irá se manifestar sobre o pedido de progressão, sugerindo à Justiça se Suzane deverá continuar em regime fechado ou ganhar o semiaberto.
Suzane von Richthofen (Foto: Reprodução/TV Globo)Suzane com roupa de presidiária em Tremembé
(Foto/Arquivo: Reprodução/TV Globo)

Defesa
Em seu pedido de progressão de regime ao TJ, a defesa de Suzane alegou que “a paciente suporta constrangimento ilegal em razão do excesso de prazo para o julgamento do pedido de progressão, afrontando o princípio da celeridade processual e razoabilidade”. Segundo o advogado, há registros de "ótima conduta carcerária" por parte de Suzane.

De acordo com a defesa, os pedidos de progressão foram feitos em março, maio e junho de 2013, quando “foi determinada a realização de exame criminológico, o qual apresentou parecer favorável à progressão.”

Apesar disso, os advogados informaram que em outubro de 2013 “foi determinada a realização do teste de Rorschach, cujo laudo foi apresentado em dezembro de 2013, sendo reiterado o pedido de progressão, estando os autos conclusos desde 22 de janeiro”.

Os defensores “sustentam, ainda, que a paciente reúne os requisitos subjetivos, eis que exerce atividades laborativas, tendo recebido voto de elogio por sua dedicação e presteza.”

Além do pedido de progressão de regime, os advogados Denivaldo Barni e Denivaldo Barni Júnior, defensores de Suzane, pediram segredo de Justiça do caso. O desembargador Cogan decretou então o segredo de justiça “em razão da profundidade da análise da paciente.”
Os irmãos Cristian (esq.) e Daniel Cravinhos, em foto de 23 de janeiro de 2006 (Foto: Vidal Cavalcante/Estadão Conteúdo)Os irmãos Cristian (esq.) e Daniel Cravinhos, em foto
de 23 de janeiro de 2006
(Foto/Arquivo: Vidal Cavalcante/Estadão Conteúdo)

Procurado pelo G1, Denivaldo Barni Júnior informou que estava impossibilitado de comentar o assunto por volta das 11h desta quarta-feira. Pediu para a reportagem procurá-lo mais tarde.

Caso Richthofen
Em 2006, Suzane foi condenada a 39 anos de reclusão em presídio de segurança máxima em regime fechado por participar do assassinato dos seus pais. Atualmente, com 30 anos de idade, confessou participação no assassinato dos pais em 31 de outubro de 2002. O casal Manfred e Marísia Von Richthofen foi morto pelos irmãos Daniel e Cristian Cravinhos na mansão onde moravam, na capital paulista.

Na época, Daniel namorava a filha das vítimas. Suzane teria planejado o crime porque não tinha um bom relacionamento com os pais e queria dividir o dinheiro da herança da família com os Cravinhos.

Os irmãos também foram presos e condenados ao regime fechado, mas o deixaram em fevereiro de 2013, quando foram para o semiaberto.

Quadrilha aterroriza o Banco do Pedro


Bandidos andando pelas ruas armados, intimidando moradores, protagonizando tiroteios, como se o local em questão fosse uma terra sem lei. Apesar de parecer absurda tal situação, segundo um leitor do Ilhéus 24h, essa é a realidade do povoado do Banco do Pedro, na zona rural de Ilhéus.


Segundo ele, uma gangue de marginais tomou conta da comunidade, e passou a ditar as regras por lá. O leitor, que reside no local, afirmou que os meliantes andam armados pelas vias, ameaçando de morte até quem ousa olhar para eles. “Vários moradores da comunidade já foram expulsos e hoje moram em São Paulo ou Vitória porque se voltarem poderão morrer.


Uma situação revoltante, pois qualquer motivo que contrarie os marginais, eles saem nas ruas com armas em punho, xingando todo mundo, seja homem, mulher, velho ou criança, invadem casas, quebram móveis e apontam suas armas para as cabeças dos moradores. Estamos com muito medo dessa situação absurda”, ressalta o morador. O leitor ainda afirma que os tiroteios se tornaram acontecimentos constantes no Banco do Pedro.


No feriado da Semana Santa, a troca de tiros ocorreu no sábado e no domingo. Ele complementa afirmando que a polícia, quando está no local, costuma agir e coibir as ações criminosas , só que, na maior parte do tempo, a comunidade fica sem nenhum policiamento.
 
 
 Ilhéus 24h

Sindicato dos Radialistas de Ilhéus realiza eleição dia 28 de abril

Conforme edital de convocação de eleição; comunicação ao Ministério do Trabalho e Administração; comunicado às emissoras de rádios e o devido registro judicial, o Sindicato dos Radialistas de Ilhéus estará realizando no próximo dia 28 de abril, eleição da sua nova diretoria executiva; conselho fiscal e seus respectivos suplentes. O pleito acontece no auditório da Associação Comercial de Ilhéus, das 9 h às 17 h.

Apesar das convocações, panfletagem nas emissoras e releases informativos aos meios de comunicações, ninguém surgiu para bater chapa com Elias Reis. Portanto, apenas uma chapa foi registrada. A CHAPA 1, encabeçada pela reeleição do atual presidente.

Para o advogado da entidade, Dr. Alberto Barreto, todos os encaminhamentos e procedimentos foram realizados legalmente e registrados em livro próprio de ATA e feito a divulgação necessária, especialmente ao quesito do principio da publicidade.

Para votar o associado precisa apresentar o RG ou documento de identificação, está em dia com suas obrigações e ser filiado à entidade há mais de 06 (seis) meses. A Comissão Eleitoral será composta por membros do sindicalismo local, e 48 (quarenta e oito) horas antes da eleição será divulgada a relação de votantes. Neste ano, excepcionalmente, haverá listagem em separado.

Composição:

Diretoria Executiva: Elias Reis, presidente; Brito Junior, vice-presidente; Dino Rocha, secretário geral; Marcelo Alves, diretor de eventos; Déo Filho, diretor de formação social; Nerildo Caló, diretor financeiro; Raimundo Alencar, diretor de comunicação. Suplentes: Toni Matiolli; Jorge Castro; Celso Nascimento e Jeremias Santos.

Conselho Fiscal: Pedro Oliveira; Ricardo Magalhães e Jota Carlos. Suplentes: Sérgio Macedo; Edilson Guimarães e Valéria Victal.

Todos os componentes da chapa, conforme prevê a atual legislação, terão 05 (cinco) anos de estabilidade sindical.

Para Gil Gomes, âncora do programa Alerta Geral, o nome de Elias Reis, mais uma vez à frente do Sindicato dos Radialistas de Ilhéus representa a continuidade da seriedade, do compromisso e a certeza de dias ainda melhores para a radiodifusão ilheense. “Hoje temos de fato um presidente à altura da categoria”, afirma.

Dino Rocha, secretário Geral.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Todo apoio ao Direito luta dos PMs na Bahia

O “Des” governo do PT da Bahia, Jacques Wagner, repete a mesma falta de tato político já conhecido em 2012, durante a Greve da PM que durou cerca de 12 dias, quando o mesmo estava de férias nos Estados Unidos. Durante a greve de 2012, o governo renunciou a condição de governo e deu lugar a incompetência, a arrogância e o despreparo em lidar com situações estando no poder e acabou que a PM Bahia, derrotando o “Des”governo em uma greve histórica, onde as forças armadas, com 5 mil homens cercou, 352 soldados da PM que ocupavam a Assembleia Legislativa da Bahia, e no final ele teve que ceder a GAP aos PMs e a tropa saiu unida e com um acumulo de força muito grande, e o governo prendeu um dos lideres da PM, Prisco e depois diversos outros guerreiros da PM que ficaram presos no batalhão de choque, dezenas e dezenas de Praças foram perseguidos pelo “Des”governo Petista e respondem criminal e administrativamente.

Em 2014, mais precisamente no dia 15 de abril, 15 mil soldados da PM e oficiais, se reuniram em uma assembleia histórica. Todas as associações se uniram em torno de luta pela modernização da Policia Militar da Bahia, depois após nove meses de negociação com o “Des” governo e sem êxito, a Tropa reunida dia 15 de abril, deliberou pela greve da PM Bahia. O “Des” governo do PT, Jacques Wagner malvadeza, subestimou a ideia de greve e quando percebeu que de fato a greve estava na boca de casa, ele enviou uma proposta melhor na hora da assembleia e os 15 mil homens deliberam a favor da greve. O “Des” governo do PT, a SSP, O comandante geral da PM, vieram a imprensa dizer que foram pegos de surpresas pela greve. Mentira ! Eles não tiveram nenhuma vontade política de assumir uma proposta de modernização da PM, e melhorar as condições de vida dos profissionais, e quando a bolha explodiu, só restou ao “Des” governo medíocre do PT tentar jogar a população contra a greve legítima dos PMs.

A PM parou, essa era a música cantada durante os três dias de Greve e durante os 3 dias, o governo, tentou manipular a opinião pública, governo esse que não goza de nenhum prestígio mais perante a população baiana. O “Des” governo ameaçou, usou seus cachorros na ALBA para tentar intimidar os guerreiros da PM, mas não conseguiu. A essa altura muitos homicídios em todo o estado e o número maquiado como sempre. Dezenas e Dezenas de homicídios durante toda a greve, no entanto vale a pena frisar que todos os dias, há dezenas de homicídios na Bahia, e não foi por conta da greve que o número aumentou a Bahia, é um estado imenso e o “Des” governo maquia os números como sempre. No terceiro dia de Greve, o “Des” governo sentou com a tropa, e melhorou a proposta feita anteriormente. O do arcebispo prismaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, colocou-se disposto à ajuda nas negociações e participou da mesa negociadora. A proposta enfim foi levada a assembleia da categoria na Quinta Feira 17 e após exposição da última proposta do “Des” governo a Tropa aprovou o fim da Greve.

O Beijo de Judas... O “Des” governo do PT Jacques Wagner e Dilma traem os baianos e em menos de 24hs após o termino da greve, mandaram a Polícia Federal prender o líder da greve Prisco, numa política de revanchismo e descumprimento de acordo político. Uma atitude de traidor do Senhor Jacques Wagner malvadeza e da Senhora Presidente Dilma Dragon Sef... a atitude revanchista do “Des” governo do PT teve um efeito colateral talvez inesperado ou já esperando pelo Bin Ladem Wagner, pois toda a tropa imediatamente pararam, entraram em paralisação e se aquartelaram em menos de 24hs. Tudo isso fruto de incompetência política e da nova atividade do “Des” governo do PT de criminalizar os movimentos de greve no país e perseguir as suas lideranças. Essa atitude irresponsável apenas agrava ainda mais a insegurança e oportuniza uma retaliação de maneira generalizada. É inadmissível que demandas de cunho trabalhistas estejam sendo elevadas ao patamar de insurgência à segurança nacional.

A prisão de Prisco, é ilegal, é imoral, é inconstitucional. O Batman, o Super Boy Ministro da “In”justiça Eduardo Cardoso, o mesmo culpado pela morte de centenas de índios no Mato Grosso do Sul, veio a Salvador, passear e falou em Inconstitucionalidade da greve, mas ele se esqueceu que o PT apoiou e financiou a greve de 2001 e que o Jacques Wagner Malvadeza, criticou a postura do então adversário e inimigo político Cesar Borges, hoje aliado do PT. Veja discurso de Jacques Wagner, quando o mesmo estava como deputado Federal. http://www.youtube.com/watch?v=SvK2qR6QAYI e hoje esse ‘Des” governo desdiz tudo, e criminaliza o movimento grevista, persegue o líder da greve Marcos Prisco, cujo mesmo outrora foi aliado de Jacques Wagner e do PT em 2001. Ainda em 2001, o Lula, afirmou o direito da PM fazer greve. Veja a Matéria http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/direto-ao-ponto/lula-a-pm-pode-fazer-greve-o-governo-quis-passar-a-impressao-de-que-sem-policial-na-rua-todo-baiano-e-bandido/ logo cai por terra as argumentações que a base petista defende e espalha pelas redes sociais, de que é um jogo da burguesia, e que é uma movimentação eleitoreira. A prisão do soldado Prisco, irá incendiar a PM e o desfeixo desse terrível e triste episódio ainda é desconhecido, porem a certeza que temos é que o “Des” governo Jacques Wagner Bin Ladem, deu um tiro no pé mais uma vez e mais uma vez ele irá se fazer de vítima e criminalizar pais de famílias, mães de famílias, filhos e filhas, tios e tias, que lutam por dignidade e condições de trabalho.

É incrível como a “In”justiça leva anos para julga e prender meia dúzias de mensaleiros petistas e num piscar de olhos, mandam prender um guerreiro, um líder, um soldado de luta, (Prisco). É incrível como o TJ-BA é subserviente ao “Des” governo da Bahia, pois esse mesmo “Des” governo descumpri decisões do TJ-BA e o mesmo não tem a mesma rapidez e dinâmica para fazer-se cumpri decisões que são contra o “Des” governo. Qual é o Segredo? Será que a história nos diz algo? Por que essa mesma “Justiça” não mandou prender Sergio Gabriele e Dilma Rousseff, por superfaturar a comprar de uma refinaria em Pesadena dando prejuízo a Petrobrás de bilhões de Reais? Por que o Ministério Público Federal não investiga o déficit bilionário dos cofres público da Bahia? Bandido na Bahia tem nome e endereço, Jaques Wagner, Centro administrativo da Bahia, Governadoria, ali bem ao lado do Ministério Público Federal.

O PSOL é contra todo e qualquer criminalização de movimentos grevistas, de manifestações populares, de perseguições de lideranças. Essas atitudes não engrandecem e não enriquecem nação alguma, pelo contrário, ela nos enfraquece, por que aquilo que é de mais sagrado, é negado, que é o direito de lutar e justamente o (PT) Ontem partido dos Trabalhadores e hoje Partido dos TRAIDORES, que nasceu dos seios da classe trabalhadores, que nasceu das lutas, é quem mais persegue o trabalhador com os teus aliados.

Nós do PSOL apoiamos e somos solidários a greve da PM, repudiamos veementemente a prisão de Prisco e exigimos de imediato a sua soltura.

Quando um Governo não governa, ‘Des” governa e desrespeita a Constituição, desrespeita o povo pobre trabalhador, o povo tem o dever político e moral de levantar-se contra ele.



Ronaldo Santos é membro da Executiva Nacional do PSOL e Secretário Geral do PSOL na Bahia.

--


           Saudações Internacionalistas e Libertárias

Mais de 30 ônibus são incendiados em Osasco, na Grande São Paulo

Ônibus incendiados na garagem de empresa Urubupungá, em Osasco (Foto: Reprodução/ TV Globo)


Trinta e cinco ônibus da viação Urubupungá, em Osasco, na Grande São Paulo, foram incendiados na madrugada desta terça-feira (22). Trinta e quatro estavam na garagem da empresa e um foi atacado quando estava na rua. Ninguém ficou ferido, segundo o Corpo de Bombeiros.

Vinte e três veículos ficaram totalmente destruídos e 12 foram parcialmente atingidos pelas chamas. Por volta da 1h, pelo menos três criminosos entraram garagem, que fica na Avenida Presidente Médici, no Jardim Mutinga, renderam o segurança e o manobrista, despejaram gasolina em dois ônibus e o fogo se alastrou.

magens de um cinegrafista amador mostram o momento em que os ônibus pegaram fogo. Segundo a Polícia Militar, o ataque possivelmente ocorreu em represália à morte de um traficante na noite de segunda-feira. A PM busca imagens das câmeras da empresa para tentar identificar os criminosos. Ninguém foi preso.

Os ônibus incendiados representam 20% da frota de 178 ônibus da empresa, que atende 21 linhas da cidade, a maioria na Zona Norte e em Osasco. Os ônibus da Urubupungá estão circulando com intervalos maiores e passageiros lotam os pontos de ônibus da cidade.

Outros ataques
Entre a noite de segunda-feira (21) e a madrugada desta terça (22), mais três ônibus foram incendiados em outros pontos da cidade. Dois dos ataques aconteceram na região de Ermelino Matarazzo, na Zona Leste.

O terceiro ônibus foi queimado na Avenida Coronel Sezefredo Fagundes, no Tremembé, na Zona Norte, durante um protesto contra a falta d'água na região. Segundo a Polícia Militar cerca de 50 pessoas incendiaram o ônibus, que fazia a linha Cachoeira-Santana. Ninguém se machucou.

PESCADOR MORTO NA PONTA DA PEDRA EM ILHÉUS


O corpo de um pescador identificado apenas como Cosminho, foi encontrado nesta tarde de Segunda-feira (22) na Ponta da Pedra, em Ilheus. Segundo informações, que Cosminho teria se afogado quando foi mergulhar e começou a se afogar, mas as pessoas acharam que ele estava brincando. Fato ocorrido por volta das 10:30h, e o corpo foi encontrado as 14:00h.

Jovem amputa dedo por usar unhas postiças

Por colocar unhas postiças, a britânica Sarah Greenaway, de 17 anos, precisou amputar a ponta dos dedos. A jovem havia colocado as unhas postiças, e no dia seguinte acordou com dores no dedo indicador da mão direita. Ela percebeu que abaixo da unha, a pele estava esverdeada e preta. Apesar de ter sido medicada com antibióticos, a garota precisou passar por uma cirurgia para amputar a parte de cima do dedo. A operação durou mais de uma hora, e, além da amputação, foi necessário abrir todo o dedo e limpá-lo. Enquanto passava pela recuperação, Sarah contraiu uma grave infecção bacteriana e teve que passar mais duas noites isolada no hospital. Agora, ela passa por sessões de fisioterapia para recuperar os movimentos do dedo. A jovem afirma que ainda não consegue entender como o dedo ficou tão infeccionado. “Pode ter sido um lote de cola ruim e estamos pensando em tomar medidas legais”, disse Sarah. A especialista Louise Thomas-Minns afirmou ao Daily Mail que o motivo pode ter sido a má preparação da unha antes de usar a cola. “Se a unha estiver molhada ou suja antes de a cola ser aplicada, permite que a infecção surja e se reproduza", disse.

Aspra convoca ato ‘pacífico e ordeiro’ para pedir intervenção da Câmara a favor de Prisco



A Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado (Aspra) convocou um ato público “ordeiro e pacífico” nesta terça-feira (22), às 9h, na Câmara Municipal de Salvador. O objetivo da manifestação é entregar à Casa um documento para solicitar a intervenção da mesa diretora a favor do líder grevista da PM, o vereador Marco Prisco (PSDB), preso desde a sexta-feira (18) no Complexo de Papuda, no Distrito Federal. Segundo o comunicado da Aspra, a custódia oferece temor quanto à segurança de Prisco. A Associação argumenta que vereadores teriam o direito constitucional de cumprirem prisão domiciliar ou na Câmara. Quem tiver interesse de ir ao ato deve usar camisetas brancas com uma fita preta amarrada no braço. A entidade reitera que não quer nova paralisação da polícia e faz um apelo para que todos os PMs cumpram suas escalas de trabalho. Também durante a manhã desta terça (22), está marcada uma reunião que deve decidir a situação do vereador preso na Casa.

Habeas Corpus de Prisco ainda não foi julgado pelo STF; família planeja visita




O pedido de habeas corpus solicitado pela defesa do líder grevista da PM e vereador Marco Prisco (PSDB) ainda não foi julgado pela ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármem Lúcia nesta segunda-feira (21). A previsão é de que o recurso seja apreciado pela magistrada até às 8h desta terça (22), se não o caso deve voltar para o expediente normal nas mãos do relator original, o ministro Ricardo Lewandowski. “A gente fica refém do plantão judicial”, reclamou o advogado de Prisco e coordenador jurídico da Associação de Policiais e Bombeiros e seus Familiares (Aspra). Caso o pedido de habeas corpus seja aceito, ele só deve ser liberado no próximo dia. Segundo o defensor, a família do tucano já se movimenta para visitá-lo no Complexo de Papuda nesta terça (22), dia autorizado pela unidade para que os detentos recebam visitantes. Prisco foi preso na sexta-feira (18) pela Polícia Federal, a pedido do Ministério Público, por crimes contra a segurança nacional.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Morre irmão mais velho do funkeiro MC Gui


O funkeiro MC Gui, de 15 anos, usou sua página no Instagram para lamentar a morte de seu irmão Gustavo Castanheira. "Meu irmão, meu amor! O cara que eu mais amo nessa vida! Deus levou ele! Gente, por favor, me ajuda! Não sei o que fazer, meu irmão morreu. Te amo, Gu! Volta pra mim, mano!", escreveu, nesta segunda-feira (21). Logo em seguida, MC Gui postou outra foto dele, com a mensagem: "Meu irmão. Gustavo, volta pra cá, por favor, Senhor! Deus, não leva ele assim.

Eu amo tanto ele. Guuuu volta". Ao G1, o empresário do cantor disse que Gustavo, de 17 anos, sofreu uma parada cardíaca e morreu por volta das 5h, desta segunda. "Ele estava em um churrasco, com os amigos, quando começou a passar mal. Provavelmente, morreu a caminho do hospital. Ainda estamos aguardando o laudo do IML, mas foi morte súbita", afirmou. Ainda não há informações sobre velório e enterro de Gustavo.

De acordo com um comunicado, divulgado pela assessoria, MC Gui soube da morte do irmão quando retornava de três shows em Jarinu, Tatuí e Sorocaba, no interior de São Paulo, e, no momento, está acompanhado dos pais e da irmã Stephanie, de 20 anos. "Gustavo deu entrada no hospital Municipal do Jardim Iva por volta das 4h30 desta segunda. As informações ainda estão bastante desencontradas.

Segundo o que foi dito ao pai, Rogério da Silva Alves, Gustavo já chegou ao hospital sem vida, vítima de uma parada cardíaca, o que só poderá se confirmar após a autópsia. O corpo foi levado ao IML. No histórico de saúde de Gustavo nunca houve indícios de problemas cardíacos", diz a nota.

Carro capotado na Ilhéus-Itabuna pode ser de fugitivos


Existe a suspeita de que um veículo Corsa, cinza, de placas NZD-2515, que capotou na madrugada de hoje (21), na rodovia Ilhéus-Itabuna, próximo ao Salobrinho, foi utilizado por fugitivos da cadeia de Itabuna. 14 detentos fugiram do Conjunto Penal de Itabuna, na manhã deste domingo.
O veículo, licenciado em Ilhéus, tem marca de sangue e não existe boletim de ocorrência no Hospital de Base sobre atendimento a acidente na rodovia Ilhéus-Itabuna. Moradores da área também não viram socorro do Samu ou da Policia Rodoviária Estadual na manhã de hoje.



rbn

Colisão mata jovem perto de Floresta Azul


Paulo Roberto Barbosa Santana, 29 anos, morreu, ao bater o veículo Megane, que conduzia, em um barranco e, em seguida, com outro carro que trafegava no sentido contrário. O acidente aconteceu na madrugada desta segunda feira (21). O corpo foi removido pelo Departamento de Polícia Técnica de Itabuna. 


rbn com Foto: Blog do Tom

‘Vivi os piores momentos da minha vida’, diz jovem sobre trotes

Um jovem sofre um trote brutal na faculdade. A violência é tanta que ele foge dali, desiste do curso e volta para a cidade natal. Agora, ele recebe um comunicado da faculdade: precisa voltar urgentemente para ocupar a vaga. Mas o trauma é tão grande que ele não consegue retomar os estudos.
Hoje, protegido e longe do terror que viveu no primeiro dia do curso de medicina, Luiz Fernando mostra o rosto pela primeira vez. Vítima de trote violento, ele ficou um mês escondido com medo de ameaças e agressões.
“Chutes, garrafadas, chutes de pontapé. Muitas vezes alguém dava tapa quando eu estava andando”, conta Luiz Fernando.
Aos 22 anos, Luiz Fernando passou em um vestibular muito disputado. Órfão de pai, vive com a mãe e um irmão em uma cidade da periferia de Belo Horizonte. Ele tinha um sonho: “Queria fazer medicina porque eu tenho um irmão deficiente, queira ajudar ele a ter melhor condições de vida”, revela.
Entrou na respeitada Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. “Vivi os piores momentos da minha vida. Com o tempo fui percebendo que o sonho virou terror na minha vida. Tudo foi só sofrimento”, conta Luiz Fernando.
Luiz Fernando tem autismo, um transtorno que dificulta o convívio social. No caso dele, a doença tem um grau leve. “Então, ele é um autismo de alto funcionamento. É um rapaz muito inteligente, mas tem prejuízos na linguagem”, explica a pedagoga Ozana Leal.
O estudante foi morar sozinho em São José do Rio Preto. A vida dele parecia tranquila até o dia 18 de março: o dia da festa dos calouros.
A festa aconteceu em um clube, o Centro do Professorado Paulista, conhecido como CPP, que fica a 500 metros da faculdade de Medicina. Durou três dias, tinha música, muita bebida e momentos de agressão e humilhação dos calouros, que mesmo assim, tiveram que pagar, cada um, R$ 750 para participar da festa.
Luiz Fernando foi o único calouro que teve coragem de contar o que sofreu dentro do clube. “Eles entraram antes de a festa começar na sala e avisaram: ‘aqui a gente segue uma hierarquia e a gente apanhou há seis anos atrás. O povo do sexto ano da faculdade. Hoje é o dia de vocês apanharem, porque você são bichos da faculdade e vocês vão apanhar hoje para bater amanhã’”, lembra.
Lá dentro, o que deveria ser comemoração logo saiu do controle. “E quanto mais eles iam ficando embriagados, os veteranos, mais as coisas ficavam pesadas para o lado da gente. De ficar de joelho, levando a cerveja, a gente seria agredido, muitas vezes chutavam a gente. Eu fiquei com roxo na perna, fiquei com um machucado no lábio. Algumas vezes eles estavam tacando cerveja na gente, pegavam a garrafa de cerveja e batia na gente. E chegou uma situação em que eles pegaram a gente, colocaram, nus, cima de um palco. Eu já estava completamente passando mal, não estava aguentando. Fiquei pelado em cima do palco, com todo mundo olhando, junto com outros calouros também, homens. Enquanto isso eles tacavam copos de cerveja gelada no corpo da gente, com a gente morrendo de frio, tremendo muito. Depois que a gente desceu, eu comecei a reclamar que estava com frio, sentindo muito frio. Estava tremendo, passando muito mal. Levaram para um canto, tacaram de joelho no cimento e começaram a urinar, umas oito pessoas em volta de mim começaram a urinar em cima da minha cabeça”, conta Luiz Fernando.
Luiz Fernando conseguiu fugir da chácara da festa. Foi ajudado por um professor da faculdade. “A gente deduz que ele estivesse vindo do local de alguma festa de calouros que tinha ocorrido em um ambiente fora da instituição”, afirma o professor Kazuo Nagamine.
Durante os dias do trote, a turma de Luiz Fernando trocou mensagens de celular.
- Jogar refri de limão em cima de bolha de queimadura.
- Gente, eu não vou. Passei muito mal ontem. Não sei se aguentaria tudo de novo hoje.
E mostram o receio sobre os próximos dias.
- Hoje a gente morre de hipotermia.
- Vai ficar muito ruim 15 pessoas tomarem trote que era para 80.
- Eles, o sexto ano, matam a gente. Não sei o que eles podem fazer, mas é melhor não testá-los.
Luiz Fernando decidiu não ir ao segundo dia de trotes. E recebeu ameaças dos veteranos.
“’A gente sabe onde você mora. A gente tem o seu telefone. Ou você cancela a sua matrícula aqui ou a gente vai atrás de você e te mata agora’. Ameaçaram de morte. Foi uma ligação feita de um telefone público’”, conta.
Com medo, ele procurou a polícia para registrar as agressões e decidiu voltar para a casa da mãe, em Minas. “Já tinha achado que a minha vida tinha acabado. Eu estava em um apartamento, se eu não fosse embora naquele dia de madrugada do apartamento, eu ia me matar. Era o que eu estava pensando na hora”, conta.
O Ministério Público de Rio Preto quer acabar com a Lei do Silêncio que envolve os trotes violentos na faculdade de Medicina na cidade. Como a polícia não fez nada em relação às denúncias do estudante Luiz Fernando, um promotor entrou na história e quer agora que o caso seja investigado imediatamente.
“A expectativa é que as outras vítimas compareçam à delegacia e digam o que foi que houve, afirma o promotor José Heitor dos Santos.
“Instalamos uma comissão apuratória, comissão de sindicância para apurar os fatos. Nós sabemos que existem festas. Essa festa se deu fora dos muros da faculdade”, declara Dulcimar Donizete de Souza, diretor da faculdade.
“A faculdade, de uma forma ou de outra, é conivente com esse tipo, nem é trote isso, isso é tortura”, afirma Eupídio Donizete, advogado de Luiz Fernando.
Luiz Fernando quer ser transferido para outra faculdade. “Não tenho condição física nem psicológica de voltar para lá. Eu estou em tratamento, fazendo tratamento psicológico, estou tomando medicamento. Só consigo estudar, só consigo tocar a minha vida porque eu estou sendo medicado e com ajuda. E a faculdade me deu um prazo de 30 dias para voltar para lá”, diz.
Trotes violentos são frequentes no Brasil. Na internet, muitos vídeos mostram abusos cometidos contra os calouros. No da turma de 2013 do curso de direito da UERJ, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, o conteúdo de uma garrafa que parece ser de vinagre é derramado no rosto dos novatos, que se protegem.
Na época, a comissão que organiza o trote publicou uma nota na internet: "tentamos evitar ao máximo que qualquer coisa acontecesse, tanto que liberávamos os calouros que não queriam mais beber ou que não queriam mais estar ali."
Em 2010, alunos da Fundação Educacional de Barretos, no interior de São Paulo, sofreram queimaduras ao serem pintados com tinta e creolina, um desinfetante corrosivo.
Em 2009, na Universidade Anhanguera Educacional da cidade de Leme, também em São Paulo, mais um exemplo de abuso. “Os calouros tiveram que passar por uma mistura de esterco e fezes de vários animais. E várias outras coisas”, diz uma testemunha.
A faculdade expulsou dois alunos e suspendeu sete.
O caso mais marcante dos absurdos cometidos nessas festas aconteceu em 1999, na Universidade de São Paulo. O calouro de medicina Edison Hsueh morreu afogado na piscina da Associação Atlética da Faculdade de Medicina da USP. O corpo foi encontrado no dia seguinte. Sete anos depois, o caso foi arquivado pelo Superior Tribunal de Justiça por falta de provas.
Além de expulsos da faculdade, veteranos que promovem trotes violentos podem ser presos e responder a crimes como injúria, que significa ofensa à dignidade da vítima, com pena mínima de um mês de cadeia; constrangimento ilegal, pena mínima três meses chegando a dois anos; e lesão corporal, também três meses de prisão, pelo menos.
Desde 1999, trotes violentos são proibidos por lei nas universidades públicas de São Paulo.
“Não vão ser esses monstros que vão destruir a minha vida, não. Lutei quatro anos para passar em uma faculdade. Não vai ser por causa de gente assim que vai acabar com o meu sonho, não. Eu estou disposto agora a lutar até o fim por justiça. Eu quero justiça”, afirma Luiz Fernando.

Feriado é de dor e tristeza para quem teve parentes mortos na greve

pátio do Instituto Médico-Legal (IML), na Avenida Centenário, um engarrafamento de rabecões e carros de funerária. “Família de Alex Lima!”. “Família de Heider Torquato!”. “Família de Luciano Silva!”. Era o funcionário gritando sem parar na porta do necrotério. No chão, quase uma dezena de caixões aos pés dos familiares.
Enquanto a maior parte da população respirava aliviada, parentes dos “grevicídios” soluçavam a dor da perda. Segundo a Polícia Civil, 59 homicídios foram registrados durante o período da greve, segundo balanço da Secretaria da Segurança Pública (SSP).
Alheios à estatística, familiares atordoados engoliam o choro para ajudar os funcionários na tarefa de despachar os corpos. Carregavam caixões de outras vítimas e voltavam para esperar sua vez. Um caixão atrás do outro saía do necrotério, a ponto de deixar surpreso o auxiliar de serviços gerais do Nina Rodrigues, Juraci Souza Costa, 65 anos. 
Nascido e criado no IML, Juraci ontem estava alarmado. “Trabalho aqui desde menino, há mais de 50 anos, e poucas vezes vi esse movimento. Rapaz, tem mais de 95 corpos aí dentro”, afirmou Juraci. Muitos familiares preferiram o silêncio, mas a maioria pedia mesmo era justiça e cobrava a investigação dos crimes.
Parentes do vendedor de gás Alex Lima Laranjeira, 22 anos, ainda tentavam entender por que o jovem que morava em Cajazeiras foi encontrado morto no bairro do Lobato. “Ele estava passando na Liberdade, com dois amigos, quando começou um tiroteio. Os dois colegas se perderam dele, que foi aparecer morto no subúrbio”, narra um dos primos do rapaz. 
O pai do jovem, Guilhebaldo Sacramento, estava desolado sobre o caixão de seu único filho. “Não tenho ideia do que aconteceu”, afirmou. 
Era a mesma dúvida da esposa e da irmã de Luciano Santos Silva, 30 anos, morto após ter sido sequestrado de dentro de casa, no Alto do Cabrito. Porteiro de um condomínio na Pituba, teve a casa invadida por oito homens, dois deles com brucutus. 
Morreu com um tiro na cabeça, um nas costas e outro nas nádegas. “Chegou do trabalho para tomar uma cervejinha com os amigos e o cunhado. Tinha duas crianças na casa e nem assim eles respeitaram”, contou a irmã da vítima, que pediu para não ser identificada. “Se fosse bandido, eu até entendia, mas um homem honesto”, lamentou ela. 
Encapuzados 
“Seu marido já era!”, foi a frase que a esposa do motoboy Heider da Silva Torquato, de 24 anos, ouviu quando dois homens encapuzados levaram seu companheiro da frente de casa, na Fazenda Grande do Retiro. O corpo só foi encontrado mais de 24 horas depois, no CIA. 
“A gente não sabe do envolvimento dele com malandragem nenhuma. Estamos sem entender”, disse o tio de Heider, o segurança Cássio Torquato, 47 anos. Foi um dia em que enterros se espalharam por diversos cemitérios da cidade, do Campo Santo ao Bosque da Paz.  
Dobro As 59 mortes registradas em 43 horas de greve representam uma morte a cada 43 minutos, aproximadamente. O índice torna esta greve duas vezes mais violenta que o movimento de 2012, que durou 12 dias (263 horas exatamente),  durante os quais houve 172 homicídios – o que representa  uma morte a cada uma  hora e meia. 

Identificados os 14 fugitivos do Presídio de Itabuna

Identificados os 14 fugitivos do Presídio de Itabuna




Neguinho Surfista também saiu de pinote.

A direção do Conjunto Penal de Itabuna confirmou a fuga de 14 internos na madrugada deste domingo (20). Os fugitivos são do raio A, e fugiram de cinco celas por um túnel de, aproximadamente, 12 metros. Os detentos fugiram durante falta de energia no bairro Nova Itabuna. Segundo informações de agentes do presídio, o gerador da unidade não funcionou. Desde as primeiras horas deste domingo (20), as policias Militar e Civil fazem buscas, mas até o momento não há informação de recaptura. O Presídio, que tem capacidade para 430 internos, hoje está com mais de 1.400. Segundo informações, o túnel já vinha sendo cavado há algumas semanas e havia energia elétrica onde um ventilador era utilizado. Uma van aguardava o grupo do lado de fora para dar fuga. No momento que os internos fugiam os agentes penitenciários conseguiram imobilizar o último homem que já estava no túnel. Os 14 fugitivos já foram identificados: João Leonardo Santos Silva, Cristiano Batista dos Santos, Aldrex Lopes Francisco Lins, Edy Alves Santos, Bruno Souza Honorato, Edvaldo Pereira da Silva Júnior, George Nunes Alves, João Marcelo Maia da Silva, Joseney Santana Ramos, Leandro Nascimento de Brito, Marcos Eduardo de Jesus Gomes, Paulo Vieira Barbosa, Robson Pereira dos Santos e Rodrigo Paiva Santos, o Tiquinho (foto).




correiodoestadobahia

domingo, 20 de abril de 2014

Aprovação de Dilma cai para 34% e começa a preocupar o PT

Preocupação toma conta, pois ninguém foi reeleito com menos de 35%

Dilma ROUS

Nenhum governante foi reeleito com menos de 35% Foto: Ladryene Perez
A pesquisa Ibope divulgada hoje coloca a presidenta Dilma com seu pior resultado e a desaprovação do governo superou a aprovação pela primeira vez.

Em comparação com a pesquisa anterior, realizada há quatro meses, a aprovação de Dilma caiu nove pontos, de 43% para 34%, e a desaprovação subiu cinco pontos, de 43% para 48%.

O resultado levanta aspectos importantes para a campanha de reeleição da presidenta, pois nenhum governante com menos de 35% conseguiu se manter no poder. Para piorar, 64% das pessoas que declararam querer mudanças esperam que elas venham de outro candidato.

O levantamento registrado na Justiça Eleitoral com o código BR-00078-2014 ouviu 2.002 pessoas em 140 cidades entre os dias 10 e 14 de abril.

Dilma diz que Polícia Militar da Bahia faz greve por que baiano é preguiçoso


Declaração polêmica da Excelentíssima Presidente Dilma deixou o povo baiano revoltado.
Em uma palestra sobre a Petrobras no interior de São Paulo, um repórter perguntou sobre a greve da PM na Bahia e ela disse:
"É por isso que chamam baiano de preguiçoso, não sou eu que estou dizendo, mas todo boato tem um pouco de verdade"
Depois da declaração desastrosa o Governador da Bahia comentou em um programa de rádio que nem sabe mais o que dizer, e que a sorte dele que ele não é baiano e riu no final, mas afirmou que foi apenas um mal entendido do baiano com a presidente Dilma.
Depois da situação critica, Dilma não quis comentar a situação e afirmou que a única solução são os policiais cubanos que chegaram em salvador nesta sexta.

FONTE: ARROTA1

VAIDADE E AUTOSUFICIÊNCIA

Jabes Ribeiro, prefeito de Ilhéus, observa fotos dele mesmo. Não há nada de novo no seu quarto governo. Falta transparência e disposição para ouvir as pessoas. Sobra vaidade e há carência de espírito público. A cidade vive um caos. Buracos espalhados pelas ruas, postos de saúde e escolas em dificuldades, servidores em greve e muitas denúncias. Apesar da crise, gasta recursos públicos com futilidades para a massa (pagou R$ 158 mil ao cantor Fábio Junior). JR passa incólume e não está “nem aí” para os questionamentos. Vive num mundo particular. Sabe que esse será seu último mandato e não tem receio de ser antidemocrático. Trata-se de mais um exemplo da velha política, fundamentado na valorização do próprio ego. A imagem é da secretaria de comunicação social.


gusmão

No STJ, CBF cassa liminar obtida por torcedor da Lusa em São Paulo

No STJ (Superior Tribunal de Justiça), em Brasília, a CBF cassou, na noite deste sábado, a liminar obtida por Renato de Britto Azevedo, torcedor da Portuguesa, na 3ª Vara Cível do Foro Regional da Penha, em São Paulo. Foi nessa liminar que a Lusa se baseou para tirar seu time de campo, aos 16 minutos da partida contra o Joinville, sexta-feira, em Santa Catarina, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Por conta do abandono do jogo, a Portuguesa pode ser severamente punida.
A CBF entrou com uma reclamação no STJ sobre a liminar. A decisão de acatar a reclamação foi do ministro Sidnei Beneti - o STJ já havia designado a 2ª Vara Civil da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, como a única competente a receber ações contestando a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva de tirar quatro pontos da Lusa no Campeonato Brasileiro do ano passado, por conta da escalação irregular do meia Héverton na última rodada do torneio, em jogo contra o Grêmio, no Canindé. A liminar obtida pelo torcedor Renato Azevedo, porém, foi obtida no dia 10 de abril, concedida pela juíza Adaísa Bernardi Isaac Halpern, da 3ª Vara Cível do Foro Regional da Penha, em São Paulo. 
Juristas como Patrick Pavan, presidente da comissão de direito desportivo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), já haviam advertido que a liminar era nula e seria facilmente cassada.
Decisão do STJ sobre a liminar obtida por torcedor da Lusa em São Paulo (Foto: reprodução)Decisão do STJ sobre a liminar obtida por torcedor da Lusa em São Paulo (Foto: reprodução)

sábado, 19 de abril de 2014

Narrador Luciano do Valle morre em Uberlândia, diz Band

O narrador esportivo Luciano do Valle, de 70 anos, morreu na tarde deste sábado (19) em Uberlândia
, depois de passar mal e ser internado em um hospital particular da cidade. Ele saiu de São Paulo (SP) e foi socorrido ainda no aeroporto da cidade mineira, pelo Corpo de Bombeiros. A morte do narrador foi confirmada pela Band, emissora para a qual ele prestava serviços.
O narrador chegava a Uberlândia para cobrir o jogo de Atlético-MG e Corinthians, que acontece no domingo (20) no Estádio Parque do Sabiá, pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro (Brasileirão).
De acordo com informações do hospital, o narrador deu entrada direto na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A causa da morte ainda não foi confirmada e o hospital ainda não passou mais detalhes sobre o ocorrido à reportagem.
Quem é Luciano do Valle
Luciano do Valle Queiroz era natural de Campinas e trabalhava atualmente na TV Bandeirantes. Ele foi narrador esportivo da TV Globo por onze anos. Era considerado um dos principais profissionais da imprensa do país, transmitindo Fórmula 1, Fórmula Indy Olimpíadas, Copa do Mundo, e também apresentador do tradicional Globo Esporte.

Torcedor da Ponte Preta, Luciano iniciou a carreira aos 16 anos na Rádio Central de Campinas, e ganhou destaque trabalhando na Rádio Nacional, em São Paulo. Em 2003, ele também fez parte da equipe esportiva da TV Record, que acompanhou o acesso do Palmeiras para a Série A do Campeonato Brasileiro. Neste ano ele completaria 51 anos de carreira.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Thales Farias