segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Polícia mata menino que brincava com arma de brinquedo


 Tamir Rice levou dois tiros no abdômen quando sacou arma de brinquedo do cinto  (Foto: BBC)Tamir Rice levou dois tiros no abdômen quando sacou arma de brinquedo do cinto (Foto: BBC)
















Um menino de 12 anos de idade foi morto pela polícia dos Estados Unidos na cidade de Cleveland depois de apontar uma pistola de brinquedo para diversas pessoas em um parque.

Segundo as autoridades locais, uma dupla de policiais disparou duas vezes no abdômen do garoto quando ele desobedeceu uma ordem para levantar as mãos.

A polícia havia recebido uma chamada telefônica de emergência na qual o denunciante relatava que o menino estava apontando uma arma e assustando pessoas em um playground. Ele afirmou que a arma parecia ser falsa mas que não era possível ter certeza.

Dois policiais foram ao local para verificar. Um deles estava em seu primeiro ano de serviço na polícia e outro tinha mais de dez anos de experiência.

Pistola de mentirinha
Autoridades do condado de Cuyoahoga identificaram o menino com Tamir Rice.

O vice-chefe de polícia de Cleveland, Ed Tomba, disse que o menino foi baleado duas vezes depois de sacar a arma falsa. Ele morreu mais tarde no hospital.

Tomba afirmou que o garoto não fez ameaças verbais nem apontou as armas para os policiais.

A polícia afirmou que o menino tinha uma pistola de airsoft – um jogo na qual os competidores se enfrentam com réplicas de armas que disparam pequenas esferas de plástico. Contudo, um anel colorido que indica que a arma não é de verdade havia sido removido.

O autor da ligação para a polícia havia dito que o menino ficava brincando de sacar a pistola. "Eu não sei se é real ou não", afirmou.
 Garoto apontava réplica de pistola para pessoas que passavam em parque nos Estados Unidos  (Foto: AP)Garoto apontava réplica de pistola para pessoas que passavam em parque nos Estados Unidos (Foto: AP)


Mas Jeff Follmer, presidente da associação de policiais de Cleveland, disse que os dois guardas não tinham conhecimento desses comentários quando foram enviados ao local.

Armas de fogo
O correspondente da BBC em Washington, David Willis, disse que foi aberto um inquérito e que os dois policiais estão afastados das ruas.

O controle da venda de réplicas de armas nos Estados Unidos já foi alvo de esforços parlamentares. A deputada Alicia Reece, democrata de Ohio, disse que proporá uma legislação para fazer com que todas as armas de brinquedo vendidas no Estado sejam pintadas com cores brilhantes para facilitar sua identificação.

Nos últimos anos, a força policial de Cleveland vem sendo alvo de investigações devido ao seu uso polêmico de armas de fogo – especialmente após uma perseguição a um automóvel que resultou em mais de 130 disparos de arma de fogo e duas mortes em 2012.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos também está realizando análises sobre os métodos de perseguição e uso da força adotados pelas polícias do país.

Mudança climática pode agravar pobreza, alerta Banco Mundial



O aquecimento global poderá agravar "significativamente" a pobreza no mundo, ao secar os cultivos agrícolas e ameaçar a segurança alimentar de "milhões" de pessoas - advertiu o Banco Mundial em relatório divulgado neste domingo (23).

"Sem uma ação forte e rápida, o aquecimento (...) e suas consequências poderão agravar significativamente a pobreza em várias regiões do globo", alerta a instituição, em um relatório.

'Nova norma'

Secas, ondas de calor, acidificação dos oceanos: o Banco Mundial visualiza um cenário, no qual a comunidade internacional não atingirá seu objetivo de limitar o aumento das temperaturas no mundo a 2ºC, em relação à era pré-industrial, frente a um aumento de 0,8ºC nos dias de hoje.

Na hipótese extrema de um aumento de 4ºC, os acontecimentos climáticos "extremos" que aparecem, no pior dos casos, "uma vez por século", poderão se transformar na "nova norma climática", afirma a instituição.

Brasil em risco
O tom do relatório é particularmente alarmista em três regiões do planeta: América Latina, Oriente Médio e Europa Oriental.

O rendimento dos cultivos de soja podem cair de 30% a 70% no Brasil, enquanto metade das plantações de trigo na América Central e na Tunísia pode desaparecer, antecipa o documento elaborado com o suporte do Instituto de Pesquisa sobre o Impacto Climático de Potsdam, na Alemanha.

Calor 'sem precedentes'

No caso de um aumento de 4ºC, até 80% das regiões do Oriente Médio e da América do Sul podem se ver afetadas por ondas de calor de uma amplitude "sem precedentes", acrescenta o informe.

"As consequências para o desenvolvimento seriam graves, com uma queda dos cultivos, um retrocesso dos recursos aquáticos, um aumento no nível das águas e a vida de milhões de pessoas postas em perigo", enumerou o Banco Mundial.

Morte de mais de cem cães e gatos gera protestos



Um mistério envolvendo animais na cidade de Bom Jesus, na Serra do Rio Grande do Sul, gerou protesto e foi parar na polícia. Desde quinta-feira (20), mais de cem cachorros e gatos foram encontrados mortos pelas ruas da cidade.

O caso mobilizou cerca de 150 pessoas, que fizeram um protesto neste domingo (23) pelas ruas da cidade. Nos cartazes, os manifestantes pediam punição aos responsáveis pela matança. "Realmente esperamos que os culpados sejam apontados e respondam por esse massacre ocorrido contra esses animaizinhos indefesos", disse o empresário Micael Andreatta, que participou do ato.
Segundo a polícia, os animais foram morrendo de forma rápida. Dois veterinários, contratados pela investigação, comprovaram o envenenamento. "Nós somos também em busca das imagens para que a gente possa talvez identificar veículos suspeitos para que a gente possa chegar ao autor deste fato", pondera a delegada Thalita Andrich.

A maioria dos animais encontrados mortos vivia na rua. Mas os moradores estão apreensivos e quem tem cães dentro do pátio de casa redobrou o cuidado. “Eu cheguei ao extremo, porque eu não me arrisco mais e deixar nem no pátio", desabafou o auxiliar de engenharia Paulo Pacheco, que cria labradores há 15 anos e agora deixa que os animais durmam na cama dele.

Os animais mortos foram recolhidos pela prefeitura e enterrados em um terreno em um lixão na cidade.

Último foragido da 7ª fase da Lava Jato deve se entregar nesta segunda

O último foragido da Polícia Federal (PF) na sétima fase da Operação Lava Jato, Adarico Negromonte Filho, deve se entregar na carceragem de Curitiba na manhã desta segunda-feira (24). A informação foi confirmada ao G1 pela advogada que o representa Joyce Roysen. Negromonte é um dos 25 investigados nesta fase da operação e é considerado foragido pela polícia desde sexta-feira (14). Negromonte é suspeito de ligação com o doleiro Alberto Youssef. Segundo as investigações, ele levava dinheiro do escritório do doleiro até os agentes públicos e partidos políticos.

Em documento protocolado na Justiça no dia 18 de novembro, a advogada reitera um pedido de revogação da prisão temporária do cliente, e diz que a autoridade policial foi informada sobre a apresentação na Superintendência da PF em Curitiba. Adarico é irmão do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte (PP-BA).

Deflagrada em março deste ano, a Operação Lava Jato prendeu várias pessoas, entre elas estão o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, que cumpre prisão domiciliar no Rio de Janeiro, e o doleiro Alberto Youssef, acusado de comandar o esquema. O doleiro está preso na carceragem em Curitiba.

Provas suficientes

A Força-tarefa do Ministério Público Federal considera que já há provas suficientes para pedir a condenação de 15 investigados que estão com a prisão preventiva decretada e seguem na carceragem da Polícia Federal, envolvidos na Operação Lava Jato.

As denúncias serão apresentadas antes do recesso do Judiciário, no dia 20 de dezembro, e devem atingir 11 executivos de seis grandes empreiteiras: Camargo Corrêa, Mendes Junior, OAS, Galvão Engenharia, Engevix e UTC. Nos primeiros depoimentos, alguns executivos alegaram que foram coagidos a pagar propina para manter os contratos com a Petrobras.

Saiba mais sobre a Lava Jato
A Operação Lava Jato investiga um esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões e provocou desvio de recursos da Petrobras, segundo investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. A nova fase da operação policial teve como foco executivos e funcionários de nove grandes empreiteiras que mantêm contratos com a Petrobras que somam R$ 59 bilhões.

Parte desses contratos está sob investigação da Receita Federal, do MPF e da Polícia Federal. Ao todo, 24 pessoas foram presas pela PF durante esta etapa da operação. Porém, ao expirar o prazo da prisão temporária (de cinco dias, prorrogáveis por mais cinco), na última terça (18), 11 suspeitos foram liberados. Outras 13 pessoas, entre as quais Renato Duque, continuam na cadeia.

Ex-prefeito argentino abandona filho ferido e foge para o Brasil de canoa

Um ex-prefeito da Argentina trocou tiros com a polícia e fugiu para o Brasil em uma canoa, segundo informou neste domingo (23) a imprensa local. Ele está foragido há um ano, após ser acusado de corrupção, e foi visto recentemente tentando escapar do país.
Ex-prefeito é acusado de desviar dinheiro público(Foto: Reprodução)


O ex prefeito da cidade de El Sobervio, Alberto Krysvzuk, enfrentou a polícia na noite da sexta-feira (21), quando tentava escapar em um carro para a cidade vizinha de Colonia Aurora.

No carro também estava o filho do ex-prefeito. O veículo passou em alta velocidade por duas blitze policiais na estrada.

Em seguido, o carro do ex-prefeito entrou uma área florestal, na ribeira do rio Uruguai, na fronteira do Brasil, segundo informações dos meios de comunicação locais.

Quando a polícia encontrou o veículo, só acharam o filho de ex-prefeito, que estava ferido por um tiro. 

Já Krysvzuk, que é acusado de desvio de dinheiro público, fugiu rumo ao Brasil em uma canoa que estava na margem do rio. O filho do ex-prefeito foi levado a um hospital da cidade de Oberá, onde recebeu tratamento e depois foi transferido a uma delegacia de El Soberbio para prestar depoimento.

El Soberbio, é marcada pela grande colonização de imigrantes brasileiros. A cidade faz fronteita com as cidades gaúchas de Tiradentes do Sul, Esperança do Sul, Crissiumal, e Derrubadas através do Rio Uruguai e com a cidade catarinense de Itapiranga através do Rio Peperi Guaço.

Marina critica primeiras medidas econômicas de Dilma após eleições

A ex-ministra Marina Silva criticou duramente as primeiras medidas tomadas pela presidente Dilma Rousseff na economia após o segundo turno das eleições. Marina, que disputou a sucessão presidencial pelo PSB, não quis fazer comentários sobre os nomes cogitados para os ministérios do novo governo, mas acusou a presidente de tomar o rumo conservador, que na campanha tanto criticou.



Marina, que disputou a sucessão presidencial, acusou a presidente de tomar o rumo conservador, que na campanha tanto criticou (Foto: AFP)


A Executiva da Rede Sustentabilidade, partido que Marina não conseguiu ainda legalizar, realizou dois dias de reunião, em Brasília. A ex-ministra informou que os integrantes da agremiação, que se filiaram ao PSB para a disputa eleitoral deste ano, continuarão até que se consiga as cerca de 32 mil assinaturas, que ainda faltam para viabilizar o partido.

Marina acusou de “marketing selvagem” o que o PT teria feito durante a campanha e que agora se mostraria incoerente. “Uma coisa foi o marketing selvagem para se ganhar a eleição e outra coisa agora é a realidade. A nossa atitude de oposição independente é coerente com aquilo que falamos durante a campanha. Seremos contrários ao que julgarmos que seja ruim e favoráveis ao que for bom”, disse a ex-candidata.

Entre os pontos criticados por Marina está o aumento da taxa de juros e o anúncio da redução do superávit primário em 2014 logo após o fim das eleições. O Banco Central elevou a Selic de 11% para 11,25% ao ano em outubro, surpreendendo o mercado financeiro.

“Uma outra coisa que antes era tratada como um tabu durante a campanha eram os preços administrados. E já vimos ações tomadas logo após a eleição. Esta é a diferença entre a realidade e o mundo colorido do marketing selvagem do PT”, completou.

Perguntada os nomes cogitados para o Ministério da Fazenda - primeiro Luiz Carlos Trabuco e, depois, Joaquim Levy, ambos do Bradesco - logo após o PT ter cunhado a expressão “candidata dos banqueiros” para classificar Marina durante a campanha, a ex-ministra afirmou preferir não comentar nomes antes de um anúncio oficial do governo.

Ainda assim, Marina lembrou que Levy foi braço direito do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e classificou o economista como “competente”. Ela lembrou que Palocci foi o responsável pelo superávit fiscal que superou a meta de 4,25% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2005 e chegou a 4,84%.

“E a presidente Dilma criticou muito isso (a elevação do superávit) durante a campanha.” Marina também não quis comentar a hipótese de a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) vir a assumir o Ministério da Agricultura. “Vivemos um momento delicado, de uma visão desenvolvimentista, que não respeita o meio ambiente. O código ambiental representou um retrocesso no Congresso e o desmatamento volta a crescer”, avaliou.

“Aquela história de pobres contra ricos, trabalhadores contra banqueiros, não se mostrou uma verdade como era dita na campanha da Dilma.” Embora o PSB só deva anunciar sua posição em relação ao governo federal até 27 de novembro, próxima quinta-feira, a Rede Sustentabilidade já se declara “oposição” à gestão Dilma Rousseff.

Antes da legalização do partido, a Rede evita fazer um balanço de parlamentares eleitos, mas, sem citar nomes de aliados, a estimativa é de que o novo partido tenha seis deputados estaduais, dois deputados federais e um senador na próxima legislatura.

Sobre as alianças estaduais, Feldman afirmou que a Rede participará dos governos apoiados pelo grupo nas eleições deste ano desde que a formação dessas gestões tenha afinidade programática com os ideais da Rede.

“Vamos dar uma contribuição real a esses governos, e não apenas ocupar espaço. Indicaremos pessoas por critérios de capacidade técnica e administrativa. Queremos ter uma participação qualificada”, concluiu.

As deliberações da Executiva Nacional tomadas neste fim de semana serão levadas à reunião do diretório nacional da Rede Sustentabilidade, que ocorrerá no próximo mês. Somente em dezembro, portanto, a plataforma de oposição do grupo será concluída.

Thiago matou a tia por causa de drogas

 Elizailde de Jesus Sousa, 32 anos, mãe de três filhos, foi assassinada com um golpe de faca por seu próprio sobrinho, Thiago Sousa Vieira (Déda), 25 anos. O crime aconteceu no início da madrugada deste domingo (23), na rua São Geraldo, bairro Novo Lomanto, em Itabuna. Thiago Sousa esteve preso no conjunto penal de Itabuna em 2013, por assalto a mão armada, Thiago, que é morador do bairro Jorge Amado, foi liberado na ultima quinta-feira (20).Elizailde era moradora do condomínio Pedro Fontes II, mas sempre vinha fazer companhia a sua mãe, que após o crime, teve que ser amparada e ser encaminhada para o hospital, em estado de choque. De acordo com informações de familiares, Dêda chegou agitado na casa de sua avó pedindo dinheiro para comprar drogas. Elizailde tentou expulsar o sobrinho quando foi atingida por um golpe de faca no peito direito. A polícia está a procura do assassino. Já são 130 homicídios em Itabuna em 2014 -o 6º em novembro. 


Imagens de Ednaldo Pinto

domingo, 23 de novembro de 2014

Caminhão com goiabas capota na BR 324 e mata motorista

O caminhoneiro Renato Rossi Magalhães, 34 anos, morreu depois de capotar o caminhão Ford Cargo 2422, placa KKF 4146 licença de Custódia no Estado de Pernambuco, carregado de goiaba por volta das 04h da madrugada desta sexta-feira (21) na BR 324, trecho Vila Aparecida/Riachão do Jacuípe. Somente a Policia Técnica pode definir a causa real do acidente, mas o desnível do acostamento pode ter sido o causador. A Polícia rodoviária Federal – PRF esteve no local aguardando a chegada da equipe da Polícia Técnica de Serrinha e do rabecão que chegaram por volta das 11h e solicitaram um guincho para desvirar o veículo, única forma possível para retirar o corpo das ferragens. A PRF interditou os dois sentidos da via enquanto o guincho e a Policia Técnica fazia a remoção, que aconteceu por volta do meio dia.

Próximo verão será o 1º com dengue e chikungunya circulando no país


Mosquito da dengue aedes egypt (Foto: USDA/AP)Aedes aegypti transmite tanto a dengue quanto o chikungunya (Foto: USDA/AP)
O vírus chikungunya deve se espalhar pelo país seguindo o padrão de disseminação da dengue, segundo infectologistas ouvidos pelo G1. No próximo verão, portanto, é provável que diferentes regiões do país tenham surtos simultâneos de dengue e chikungunya. Desde que chegou ao Brasil até o dia 25 de outubro, o chikungunya já infectou 828 pessoas, de acordo com balanço mais recente do Ministério da Saúde. O primeiro caso de transmissão interna do vírus no país foi registrado em setembro.
Info Chikungunya V1 (Foto: Editoria de Arte/G1)
O médico Carlos Roberto Brites Alves, da Sociedade Brasileira de Infectologia, lembra que os vetores das duas doenças são os mesmos: os mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. “Temos dengue há mais de duas décadas e não conseguimos eliminar a infecção, pois não conseguimos eliminar os mosquitos. A chance de o chikungunya seguir um padrão semelhante de ocorrência é grande”, diz o especialista.
Para Stefan Cunha Ujvari, infectologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e autor do livro “Pandemias: a humanidade em risco”, o histórico do vírus nos últimos 10 anos permite concluir que ele deve continuar se espalhando.
“A expansão do vírus começou em 2004, quando estava no interior da África e foi parar no litoral do Quênia. De 2004 para cá, houve uma expansão progressiva pela costa leste da África, pelas ilhas do Oceano Índico e países do sul e sudeste da Ásia. Em dezembro do ano passado, chegou às ilhas Martinica e Guadalupe e acabou se espalhando pelo Caribe”, diz Ujvari. “Isso mostra nitidamente que é um vírus que está se espalhando pela locomoção humana.”
Ele lembra que na época de férias há uma movimentação maior de pessoas, inclusive para as ilhas do Caribe, onde há grande disseminação do vírus. “Vai haver um fluxo de pessoas que podem trazer o vírus. Se houver chuvas, que levam a um maior número de mosquitos, tem uma chance muito grande de o chikungunya eclodir como uma epidemia no próximo verão.”
Tendência da dengue
No ano passado, o país registrou um número muito alto de casos de dengue: 1.452.489 pessoas foram infectadas. Este ano, até 11 de outubro, foram 547.612 casos, o que representa uma tendência de diminuição de infecções. Para Alves, medidas locais como o controle dos criadouros de mosquitos e o uso de mosquitos geneticamente modificados para controlar os vetores da doença podem surtir efeito no próximo verão.

Além disso, quando há um número muito grande de infectados em um ano, no ano seguinte, o número de casos tende a ser menor, pois já há mais pessoas imunes aos subtipos de vírus que circularam no período anterior.

Epidemias simultâneas
Nos últimos 10 anos, já houve ocorrências de epidemias simultâneas de chikungunya e dengue no mundo, segundo Ujvari. Foi o que aconteceu no Gabão, em 2007: o chikungunya chegou ao país no meio de uma epidemia de dengue.

Nesses casos, como os sintomas iniciais são parecidos, como febre, dor de cabeça e dor muscular, pode haver dificuldade de diferenciar os dois. Como nenhuma das duas doenças tem tratamentos específicos – a estratégia limita-se a tratar os sintomas – Ujvari afirma que o melhor, quando há dúvida sobre o diagnóstico, é conduzir como se fosse um caso de dengue.
Apesar de provocarem sintomas parecidos, tratam-se de vírus totalmente distintos. Quem já pegou dengue, portanto, não está imune ao chikungunya. O fato de já ter tido dengue também não determina que uma infecção por chikungunya seja mais grave.
'Aqueles que se dobram'Campanha do Ministério da Saúde
No início do mês, o Ministério da Saúde lançou uma campanha para alertar sobre a importância da prevenção contra dengue e chikungunya. Chamada “O perigo aumentou. E a responsabilidade de todos também”, a campanha estimula o combate ao mosquito transmissor das doenças.

O ministro da saúde, Arthur Chioro, afirmou durante o lançamento da ação que o que preocupa mais é a dengue. "Nós não teremos óbitos por chikungunya e nós temos óbitos com a dengue. Muito embora tenhamos reduzido em 40% o total de mortes de 2013 para 2014, tem uma manifestação mais grave, muito mais preocupante que chikungunya."

A infecção pelo vírus chikungunya provoca sintomas parecidos com os da dengue, porém mais dolorosos. No idioma africano makonde, o nome chikungunya significa "aqueles que se dobram", em referência à postura que os pacientes adotam diante das penosas dores articulares que a doença causa.
Em compensação, comparado com a dengue, o novo vírus mata com menos frequência. Em idosos, quando a infecção é associada a outros problemas de saúde, ela pode até contribuir como causa de morte, porém complicações sérias são raras, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).
Como as pessoas pegam o vírus?
Por ser transmitido pelo mesmo vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti, e também pelo mosquito Aedes albopictus, a infecção pelo chikungunya segue os mesmos padrões sazonais da dengue.

O risco aumenta, portanto, em épocas de calor e chuva, mais propícias à reprodução dos insetos. Eles também picam principalmente durante o dia.
O chikungunya tem subtipos diferentes, como a dengue?
Diferentemente da dengue, que tem quatro subtipos, o chikungunya é único. Uma vez que a pessoa é infectada e se recupera, ela se torna imune à doença. Quem já pegou dengue não está nem menos nem mais vulnerável ao chikungunya: apesar dos sintomas parecidos e da forma de transmissão similar, tratam-se de vírus diferentes.

Quais são os sintomas?
Entre quatro e oito dias após a picada do mosquito infectado, o paciente apresenta febre repentina acompanhada de dores nas articulações. Outros sintomas, como dor de cabeça, dor muscular, náusea e manchas avermelhadas na pele, fazem com que o quadro seja parecido com o da dengue. A principal diferença são as intensas dores articulares.

Em média, os sintomas duram entre 10 e 15 dias, desaparecendo em seguida. Em alguns casos, porém, as dores articulares podem permanecer por meses e até anos. De acordo com a OMS, complicações graves são incomuns. Em casos mais raros, há relatos de complicações cardíacas e neurológicas, principalmente em pacientes idosos. Com frequência, os sintomas são tão brandos que a infecção não chega a ser identificada, ou é erroneamente diagnosticada como dengue.
Tem tratamento?
Não há um tratamento capaz de curar a infecção, nem vacinas voltadas para preveni-la. O tratamento é paliativo, com uso de antipiréticos e analgésicos para aliviar os sintomas. Se as dores articulares permanecerem por muito tempo e forem dolorosas demais, uma opção terapêutica é o uso de corticoides.

Como se prevenir?
Sobre a prevenção, valem as mesmas regras aplicadas à dengue: ela é feita por meio do controle dos mosquitos que transmitem o vírus.

Portanto, evitar água parada, que os insetos usam para se reproduzir, é a principal medida. Em casos específicos de surtos, o uso de inseticidas e telas protetoras nas janelas das casas também pode ser aconselhado.
Infográfico Dengue (Foto: Arte/G1)

 

sábado, 22 de novembro de 2014

Ônibus com torcedores é alvo de tiros em Natal; mãe e filha são baleadas

Janelas do ônibus foram estilhaçadas pelos tiros (Foto: Divulgação/Polícia Militar

Uma mulher de 29 anos e a filha dela, uma criança de apenas 1 ano e 5 meses, foram baleadas dentro de um ônibus da empresa Via Sul na noite desta sexta-feira (21) na Avenida Bernardo Vieira, na Zona Oeste de Natal. Os tiros foram disparados de fora para dentro do veículo. Segundo a Polícia Militar, os alvos seriam torcedores do América-RN, que haviam acabado de deixar a Arena das Dunas, onde o time potiguar venceu o Náutico por 1 a 0. A partida foi válida pela penúltima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Nenhum suspeito de ter efetuado os disparos foi preso.

O marido da mulher e pai da criança também estava no ônibus. Em depoimento na delegacia, ele contou que também estavam voltando do jogo. Em determinado momento, quando o ônibus cruzou a Avenida Prudente de Morais, foram ouvidos vários disparos e algumas janelas do veículo foram estilhaçadas. “Muitas pessoas, para se protegerem dos tiros, se jogaram no chão. O homem, que trabalha como auxiliar de manutenção em uma construtora, também relatou que não foi possível identificar quantos eram os suspeitos de terem feito os disparos. A mulher e a criança foram socorridas inicialmente para o Hospital Santa Catarina, que fica na Zona Norte da cidade. Em seguida, foram levadas para o Pronto-Socorro Clóvis Sarinho, já na Zona Leste. De acordo com a unidade, a criança foi atingida na região abdominal. O estado de saúde dela foi considerado grave. Já a mãe, foi atingida em um dos braços e não corria risco de morte.


De acordo com o comandante geral da PM no estado, coronel Francisco Araújo Silva, policiais fizeram buscas pela região, mas nenhum suspeito foi encontrado.
V
ítimas foram inicialmente atendidas no Hospital Santa Catarina, depois levadas para o Pronto-Socorro Clóvis Sarinho (Foto: Ítalo Sales/Inter TV Cabugi)

'Não sai do quarto', diz pai de jovem de vídeo de sexo com vereador, no AM

  •  
Vereador Jadson Martins durante posse (Foto: Ivanir Valentim/TV Amazonas)Vereador Jadson Martins durante posse (Foto: Ivanir Valentim/TV Amazonas)


O pai de uma das duas adolescentes, que aparecem em vídeos de sexo com o vereador de Apuí Jadson Martins de Oliveira, falou pela primeira vez sobre o caso. O homem, que tem 33 anos, disse ao G1 que a filha está abalada, não sai do quarto de casa e não frequenta a escola há duas semanas. Para ele, o parlamentar agiu de má-fé ao registrar as imagens das relações sexuais com a jovem. O vereador está preso desde quinta-feira (20), em Apuí, município a 435 km de distância de Manaus. Ao comparecer à delegacia do município para prestar depoimento, ele se manteve em silêncio e deverá se pronunciar somente em juízo, disse o advogado do parlamentar.



Na primeira quinzena deste mês, os vídeos com adolescentes de 15 e 16 anos, gravados pelo vereador Jadson Martins, foram divulgados em Apuí e, em poucos dias, as imagens tinham sido compartilhadas entre a população da cidade. As gravações mostram que as jovens pediram para que o parlamentar parasse de filmar, mas ele manteve a câmera ligada. Em determinado momento, o rosto do suspeito é filmado beijando uma das adolescentes. Os vídeos contêm, ainda, cenas de sexo explícito.

Para o pai de uma das vítimas, o vereador agiu de má-fé ao gravar as meninas durante relações sexuais. Segundo o pai, Jadson tinha ciência que estava cometendo um crime. "As próprias imagens mostram o momento que ela [filha] pede para não gravar e ele [vereador] continua filmando. Ele é um adulto e parlamentar, não podia fazer isso. A nossa revolta é de ele ter gravado, expondo a imagem das meninas. Esperamos o resultado final e que a Justiça faça justiça. Não é de hoje que isso acontece no município", revelou o pai da adolescente de 15 anos.

O pai da jovem revelou ainda que a filha está abalada e que não frequenta a escola há duas semanas. Ela deverá concluir o primeiro ano do ensino médio em uma unidade de ensino no estado de Rondônia. "Viajamos com ela para Porto Velho, ficamos lá por duas semanas. Porém, voltamos para Apuí para minha filha depor. Ela está abalada e não quer ficar na cidade. Ela fica trancada no quarto e não quer conversar conosco. Vou levá-la para morar com a avó. Ela está precisando de ajuda psicológica", informou.

Jadson de Oliveira foi preso, na tarde desta quinta-feira (20), ao comparecer à delegacia de Apuí para prestar depoimento. Durante o interrogatório, ele se manteve no direito de permanecer em silêncio e deverá se pronunciar somente em juízo, segundo o advogado dele.

O vereador já havia sido afastado da Câmara Municipal de Apuí na segunda-feira (17), quando foi aberta Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigá-lo. O vereador também foi afastado do partido ao qual era filiado (PSB), na terça-feira (18).

Inquérito
O caso começou a ser investigado logo após familiares das vítimas formalizarem denúncia no dia 14 deste mês. A Polícia Civil já ouviu cinco pessoas, incluindo as duas adolescentes que aparecem nas imagens e outra jovem que procurou a polícia para relatar ter siso vítima do vereador.

Em vídeo, adolescente pede para não ser filmada (Foto: Reprodução)Em vídeo, adolescente pede para não ser filmada
(Foto: Reprodução)


O delegado titular da delegacia de Apuí, Francisco Rocha, explicou que tem umprazo de dez dias para concluir o inquérito e encaminhá-lo à Justiça. "Temos até o final do mês, mas antes disso concluiremos porque falta apenas o relatório", informou o delegado.

De acordo com o delegado, as adolescentes confirmaram, em depoimento, que são elas que aprecem nos vídeos e identidade do homem que grava as imagens. As jovens negaram ter recebido proposta de dinheiro ou vantagens. "Elas disseram que não foram coagidas ou ameaçadas", disse Francisco Rocha.

O vereador deve responder pelo crime no Artigo 240 do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), que prevê pena para quem produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente.

A Polícia Civil investiga também o responsável pela divulgação dos vídeos pornográficos. As investigações da polícia apontaram que as imagens foram divulgadas depois que o cartão de memória do aparelho de celular do vereador teria sido furtado. "Ele filmou e os vídeos vazaram após o cartão de memória ser subtraído", afirmou o delegado.

Polícia indicia falsa biomédica e namorado por homicídio doloso

Falsa biomédica Raquel Policena presta depoimento sobre aplicações para aumentar bumbum em Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Raquel foi indiciada por homicídio doloso por morte
de paciente (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
A Polícia Civil indiciou nessa sexta-feira (21) a falsa biomédica Raquel Policena Rosa, de 27 anos, e o namorado dela, o professor de idiomas Fábio Justiniano Ribeiro, de 33 anos, pela morte da auxiliar de leilões Maria José Brandão, de 39, após aplicações para aumento do bumbum. O processo, concluído nesta manhã, aponta que o casal cometeu os crimes de homicídio doloso com dolo eventual (quando se assume o risco de matar), exercício ilegal da profissão, lesão corporal e distribuição de produtos farmacêuticos sem procedência. Mesmo sem a conclusão dos laudos periciais e do Instituto Médico Legal (IML), o documento já foi encaminhado para o Poder Judiciário.

Segundo a delegada responsável pelo caso, Myrian Vidal, embora os laudos que comprovem a causa da morte da ajudante de leilões não tenham ficado prontos ainda, existem "indícios fortes" que comprovam que o óbito de Maria José foi provocado pelo procedimento. “Existem indícios de que a morte da Maria José está ligada à aplicação de hidrogel, que provocou a embolia pulmonar. Diversas outras vítimas da Raquel apresentam os mesmos sintomas relatados pela vítima”, explicou Vidal.

O homicídio foi considerado doloso, pois, segundo a responsável pelo caso, o casal assumiu o risco da morte de Maria José ao não aconselhar que ela procurasse um médico rapidamente ao começar a se sentir mal. Áudios que estavam armazenados no celular da vítima mostram que Raquel garantia que a falta de ar e dores no peio sentidas por Maria José não tinham nenhuma ligação com a aplicação no bumbum.

Defesa
Os advogados que defendem o casal afirmaram que desconheciam a conclusão do inquérito e discordam com o indiciamento feito pela delegada. Para Ricardo Naves, que representa a falsa biomédica, os laudos do IML são substanciais e imprescindíveis para o correto indiciamento de Raquel. Segundo ele, existe um “excesso de acusações”.

“Não vejo dolo em relação à morte de Maria José. Uma acusação mais fidedigna seria a de homicídio culposo e exercício ilegal da profissão. Isso se ficar comprovado que a Maria José morreu devido ao procedimento. Porque se ela morreu em decorrência de outras causas, isso esvazia toda a acusação”, disse Naves.

O defensor de Fábio, Elson Ferreira de Souza, também concorda que seria necessário aguardar os laudos para concluir o inquérito. “É precipitado falar em indiciamento por homicídio até mesmo culposo [quando não há intenção], porque não tem laudos que comprovam que a morte de Maria José está ligada à aplicação da substância no bumbum”, disse o advogado.

Sobre o exercício ilegal da profissão, Souza afirma que seu cliente não tem envolvimento com os procedimentos. “As fotos divulgadas pela imprensa são uma prova de que ele [Fábio] estava presente, mas ele não participou da aplicação. Nas imagens, ele estava no fundo do quarto do hotel”, ressaltou.
Fotos mostram cliente durante aplicações atribuídas à falsa biomédica (Foto: Arquivo pessoal)Fotos mostram cliente durante aplicações de hidrogel atribuídas à falsa biomédica (Foto: Arquivo pessoal)
Raquel vai responder o processo presa preventivamente. Ela continua no 14º Distrito Policial de Goiânia, onde está desde sua detenção, no último dia 13, em Catalão, no sudeste de Goiás, onde mora. Fábio aguardará em liberdade, pois, segundo a delegada Myrian Vidal, não existem indícios de que ele possa realizar novas aplicações para aumento no bumbum.

Prisão

A delegada Myrian Vidal pediu a prisão preventiva de Raquel, pois testemunhas relataram à polícia de que ela voltaria a fazer as aplicações em suas clientes. “Ouvimos relatos de clientes que disseram que a Raquel prometeu que faria os retoques necessários assim que a 'poeira baixasse'. Por isso, como forma de proteger a sociedade, pedimos a prisão", disse.

Ela foi detida em casa e encaminhada ao IML de Catalão, onde passou por exames de corpo de delito. Em seguida, ela foi encaminhada para uma cela no 14º DP.
Maria José Medrado de Souza Brandão aplicação de hidrogel para aumentar o bumbum em GoIânia, Goiás (Foto: Aracylleny Santos/ Arquivo Pessoal)Maria José morreu após tentar aumentar bumbum
(Foto: Aracylleny Santos/ Arquivo Pessoal)

Morte

Maria José morreu no dia 25 de outubro, um dia depois de fazer a segunda aplicação de hidrogel no bumbum, em uma clínica de Goiânia. Após se sentir mal, ela foi internada no Hospital Jardim América, em Goiânia, e morreu na madrugada seguinte, com suspeita de embolia pulmonar.

Em áudios conseguidos com exclusividade pela TV Anhanguera, Maria relatou à Raquel que sentia dor no peito e falta de ar. É possível notar que a paciente estava ofegante e fraca, mas a responsável pela aplicação descartou riscos e orientou a vítima a comer "uma coisinha salgada". Momentos depois, Maria José encaminhou uma mensagem escrita dizendo: "Tenho medo de AVC [Acidente Vascular Cerebral]. Minha mãe morreu cedo disso".

Nesse momento, Raquel deu uma risada e descartou a possibilidade de paciente sofrer do problema. "AVC não dá falta de ar não. AVC é no cérebro, não dá falta de ar. Pode ficar tranquila. Você fuma? Alguma coisa assim? Você costuma praticar atividade física? Pode ficar tranquila que tem a ver com a tensão, não tem nada", disse.

Mulher é declarada inocente após passar 17 anos na prisão nos EUA

Susan Mellen é beijada pelo sobrinho, David, ao deixar a Corte Superior de Torrance na sexta-feira (21), após ser declarada factualmente inocente de uma acusação de homicídio, pela qual passou 17 anos na prisão (Foto: AP Photo/The Daily Breeze, Brad Graverson)Uma mulher que passou 17 anos em uma prisão na Flórida por um assassinato que não cometeu foi declarada factualmente inocente na sexta-feira (21), abrindo caminho para que receba cerca de US$ 600 mil do estado como compensação.Susan Mellen, de 59 anos, disse que estava “grata demais” pela determinação, que veio cerca de seis semanas depois de sua condenação ser anulada e ela ter sido liberada de uma prisão estadual.“Sinto-me realmente mal pelo que aconteceu aqui”, disse o juiz Mark Arnold, segundo o serviço de notícias municipal.Arnold cancelou a condenação de Mellen pelo espancamento até a morte de um morador de rua por que ela foi mal representada no tribunal e por que uma mulher que declarou ter ouvido Mellen confessar o crime era uma mentirosa habitual.A condenação de Mellen por planejar o assassinato de Richard Daly em uma casa em Lawndale onde ela morava com outras pessoas foi baseada no depoimento de testemunhas.7A procuradora adjunta Loren Naiman, que não atuou no caso durante o julgamento, disse que o depoimento incriminador era duvidoso e pediu ao juiz para anular a condenação.Três integrantes de uma gangue foram posteriormente ligados ao crime, e um deles passou pelo detector de mentiras e afirmou que Mellen não tinha participado.O caso de Mellen foi conduzido por Deirdre O’Connor, que comanda a Innocence Matters, que busca inocentar aqueles que foram condenados erroneamente. O’Connor disse que o investigador que prendeu Mellen também foi responsável por um caso em 1994 que terminou com dois condenados sendo posteriormente inocentados.A declaração de inocência factual é rara. Ela permite que Mellen, que deixou a prisão falida, reivindique do estado US$ 100 por cada dia que passou presa.Mellen disse que chorou todas as noites na prisão, mas que nunca perdeu a fé de que voltaria a ficar com seus três filhos, agora adultos. Seus filhos mais novos tinham 7 e 9 anos quando ela foi presa.Ela tinha rabiscado a palavra “liberdade” na sola de seus sapatos por que planejava um dia caminhar livre. Na sexta, ela era não apenas livre, mas inocente.

Traficante flagrada dentro de ônibus em Cururupe, Ilhéus


Huanna Nisa dos Santos Souza, 27 anos, moradora da cidade de Canavieiras, foi presa por uma guarnição da Rondesp/Cprs, na tarde desta sexta feira (21). Ele estava no interior de um ônibus que faz a linha Jequié Canavieiras portando aproximadamente 150 gramas de cocaína, mas foi interceptado na praia de Cururupe, Ilhéus. Os policiais militares suspeitam que droga fora entregue para Huanna na cidade de Ilhéus e deveria ser distribuída na Festa do Marlin na cidade de Canavieiras. Huanna está sendo autuada em flagrante delito pelo crime de tráfico de drogas no plantão da 7ª Coorpin/Ilhéus.

Una na Mídia

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Mulheres já são 37% dos portadores do HIV no Estado do Rio.


RIO - Há 14 anos, a professora Maria Aparecida Lemos chamou os irmãos ao hospital e pediu que contassem ao resto da família a verdade: ela tinha HIV, não câncer. Há uma semana, o designer Guilherme Dore, de 24 anos, compartilhou no 
Facebook

o diagnóstico de HIV que recebeu em 2012. Fora contaminado por um namorado. Guilherme e Aparecida são algumas das faces da epidemia de HIV/Aids no Brasil: mulheres, num fenômeno de alguns anos, e jovens de ambos os sexos. Histórias como essas dão o tom do 17º Encontro de Pessoas Vivendo com HIV/Aids, que começou na quinta-feira no Centro de Convenções da Bolsa de Valores do Rio.


A professora Aparecida Lemos, que contraiu o vírus HIV e ficou cega 

Segundo a Secretaria estadual de Saúde, mulheres representavam 25% dos casos de HIV/Aids de 1982 a 1999 no Rio, mas chegaram a 37% em 2012. Nos primeiros anos, o Rio tinha 2,9 notificações entre homens para uma entre mulheres; em 2005, para cada 1,5 caso masculino, um era feminino. Há alguns anos essa proporção se estabilizou em 1,7. Mas, na faixa etária de 13 a 19 anos, 50,9% dos casos são entre garotas, e 49,1% entre rapazes. É justamente nesse segmento que a incidência cresce entre mulheres. Entre homens, sobe na faixa de 20 a 24 anos.

A parcela de casos entre homossexuais masculinos subiu de 24% em 2000 para 28,5% em 2012 no estado. Dore, bissexual, contaminou-se com um namorado. Para ele, integrante da Rede Estadual de Adolescentes e Jovens Vivendo e Convivendo com HIV/AIDS, criada por jovens soropositivos, assumir o HIV é uma decisão política para lutar por aquilo em que acredita.

— Acharam bacana eu ter assumido. Mas alerto: muitos acham que ter HIV significa só tomar um remédio e pronto. Não é. É sofrido. Por isso, todo mundo tem de se proteger e usar preservativo.

Existem no Brasil 718 mil pessoas com HIV/Aids, segundo o Ministério da Saúde. Desde 1996 o SUS distribui gratuitamente os medicamentos. De 1980 a junho de 2013 foram notificados 686.478 casos. Em 2012, 39.185 casos, o que mantém o HIV num patamar estável nos últimos cinco anos. Em todo o país, o aumento mais significativo foi entre homossexuais masculinos jovens. Para cada caso feminino, há 1,7 caso masculino (eram 5,5 em 1990).

— Embora alguns grupos estejam mais sujeitos, qualquer um pode contrair o HIV. O Rio tem a segunda maior taxa de mortalidade. Temos problemas, como o atraso no exame de genotipagem (que detecta a que medicamentos o vírus está resistente). Nesse encontro discutimos dificuldades e vitórias de quem vive com o HIV — afirma o psicanalista George Gouvêa, presidente do Grupo Pela Vidda-RJ, que organiza o “Vivendo”. O encontro vai até sábado.

A mulher soropositiva tem dúvidas e dificuldades particulares, avalia Mara Moreira, coordenadora do grupo feminino do Pela Vidda-RJ e representante fluminense do Movimento Nacional das Cidadãs PositHIVas. Ter ou não ter filhos, sabendo que a doença se transmite para o feto? Como convencer parceiros sobre prevenção? No mês passado, soropositivas produziram um documento cobrando melhoras no atendimento, como a cirurgia reparadora da lipodistrofia (a distribuição desigual de gordura pelo corpo, como efeito colateral dos remédios anti-HIV).

ALERTA A UMA NOVA GERAÇÃO

Para Aparecida Lemos, o HIV trouxe uma infecção oportunista, causada pelo citomegalovírus. Cada olho foi operado cinco vezes, sem sucesso. Aparecida, professora de português, ex-diretora de escola, divorciada, independente, ficou cega dos dois olhos. Nem sombras vê:


PUBLICIDADE— No caso do HIV, me sentia culpada, pois deixei de me proteger, passei a confiar num namorado e não usei preservativo. No caso da cegueira, fiquei revoltada.

Hoje, ela mora só, lava a louça, cozinha. Tem diarista duas vezes por semana e, para sair de casa, conta com a ajuda da família e de amigos. Seu recado para as mulheres é que se protejam, pois o amor não imuniza. Para os deficientes, o alerta é: não deixem que ninguém os torne mais invisíveis ainda.

O superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, diz que uma das prioridades hoje é a prevenção, não só com preservativo, mas com diagnóstico precoce. No Rio, há três anos existe um serviço de testagem rápida. O interessado recebe o resultado na hora e já sai com consulta marcada na rede pública. Sobre a dificuldade no acesso à cirurgia para casos de lipodistrofia, Chieppe admite as limitações e diz que só o Hospital Pedro Ernesto, da Uerj, a oferece.

Chieppe diz que o aumento de casos entre mulheres não é novo, mas a vulnerabilidade delas se mantém. Parte dos casos ocorre no ambiente doméstico, e tanto é difícil lidar com a traição como convencer parceiros da necessidade de proteção. No caso dos jovens, é uma questão de idade. Para os nascidos a partir de 2000, que não viram ídolos sofrendo nem famílias sob impacto de mortes, o HIV pode parecer algo comum, tratado facilmente — engano que pode custar muito à nova geração.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Thales Farias